13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Espetáculos

9ª edição do Festival Ao Largo

 

Regressam às noites de julho o Festival ao Largo, no Largo de São Carlos.

 

Na 9ª edição, o Largo e as ruas adjacentes transformam-se numa enorme sala de espetáculos onde se pode assistir gratuitamente a artes teatrais, canto, música e dança.

 

O festival apresenta um cartaz com artistas convidados que compartilharão o palco do Largo em programas que contarão igualmente com a participação sempre tão aclamada do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, da Orquestra Sinfónica Portuguesa e da Companhia Nacional de Bailado, num total de quinze apresentações que decorrerão até ao dia 29.

 

Esta edição, iniciou-se esta 6ª feira (dia 7) com uma nítida crescente adesão de público (ao longo das edições anteriores). Sob a direção musical da Maestrina Titular, Joana Carneiro, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, interpretou:

 

- Joly Braga Santos (1924-1988) - Abertura Sinfónica n.º 3, Op. 21
- Leonard Bernstein (1918-1990) - Symphonic Dances, West Side Story
- Maurice Ravel (1875-1937) - Concerto para piano em Sol maior, com opianista Pedro Costa, vencedor do Concurso de Interpretação do XV Festival do Estoril de 2013 piano

 

O programa completo pode ser consultado no sitio do evento em: http://www.festivalaolargo.pt/

 

Texto e fotos:  Zé Gaspar

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Daniela Mercury

 

O Salão Preto e Prata do Casino do Estoril, recebeu a 3 de Julho, Daniela Mercury num grande espectáculo que a cantora Luso-Brasileira deu em cerca de 2h40.

 

Daniela Mercury, mostrou na sua actuação, uma energia inesgotável que rapidamente contagiou o público. Estava casa cheia, e a cantora logo num dos primeiros temas “Nobre Vagabundo”, consegue ter o público de pé.

 

Em “Quero Felicidade” Daniela convida três pessoas da plateia a subir ao palco com ela. No final dessa canção um forte abraço entre as quatro.

 

Quase a terminar o concerto, consegue fazer algo de inesperável, na curta frente-palco consegue que o público a faça um comboio a dançar ao tema “Canto da Cidade”, e já de saída, Daniela Mercury cumprimenta alguns dos fãs que estão junto ao palco pessoalmente, e um aceno especial de agradecimento para toda a sala que continuando de pé, a aplaude fortemente.

 

Teve uma excelente banda composta por guitarra, baixo, bateria, dois percussionistas, uma cantora de backing vocals, e teclado. Ainda em termos técnicos teve um bom alinhamento de luz em que conforme os temas, oscilava entre o azul e vermelho ou o verde e amarelo.

 

Os seus três bailarinos fizeram com a artista a coreografia ao ritmo de cada canção, de modo que o palco estivesse sempre com acção.

 

Os seus temas, entre os ritmos brasileiros mais mexidos, os africanos e ainda um ou outro mais calmo com timbre do Brasil. A cantora fala com o público, declama poesia, tudo isto deu à sala de espectáculos um clima que foi difícil ditar o fim do concerto, tanto para a cantora como para os espectadores.

 

A sequência musical que Daniela Mercury apresentou ao seu público:

 

1) Ogum/Rainha do Axé

2) Meu Pai Oxalá

3) Oyá Por Nós

4) Trio Em Transe

5) Nobre Vagabundo

6) América do Amor

7) Minas Com Bahia

8) Você Abusou

9) A Primeira Vista

10) Como Vai Você

11) Rede

12) Mutante

13) Pais Tropical /Taj Mahal

14) Pérola Negra

15) Alegria e Lamento

16) O Mais Belo / Por Amor / D Cano

17) Quero A Felicidade

18) Maria Casaria

19) Mas Que Nada / Antropofa / Avisa Lá

20) Feijão De Corda

21) Rapunzel

Encore

22) Swing Da Cor

23) Maimbe

24) Canto Da Cidade

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Marchas Populares / Festas de Lisboa’17

 

Como manda a tradição, a 12 de Junho, Lisboa enche-se de gente para uma noite dedicada às Festas Populares de Santo António, o principal santo padroeiro da cidade.

 

Entre sardinhadas e animação tanto nos Bairros Populares como por toda a cidade, o ponto alto é na mítica avenida de Lisboa: As Marchas Populares na Avenida da Liberdade.

 

Desfilaram no total 26 Marchas, 20 das quais na vertente competitiva. Como convidadas estiveram presentes a “Bairro dos Anjos” de Leiria, “Rua da Cabine” de Quarteira e ainda a “Verde Gaio de Lordosa” de Viseu.

 

Após o desfile das Marchas convidadas, entraram no linóleo também sem vertente competitiva a:

- Marcha Infantil da Sociedade de Instrução e Beneficiência “A Voz do Operário” (já com tradição de 30 anos a desfilar na Avenida)
- Marcha dos Mercados, pela Associação dos Comerciantes nos Mercados de Lisboa
- Marcha da Santa Casa (estreante este ano)

 

Todas as Marchas participaram com grandes coreografias, muito dinâmicas na sua apresentação e coreografia e com muito boa qualidade musical contando com excelentes vozes. Os seus padrinhos não passaram despercebidos, entrando na tribuna de honra a cumprimentar as individualidades presentes durante a apresentação das suas afilhadas.

 

Entre duas Marchas, houve uma coreografia de dança pelos Noivos de Sto. António, onde estes recém-casados casais, puderam mostrar ao público que dança também é com eles.

O desfile das Marchas Populares começou pouco depois das 21h00 e terminou pela 01h30 da manhã.

 

A ordem de entrada para a sua actuação foi:

 

Convidadas:
- BAIRRO DOS ANJOS (LEIRIA)
- RUA DA CABINE (QUARTEIRA)
- VERDE GAIO DE LORDOSA (VISEU)

 

Sem vertente competitiva:
- MARCHA INFANTIL “A VOZ DO OPERÁRIO”
- MARCHA DOS MERCADOS
- MARCHA SANTA CASA

Competitivas:
1ª MARCHA DE ALFAMA
2ª MARCHA DE BENFICA
3ª MARCHA DA MADRAGOA
4ª MARCHA DO ALTO DO PINA
5ª MARCHA DE CARNIDE
6ª MARCHA DE PENHA DE FRANÇA
7ª MARCHA DE CAMPO DE OURIQUE
8ª MARCHA DA BICA
9ª MARCHA DO CASTELO
10ª MARCHA DA AJUDA
11ª MARCHA DE SÃO VICENTE
12ª MARCHA DA MOURARIA
13ª MARCHA DE SANTA ENGRÁCIA
14ª MARCHA DE ALCÂNTARA
15ª MARCHA DE MARVILA
16ª MARCHA DA BELA FLOR – CAMPOLIDE
17ª MARCHA DE BELÉM
18ª MARCHA DOS OLIVAIS
19ª MARCHA DA GRAÇA
20ª MARCHA DO BAIRRO ALTO

Deve ter sido uma tarefa difícil para o Júri das Marchas Populares de Lisboa 2017 decidir a Marcha vencedora das 20 concorrentes, sendo a escolhida para o primeiro lugar pelo segundo ano consecutivo a Marcha de Alfama, ficando em segundo lugar a do Bairro Alto e em terceiro a da Madragoa.

As classificações de todas as Marchas Participantes:

1º MARCHA DE ALFAMA
2º MARCHA DO BAIRRO ALTO
3º MARCHA DA MADRAGOA
4º MARCHA DE ALCÂNTARA
5º MARCHA DA BICA
6º MARCHA DE CARNIDE
7º MARCHA DA GRAÇA
8º MARCHA DO CASTELO
9º MARCHA DE SÃO VICENTE
10º MARCHA DE PENHA DE FRANÇA
11º MARCHA DA MOURARIA
12º MARCHA DA AJUDA
13º MARCHA DOS OLIVAIS
14º MARCHA DA BELA FLOR – CAMPOLIDE
15º MARCHA DE MARVILA
16º MARCHA DE CAMPO DE OURIQUE
17º MARCHA DE BELÉM
18º MARCHA DO ALTO DO PINA
19º MARCHA DE BENFICA
20º MARCHA DE SANTA ENGRÁCIA

 

O júri foi composto por:
Presidente do Júri:
- Pedro Santos Franco

Apreciação da Coreografia:
- André Teodósio

Apresentação da Cenografia:
- Ana Pérez-Quiroga

Apreciação do Figurino:
- José António Tenente

Apreciação da Letra:
- Jorge Fernando

Apreciação da Música:
- Carlos Mendes

Apreciação Global:
- Marta Sobreira e Paulina Santos

Representante da EGEAC:
- Sofia Bicho

 

Venham as Marchas Populares/ Festas de Lisboa’18

 

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Marchas dos Santos Populares de Cascais

 

Dia 10 de Junho, realizou-se mais uma edição das Marchas dos Santos Populares de Cascais. Este formato de reunir a actuação das Marchas do Conselho no Centro da Vila, era uma tradição já antiga mas descontinuada durante alguns anos.

 

Teve o seu reinício em 2012 com as Marchas Infantis, e em 2013 com todas as actuações do Conselho numa vertente não competitiva, simplesmente lúdica, cultural e de festa colectiva, ao contrário dos anos anteriores em que as Marchas Populares estiveram dispersas pelos diversos locais do Conselho, onde actuavam basicamente nas suas localidades de origem. Pelas 20h30 começa o desfile desde o Centro Cultural de Cascais até ao Mercado da Vila. Estando previsto o início da actuação pelas 21h30, já no Mercado da Vila, com o recinto replecto de público para receber os marchantes.

 

Este ano, houve 11 entidades que apresentaram no total 13 marchas, duas delas tiveram a apresentação de Marchas Infantis.

 

Nesta edição o tema é “Cascais Mágico”, em que todas as Associações/Colectividades dão vida a uma Marcha com esta música e letra comum e a coreografia da sua autoria. Estas entidades apresentam em geral uma Marcha própria de tema livre.

 

A Marcha “Cascais Mágico”:

 

Refrão:

Cascais Vila de e encanto
Terra de sonho e beleza
Descubro em cada recanto
Magia, romance e nobreza

O mar em tela de fundo
Belos parques pra passear
Cascais, misterioso e único
Onde todos querem voltar

Letra:

Palácios, chalés e castelos
Cada um com o seu enredo
Da Malveira a Carcavelos
Mantém o seu segredo

Guia, Guincho e Abano
A lenda nos faz lembrar
Que na Boca do Inferno
Caiu um cavalo branco a guinchar

Refrão

No Estoril há o Casino
Local de grande glamour
Entre jogo, arte e destino
O mistério transforma-se em cor

Terra de banhos de reis
E de gente fácil de amar
Artistas pintam com seus pincéis
A baía a abraçar o mar

Refrão

Seus fortes e fortalezas
De beleza singular
Escondem mitos e tesouros
Que vieram de além-mar

Com faróis sempre de vigia
Museus, ruelas e calçada
Cascais, onde há magia!
Cascais é vila encantada!

Refrão

 

A sequência da actuação das Marchas:

 

1) Grupo de Solidariedade Musical e Desportivo de Talaíde - Marcha Infantil
2) Grupo de Solidariedade Musical e Desportivo de talaíde - Marcha Adultos
3) Grupo Recreativo e Dramático 1º de Maio Tires - Marcha Infantil
4) Grupo Recreativo e Dramático 1º de Maio Tires - Marcha Adultos
5) Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental
6) Sociedade Familiar e Recreativa da Malveira da Serra
7) Sociedade Musical de Cascais
8) Sociedade Recreativa e Musical de Carcavelos
9) Sociedade de Instrução e Recreio de Janes e Malveira
10) Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cascais
11) Grupo Recreativo Livramento Estoril Clube
12) Sociedade Musical Sortiva Alvidense
13) Centro de Cultura e Desporto do pessoal do Município de Cascais (CCD)

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

Volta ao Mundo em 80 Minutos (Estreia)

 

Filipe La Féria tem pela quinta vez uma peça em cena no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril. Desta vez o desafio é para que o elenco, tendo como actor principal João Baião, consiga dar a Volta ao Mundo em 80 Minutos.

 

A estreia a 26 de Maio contou com uma recepção aos convidados, sendo alguns do mundo da arte e do espectáculo, tais como a conceituada atriz Eunice Muñoz. Terminada a peça, vêm os agradecimentos de Filipe La Féria à sua equipa e a todos os envolvidos para que fosse possível a realização da mesma. Dirigiu um convite especial às pessoas para que vão ao teatro, convite esse para a um público de todas as idades mas de uma forma particular às crianças. De seguida para fechar a noite, houve a “After hours Party” no Lounge do Casino do Estoril, para que os convidados tivessem um momento de lazer e diversão em conjunto com o elenco.

 

Quanto à peça, João Baião que interpreta Phileas Fogg inseparável do seu criado Passepartout. Phileas Fogg é inglês, e vive do Estoril. Um dia decide provar que se consegue dar a volta ao mundo em 80 minutos.

 

Contra os incrédulos, Phileas Fogg aposta uma quantia avultada de dinheiro e prepara-se para a viagem, que começa num balão. Após atravessar vários países, em que em cada um deles temos encenações e coreografias típicas, em conjunto com um excelente vídeo de fundo que complementa a peça em palco. Nesse vídeo também dão a cara Fernando Mendes e Herman José.

 

Há vários momentos de interactividade directa de João Baião como público. O elenco contou com vozes fantásticas como a Dora, Paula Sá, Ricardo Soler, Catarina Pereira, Carina Leitão, Samuel de Albuquerque, uma excelente equipa de 16 bailarinos e dois acrobatas.

 

A poucos segundos de terminar os 80 minutos, Phileas Fogg ainda está em Nova Iorque, será que ele consegue vencer a aposta? Sim, consegue, mas venha ver por si próprio como…

 

O espectáculo está em exibição de 5ª a Domingo com os seguintes horários:

5ª, 6ª e Sábado: 21h30
Sábado e Domingo: 17h00

Os bilhetes estão à venda no Casino do Estoril, Teatro Politeama, Bilheteira Online e Fnac.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Caetano Veloso no Casino do Estoril

 

Caetano Veloso deu dois concertos em datas seguidas, 16 e 17 de Maio, com casa cheia no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril. O dia 16 foi especial tendo em conta que o cantor brasileiro actou nesta casa há 30 anos precisamente nessa data. O ambiente estava cheio de glamour, com muitas caras conhecidas no público, como já é habitual nos espectáculos que decorrem nesta sala.

 

O concerto desenvolveu-se em três partes, sendo a primeira animada por Teresa na voz e com Carlinhos no violão de sete cordas.

 

Teresa teve uma grande interação com o público ao longo da sua actuação.

 

Caetano entrou de seguida, dando um espectáculo a solo, com 19 temas quase todos seguidos. O cantor interagiu com o público puxando pelo mesmo já perto da fase final da sua actuação. Chegou a pousar o seu violão e na frente do palco pediu ao público que completasse o tema sozinho conseguindo uma grande dinâmica da sala neste momento.

 

O músico confessou ao público que ao escolher os temas para este concerto optou por incluir dois são quase desconhecidos e remontam ao tempo da ditadura militar no Brasil.

 

A recta final do espectáculo foi a trio, novamente com Teresa e Carlinhos em palco, para interpretar mais seis temas.

 

Os três artistas despedem-se do público com a vénia de agradecimento e do lado do público a grande ovação pelo espectáculo dado.

 

Os temas interpretados pelos artistas:

 

Teresa + Carlinhos:

1) O mundo é um moinho

2) Corra e olhe o Céu

3) Alvorada

4) Preciso me encontrar

5) Cordas de aço

6) Tive sim

7) Acontece

8) Sala de recepção

9) As rosas não falam

 

Caetano Veloso:

1) Luz do Sol

2) Os passistas

3) Um Índio

4) Meu bem, meu mal

5) Esse cara

6) O leãozinho

7) Menino do rio

8) Minha voz, minha vida

9) Cururrucucu Paloma

10) Reconvexo

11)  Love for sale

12) Tá combinado

13) Enquanto o lobo não vem

14) A voz do morto

15) Abraçaço

16) Branquinha

17) Sozinho

18) Força Estranha

19) A luz de Tieta

 

Caetano Veloso, Teresa e Carlinhos:

1) Tigreza

2) Miragem de carnaval

3) Como 2 e 2

4) Desde que o samba é samba

5) Odara

6) Qualquer coisa

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique nas imagens respetivas para visualizar a fotorreportagem correspondente

 

Amor Eletro e Áurea em Ferreira do Alentejo

 

Integrados nas comemorações do 25 de Abril, a Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo promoveu a realização dos primeiros dois de vários concertos que vão animar o panorama musical e cultural local até Setembro.
 
Na noite de dia 24 de abril actuaram os Amor Eletro, num concerto a que assistiram alguns milhares de fãs da banda.
 
Durante cerca de cento e vinte minutos, os Amor Eletro apresentaram musicas que revisitaram versões de outras bandas e artistas como Sétima legião ou Zeca Afonso, e que durante anos ajudaram a banda a crescer e ganhar notoriedade, como referido pela vocalista Marisa Liz, num dos vários momentos de interacção com o público.
 
Ao apresentar os temos da própria banda, como os êxitos "Máquina", "Juntos somos mais fortes" ou o ultimo single da banda "Sei", aconteceram os momentos de maior interação, com o público a cantar em coro com Marisa Liz, ou mesmo perante o entusiasmo a acompanhar os musicos, num concerto que terminou próximo das 00:00 horas.
 
Na noite de 25 de Abril, com inicio cerca das 22:40 horas, foi  vez da artista Áurea, de origens alentejanas (do vizinho conselho de Santiago do Cacém) subir ao palco com um alinhamento musical com um estilo mais intimista, consegui que o  público, que também terá atingido os milhares, cantasse alguns dos seus temas mais conhecidos, I Didn't Mean It, ou Busy. Também Stevie Wonder mereceu uma especial e carinhosa referência tendo Áurea cantado uma das suas músicas.
 
Concerto com muitos momentos de interactividade, com Áurea a deixar o público acompanhar os seus músicos. 
 
De notar o agrado do público por ver que Áurea trouxe a Ferreira do Alentejo a sua banda com 2ªs vozes e secção de metais, que em moments de "solo" por parte dos mesmos mereceram grandes ovações.
 
Texto e Fotos de Rui Santos
 
 
clique nas imagens respetivas para visualizar a fotorreportagem correspondente
 

Rodrigo Costa Félix e Mafalda Arnauth no Ciclo de Fado do Casino do Estoril

 

No dia 12 de Abril, no espaço Lounge D do Casino do Estoril decorreu uma actuação dos fadistas Rodrigo Costa Félix e Mafalda Arnauth e mais uma sessão do ciclo de Fado às 4ªs Feiras, num espactáculo com a duração de um pouco mais de uma hora e meia.

 

Rodrigo sobe ao palco em primeiro lugar, com 5 temas interpretados com uma excelente sintonia com o público, de seguida deu lugar à actuação de Mafalda Arnauth.

 

Mafalda à semelhança de Rodrigo, manteve a atenção da sala e mobilização dos olhares do público para ela, envolvido nos temas e no ambiente de conforto que este espaço do Casino do Estoril proporciona.

 

No início das sessões de fado, habitualmente usa-se a expressão: “Silêncio que se vai cantar o fado”. Neste caso não foi invocada e a fadista Mafalda Arnauth ainda a contrariou levando o público a cantar em conjunto com ela.

 

Após um breve intervalo, os fadistas seguiram com a segunda parte do espectáculo à semelhança da primeira parte na sequência de actuação em palco, primeiro cantou Rodrigo e de seguida Mafalda.

 

Para fechar em grande este espectáculo de fado, os artistas concederam ao apelo especial de um grupo de fãs vindos do Brasil, que durante o intervalo deixaram uma folha no palco a pedir que se cantasse “Uma casa Portuguesa”. Esta sessão de fado terminou em grande, com esse tema cantado em dueto pelos fadistas. Na hora de deixar o palco, o público aplaudiu de pé os artistas.

 

Os temas interpretados pelos fadistas em palco:

 

1ª Parte Rodrigo Costa Félix:

1) Minha Rua

2) Fado das Mágoas

3) Vendaval

4) Fado dos Sonhos

5) Rosinha dos limões

1ª Parte Mafalda Arnauth:

1) Namorico da Rita

2) Triste Sina

3) Meus lindos olhos

4) Fado Cravo

5) Marcha da Boa Nova

2ª Parte Rodrigo Costa Félix:

1) Guitarra Triste

2) Fado Olga

3) Fado Zé Grande

4) Fado da Sina

5) Lisboa Menina e Moça

2ª Parte Mafalda Arnauth:

1) Saudades de Júlia Mendes

2) Hortelã Mourisca

3) Foi Deus

4) Fado Pechincha

5) Marcha dos Centenários

 

Dueto final: Uma Casa Portuguesa

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Mafalda Veiga no Tivoli

 

 

No dia 4 de Março, Mafalda Veiga actuou no Teatro Tivoli em Lisboa com temas do seu último álbum “Praia”, título esse que também deu a esta série de dois espectáculos. Este concerto com duração de cerca de 1h40 a cantora fez uma exibição não só musical, mas também de luz e projecção de vídeo com três ecrãs em palco.

 

Estes ecrãs, deram um ambiente especial aos temas que estavam a ser interpretados por Mafalda e a sua banda.

 

Neste concerto a artista dedicou o tema “Fado”, ao seu tio Pedro da Veiga, guitarrista de fado que a ensinou a dar os primeiros passos na guitarra e na composição. Mafalda disse que não interpreta fado, mas esta homenagem tinha que ser feita.

 

Nos agradecimentos, a artista mencionou as pessoas e entidades que tornaram possível esta digressão. Uma palavra de gratidão também foi dirigida à sua banda quando a apresentou ao público.

 

Em termos de público, a plateia estava cheia, e após Mafalda e os seus músicos saírem de palco não se levantaram dos seus lugares a pedir o encore. Os artistas voltaram e animaram a sala com mais três temas.

 

Para esta digressão está marcado um espectáculo para o Porto, dia 08 de Março, na Casa da Música pelas 21h00.

 

O alinhamento musical do concerto:

 

Praia

Não me dês razão

O meu amor

Fim do dia

Domingo

Todas as coisas

Estrada

Insónia

Tatuagens

Quando

O mesmo Deus

Fado (Homenagem ao tio Pedro Veiga)

Imortais

Cúmplices

Largar mais

Abraça-me bem

Outra margem de mim

Olha como a vida é boa

Encore

Uma noite para comemorar

Um pouco de céu

Cada lugar teu

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na foto para visualizar a fotorreportagem completa

 

Karen Lugo no Festival Flamenco no Casino do Estoril

 

A 23 de Fevereiro, decorreu no “Lounge D” do Casino do Estoril, o segundo espectáculo de Flamenco de uma série de quatro. Este com Karen Lugo, bailarina e coreografa, que teve acompanhamento musical composto por violino, voz com ritmo e, naturalmente, guitarra clássica.

 

Karen Lugo deu um espectáculo de cerca de uma hora, entrando em palco em três actos com coreografias de temas diferentes, tendo o traje característico de cada um deles marcado a diferença.

 

A qualidade da sua dança artística e determinada, com o movimento sempre alinhado rigorosamente com a música foram factor de sucesso nas suas coreografias.

 

O seu conjunto de apoio, para além da grande performance com que actuou desenvolvendo o som que Karen Lugo necessitava para a sua actuação, teve dois momentos de execução a solo, na transição de temas da dançarina de Flamenco.

 

No primeiro momento, Karen actuou com um traje vermelho ligeiro, apropriado para a coreografia que encenou com um excelente ritmo de pés no sapateado que exibiu.

 

De seguida usou um motivo mais sevilhano, também com cor base vermelha, com uma dança mais circular e expressiva, aproveitando o potencial dos folhos do seu colorido vestido rodado, característico da região andaluza, que Karen tão bem utilizou mostrou para enriquecer a variedade da sua segunda coreografia.

 

Já a caminhar para a fase final, a artista apresentou-se com um traje escuro com motivos dourados, e o tradicional leque.

 

No agradecimento de Karen Lugo e os seus músicos ao público no final do espectáculo, a artista recebeu um ramo de flores ao mesmo tempo que o “Longue D” do Casino aplaudia de pé a esta grande actuação.

 

Olé Karen !!!

 

O Festival Flamenco, no Casino do Estoril, é composto por quatro espectáculos, que decorrem todas as 5ªas Feiras de 16 de Fevereiro a 9 de Março pelas 22 horas.

 

Tendo já actuado Alberto Ruiz e Karen Lugo, estará no palco do “Lounge D” do Casino do Estoril já na próxima 5ª Feira a artista La Truco e, finalizará esta série de espectáculos de Flamenco o bailarino, coreógrafo e maestro Jesus Ortegana que actuará durante a Grande Gala de Encerramento, .

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

 

clique na foto para visualizar a fotorreportagem completa

 

GNR no Casino do Estoril

 

Os GNR deram o penúltimo concerto da digressão comemorativa dos seus 35 anos de carreira no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril a 9 de Fevereiro. O espectáculo final é feito “em casa” no Coliseu do Porto no dia 11 do mesmo mês.

 

A banda reviveu músicas que marcaram o seu percurso ao longo deste tempo. Temas imortalizados tais como “Efectivamente”, “Caixa Negra”, “Ana Lee”, Sangue Oculto”, “Pronúncia do Norte” entre outros.

 

O espectáculo que superou as duas horas de duração teve convidados que gravaram com a banda ao longo do tempo e que também fizeram parte desta digressão tais como: Rita Redshoes, Javier Andreu e Isabel Silvestre. Tanto Rita Redshoes como Isabel Silvestre interpretaram temas a solo, e também actuaram em dueto ao microfone com Rui Reininho, assim como o fez Javier Andreu.

 

Som, luz, projecção e acção, foram características chave para um bom espectáculo.

 

Já numa fase avançada do concerto, o público ficou de pé a acompanhar a banda, com palmas ritmadas, a cantar em conjunto com os artistas, tudo com uma grande dinâmica da sala.

 

Os GNR regressaram por duas vezes ao palco, pois o pedido do público era tal que a banda não recusou aos fãs mais esses momentos desta festa musical.

 

Quando terminaram a actuação e sob uma grande ovação vinda da sala, todos os elementos que actuaram, inclusive os convidados, fizeram a vénia final de agradecimento ao carinho com que foram recebidos no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na foto para visualizar a fotorreportagem completa

 

 

Periodicidade Diária

sábado, 19 de janeiro de 2019 – 00:01:34

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...