14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Lambchop, Pascal Pinon, Mariana Aydar & Dani Black entre os nomes para o primeiro trimestre de 2017 em Espinho

 

2017 começa no Auditório de Espinho no próximo dia 14 de Janeiro ao som da Orquestra de Jazz da EPME, sob direcção de Daniel Dias e Paulo Perfeito, com o espectáculo “Sing, sing, sing... But you better Swing!”. Poucas personagens representam de forma tão fiel o sonho americano como o Rei do Swing. Oriundo de Chicago e de uma família que escapou ao antissemitismo na Rússia, o clarinetista Benny Goodman ascendeu meteoricamente ao universo das estrelas do Jazz. Neste concerto, o Jazz do salão de dança vai saltar para o auditório num serão em que o clarinete será o solista. Entre os dias 17 e 20 de Janeiro, e cumprindo uma tradição da programação regular do Auditório de Espinho, a companhia Teatro Actus representará quatro grandes clássicos portugueses especialmente dirigidos ao público escolar: Os Lusíadas de Luis de Camões, Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente, Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett e Felizmente há luar! de Luís de Sttau Monteiro.

 

Ainda em Janeiro, no dia 18, o Auditório de Espinho recebe os Lambchop, uma das grandes instituições norte-americanas das últimas décadas. Figuras centrais do alt country, os Lambchop souberam criar a sua marca própria ao longo das últimas décadas. Acabam de lançar o seu novo disco, FLOTUS, com o selo da City Slang, inspirado nos sons quotidianos de Nashville – cidade natal da banda - e que representa um momento admirável de reinvenção dos norte-americanos. Fevereiro arranca no dia 4 com o espectáculo “Maresia”, do NEFUP. O Mar, fonte da nossa história, é o tema central. O drama dos frequentes naufrágios, as condições de trabalho precárias, o importante papel das mulheres, a solidariedade sempre presente, bem como a religiosidade e a festa, surgem em Maresia tratados de forma teatral, aliando a música e a dança tradicionais ao drama e comicidade dos diálogos que ilustram o espetáculo.

 

No dia 10 de Fevereiro, a brasileira Mariana Aydar apresenta-se em Espinho com um espectáculo inédito ao lado do compatriota Dani Black. A aplaudida voz de Pedaço de Uma Asa trocará canções em palco com o jovem compositor Dani Black que tem dado hinos às novas gerações brasileiras a partir de São Paulo, como aconteceu com o hit viral “Trono de estudar”, que resultou em versões de gente como Chico Buarque ou Arnaldo Antunes, por exemplo. Cumplicidade made in São Paulo para um concerto que se prevê único e imperdível. A também brasileira Márcia Castro actuará na primeira parte do concerto.

 

Março arranca no dia 4 com o festival itinerante UM AO MOLHE que regressa ao Auditório de Espinho com mais três propostas da nova música portuguesa em solitário. Desta feita, no feminino. Servindo-se do violoncelo, voz e loopstation, Joana Guerra é uma cantautora cujas composições transitam entre a canção e a experimentação acústica. Apresenta o muito elogiado Cavalos Vapor. SURMA é o projecto one-woman-band de Débora Umbelino, onde domina teclas, samplers, cordas, vozes e loop stations em sonoridades que fogem do jazz para o post-rock, da electrónica para o noise e nos levam para paragens mais ou menos incertas. Pela terceira vez no AdE, emmy Curl, que nos últimos anos tem sabido criar um lugar muito especial na música independente nacional, continua em digressão, a navegar o seu Navia, revelando e partilhando músicas que fazem parte do novo álbum.

 

No dia 10 de Março, as islandesas Pascal Pinon apresentam-se em Espinho em estreia nacional absoluta. Ásthildur e Jófríður Ákadóttir fundaram a dupla em 2009 e lançaram o primeiro disco quando ambas tinham apenas 14 anos. O novo disco, Sundur, é o documento mais cru e diverso que lançaram até hoje, explorando uma influência folk e um som minimalista com o inconfundível toque islandês. Neste concerto muito especial, terão a colaboração de um ensemble de cordas da Escola Profissional de Música de Espinho.

 

Como é habitual em Março, o Festival Mar Marionetas passa pelo Auditório de Espinho. Desta feita com dois espectáculos: “JAREN”, pela companhia japonesa Yumehina Theater, no dia 11, e “Mon Ami le Monstre”, pelo Clair de Lune Théâtre, no dia 26. No dia 18 de Março, a Orquestra Clássica de Espinho, dirigida pelo maestro Alpaslan Ertungealp, apresenta-se no Auditório de Espinho com a promessa de que a heterogeneidade do ideal orquestral é o principal personagem do concerto. Do programa farão parte obras de Joseph Haydn, Richard Wagner e Felix Mendelssohn Bartholdy

Periodicidade Diária

sexta-feira, 7 de agosto de 2020 – 01:43:40

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...