15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Serões Musicais no Palácio da Pena

 

O Salão Nobre do Palácio Nacional da Pena foi o lugar escolhido para a realização dos “Serões Musicais”, que irão transportar o público aos saraus intimistas concretizados pela corte na segunda metade do século XIX.

 

Tendo como diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo, os 6 diferentes programas distribuídos por 8 concertos noturnos, realizados às 21h00, vão levar grandes obras da música de câmara do século XIX ao Salão Nobre do Palácio.

 

De França à Rússia dos czares, passando pela Alemanha, Áustria e Boémia, mas sem esquecer a música portuguesa, reedita-se o cosmopolitismo dos saraus musicais promovidos neste mesmo espaço pelo rei-artista D. Fernando II de Saxe-Coburgo e Gotha.

 

Este evento encontra-se inserido nas comemorações dos 25 anos da elevação de Sintra a Paisagem Cultural da Humanidade

 

A 6.ª edição do ciclo “Serões Musicais” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP).

 

 

Consulte aqui a programação [PDF]

 

Como chegar:

A fim de tornar as iniciativas da Parques de Sintra cada vez mais sustentáveis, nesta edição dos Serões Musicais no Palácio da Pena, os espetadores não poderão entrar no Parque com as suas viaturas particulares, sendo o transporte do portão principal até à base do Palácio assegurado por um transfer (incluído no bilhete do concerto) a partir das 20h00.

O estacionamento deverá ser feito junto ao portão principal.

A circulação em viatura particular pela Calçada da Pena até ao portão principal do Parque da Pena será permitida exclusivamente para acesso aos concertos dos Serões Musicais. Em caso de necessidade, os espetadores deverão apresentar o bilhete do concerto às entidades competentes.

 

Periodicidade Diária

sábado, 31 de outubro de 2020 – 02:23:54

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...