Red Bull Air Race World Championship: piloto japonês regressou à sua melhor forma em Abu Dhabi

 

Mais de 50 mil espectadores assistiram este fim de semana em Abu Dhabi à Red Bull Air Race World Championship. No arranque da nova temporada voltámos a encontrar em destaque três nomes incontornáveis da aviação desportiva – o japonês Muroya, o checo Šonka e o norte-americano Goulian. O Samurai dos céus marcou o ritmo e regressou às vitórias em grande estilo.

 

As águas azul turquesa do Golfo Arábico, com os impressionantes arranha céus de Abu Dhabi em pano de fundo, voltaram no último fim de semana (8 e 9 de fevereiro) a servir de cenário para o arranque da temporada da Red Bull Air Race World Championship. Mais de 50 mil espectadores acompanharam de perto toda a ação.

 

Apesar do bom tempo, com céu azul e temperaturas moderadas para a região, os ventos instáveis complicaram a missão dos melhores pilotos do planeta neste clássico do calendário. Muitos erros e penalizações foram uma constante ao longo desta jornada, o que acabou por colocar em destaque três nomes que se afirmaram ao longo da última década como autênticas lendas vivas do desporto aéreo: o japonês Yoshihide Muroya (Campeão do Mundo de 2017), o checo Martin Šonka (atual Campeão do Mundo) e o norte-americano Michael Goulian (terceiro classificado em 2018).

 

Repetindo a vitória aqui alcançada em 2017, Muroya superou por escassos 0.003 segundos Šonka numa final particularmente intensa. Com as mudanças agora introduzidas no sistema de pontuações, o japonês conseguiu amealhar o máximo de pontos possíveis numa só etapa. Assim, somou três pontos com a vitória na Qualificação aos 25 indexados ao primeiro lugar do pódio. “Esta foi uma vitória muito à justa! Devido a uma mudança nos ventos de 180 graus, foi particularmente difícil passar nos pórticos. Acho que o nosso segredo foi a consistência, que se verificou do primeiro treino à grande final”, comentou Muroya depois deste regresso à liderança do campeonato. Šonka e Goulian completaram, respetivamente, o pódio

 

Na classe de promoção, a Challenger Class, a vitória pertenceu ao alemão Florian Berger, com a francesa Mélanie Astles em segundo e o norte-americano Kevin Coleman em terceiro.

 

RED BULL AIR RACE WORLD CHAMPIONSHIP 2019

 

CLASSIFICAÇÕES MASTER CLASS | APÓS 1 ETAPA

 

1º Yoshihide Muroya Japão 28 PONTOS

2º Martin Šonka República Checa 22 PTS

3º Michael Goulian EUA 21 PTS

4º Nicolas Ivanoff França 18 PTS

5º Matt Hall Austrália 14 PTS

6º Juan Velarde Espanha 13 PTS

7º Mika Brageot França 12 PTS

8º Kirby Chambliss EUA 11 PTS

9º Pete McLeod Canadá 05 PTS

10º Petr Kopfstein República Checa 04 PTS

 

CLASSIFICAÇÕES CHALLENGER CLASS | APÓS 1 ETAPA

 

1º Florian Berger Alemanha 10 PONTOS

2º Mélanie Astles França 08 PTS

3º Kevin Coleman EUA 06 PTS

4º Sammy Mason EUA 04 PTS

 

CALENDÁRIO:

 

Emiratos Árabes Unidos Abu Dhabi | 8 e 9 fevereiro

Europa localização a confirmar

Rússia Kazan | 15 e 16 junho

Hungria Budapeste | 13 e 14 julho

Japão Chiba | 7 e 8 setembro

Ásia localização a confirmar

Estados Unidos da América Indianápolis | 19 e 20 outubro

Arábia Saudita localização a confirmar | 8 e 9 novembro

 

PILOTOS:

 

#MASTER CLASS

 

Cristian Bolton Chile

Mikael Brageot França

Kirby Chambliss Estados Unidos da América

Matthias Dolderer Alemanha

Michael Goulian Estados Unidos da América

Matt Hall Austrália

Nicolas Ivanoff França

Petr Kopfstein República Checa

François Le Vot França

Pete McLeod Canadá

Yoshihide Muroya Japão

Ben Murphy Reino Unido

Martin Šonka República Checa

Juan Velarde Espanha

 

#CHALLENGER CLASS

 

Mélanie Astles França

Florian Berger Alemanha

Kenny Chiang China

Kevin Coleman Estados Unidos da América

Dario Costa Itália

Luke Czepiela Polónia

Patrick Davidson África do Sul

Daniel Ryfa Suécia

Baptiste Vignes França

Sammy Mason Estados Unidos da América

Patrick Strasser Áustria

Vito Wyprächtiger Suíça

 

ACERCA DA RED BULL AIR RACE WORLD CHAMPIONSHIP

 

Criada em 2003, a Red Bull Air Race World Championship já cumpriu mais de 90 corridas à volta do Mundo. Decorrendo sob a égide da Federação Internacional de Aeronáutica (FAI) e reconhecido como o único Campeonato do Mundo da aviação desportiva (velocidade) envolve os melhores pilotos do plante numa intensa disputa que combina velocidade, precisão e destreza.

 

Para isso são usados os mais rápidos, leves e ágeis aviões, com os pilotos a atingirem velocidades de 370km/h, enfrentando forças de até 12G, enquanto progridem a baixa altitude num percurso em forma de slalom, delimitado por pórticos insufláveis de 25 metros de altura.

 

A Challenger Cup foi introduzida em 2014, abrindo assim a possibilidade de competir a um novo leque de pilotos, cuja evolução será potencialmente avançar para a Master Class, acedendo à disputa do Campeonato do Mundo.

 

 

 

 

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...