João Vieira, 7.º nos 20 km masculinos da Taça da Europa

O português João Vieira classificou-se no sétimo lugar dos 20 km masculinos da Taça da Europa de Marcha, ontem, em Dudince, terminando com 1.23.03 h. A vitória foi para o russo Denis Strelkov, com 1.21.40 h, tendo o seu país sido o vencedor colectivo.

O início da competição foi em ritmo moderado, com João Vieira na retaguarda do pelotão da frente, composto de cerca de vinte unidades e que incluía todos os favoritos: Denis Strelkov (Rússia), Petr Trofimov (Rússia), Erik Tysse (Noruega), Matej Tóth (Eslováquia), Robert Heffernan (Irlanda), Christopher Linke (Alemanha). Sérgio Vieira e António Pereira seguiam em pelotões mais recuados, pelo meio da tabela.

No final da primeira légua, o grupo da frente contava 15 atletas, que contabilizavam 20.21 m. João Vieira passava dois lugares depois.

A meio da prova, a liderança estava a cargo, mais uma vez, dos russos, com Strelkov, Trofimov e Andrey Ruzavin a rebocar o pelotão da frente, com as onze unidades a registarem 40.48 m (no grupo seguia ainda o quarto elemento da Rússia, Aleksander Ivanov).

Foi a partir daí que se abriram as hostilidades a sério, partindo Denis Strelkov para uma fuga que rapidamente lhe deu 50 metros de avanço. Atrás dele, um quinteto, com os compatriotas Ivanov e Ruzavin, o eslovaco Matej Tóth, o ucraniano Ruslan Dmytrenko e ainda o espanhol Miguel Ángel López. João Vieira era 15.º

À entrada para a légua final, o português subiu um lugar, encontrando-se cerca de 500 metros atrás da liderança. O grupo que segue Strelkov deixa de contar Ruzavin e Dmytrenko, sobrando três atletas em luta pela prata e pelo bronze da classificação individual: Tóth, Ivanov e López. O avanço do líder cifra-se em quase cem metros.

Ivanov cede pouco depois dos 17 quilómetros, mas a Rússia mantém grande vantagem colectiva, com o terceiro atleta (Andrey Ruzavin) no oitavo posto.

Miguel Ángel López ataca pouco depois e isola-se no segundo lugar, deixando o atleta da casa a contentar-se com o lugar mais baixo do pódio. É também a altura em que João Vieira entra nos dez primeiros.

Na volta final Strelkov tem de defender de forma dramática uma vantagem que se reduzira a metade à passagem dos 19 quilómetros.

Na meta, Denis Strelkov registaria 1.21.40 h, contra 1.21.46 h de López e 1.21.51 h de Tóth. Mercê de extraordinária ponta final, João Vieira chega na sétima posição, com 1.23.03 h. Sérgio Vieira termina em 29.º lugar (1.27.14) e António Pereira é 50.º (1.34.23).

Por equipas, a Rússia vence com 20 pontos (1.º, Strelkov; 4.º, Ivanov; 15.º, Ruzavin), à frente da Ucrânia e da Polónia. Portugal contabilizou 86 pontos, que valeram o 9.º lugar.

Classificação

1.º, Denis Strelkov, (Rússia), 1.21.41
2.º, Miguel Ángel López (Espanha), 1.21.49
3.º, Matej Tóth (Eslováquia), 1.21.52
4.º, Aleksandr Ivanov (Rússia), 1.22.16
5.º, Ruslan Dmytrenko (Ucrânia), 1.22.31
6.º, Erik Tysse (Noruega), 1.22.44
7.º, Joao Vieira (Portugal), 1.23.04
8.º, Rafał Augustyn (Polónia), 1.23.17
9.º, Robert Heffernan (Irlanda), 1.23.27
10.º, Christopher Linke (Alemanha), 1.23.29
11.º, Andriy Kovenko (Ucrânia), 1.23.35
12.º, Dzianis Simanovich (Bielorrússia), 1.23.42
13.º, Giorgio Rubino (Itália), 1.23.59
14.º, Ivan Losev (Ucrânia), 1.24.06
15.º, Andrey Ruzavin (Rússia), 1.24.12
16.º, Łukasz Nowak (Polónia), 1.24.25
17.º, Petr Trofimov (Rússia), 1.24.42
18.º, Anatole Ibánez (Suécia), 1.24.45
19.º, Ivan Trotski (Bielorrússia), 1.24.55
20.º, Jakub Jelonek (Polónia), 1.25.26
21.º, Andrei Talashka (Bielorrússia), 1.25.54
22.º, Nazar Kovalenko (Ucrânia), 1.26.13
23.º, Andreas Gustafsson (Suécia), 1.26.35
24.º, Hagen Pohle (Alemanha), 1.26.40
25.º, Heikki Kukkonen (Finlândia), 1.26.59
26.º, Matteo Giupponi (Itália), 1.27.02
27.º, Kevin Campion (França), 1.27.10
28.º, Dušan Majdán (Eslováquia), 1.27.11
29.º, Sérgio Vieira (Portugal), 1.27.15
30.º, Francisco Arcilla (Espanha), 1.27.20
31.º, Tom Bosworth (Grã-Bretanha e Iranda do Norte), 1.27.35
32.º, Vito Di Bari (Itália), 1.27.43
33.º, Antonin Boyez (França), 1.27.54
34.º, Arnis Rumbenieks (Letónia), 1.28.53
35.º, Brendan Boyce (Irlanda), 1.28.57
36.º, Luís Manuel Corchete (Espanha), 1.29.18
37.º, Lukáš Gdula (Rep. Checa), 1.30.01
38.º, Máté Helebrandt (Hungria), 1.30.17
39.º, Vladimir Savanović (Sérvia), 1.30.26
40.º, Yauhen Zaleski (Bielorrússia), 1.30.39
41.º, Daniele Paris (Itália), 1.31.13
42.º, Genadij Kozlovskij (Lituânia), 1.31.15
43.º, Alex Wright (Grã-Bretanha e Iranda do Norte), 1.31.18
44.º, Tadas Šuškevičius (Lituânia), 1.32.20
45.º, Aleksi Ojala (Finlândia), 1.32.40
46.º, Karel Ketner (Rep. Checa), 1.33.09
47.º, Cian McManamon (Irlanda), 1.33.13
48.º, Aurelien Quinion (França), 1.33.23
49.º, Carl Dohmann (Alemanha), 1.33.30
50.º, António Pereira (Portugal), 1.34.23
51.º, Zdeno Babík (Eslováquia), 1.34.26
52.º, Nils Brembach (Alemanha), 1.34.36
53.º, Pavel Schrom (Rep. Checa), 1.35.26
54.º, Sándor Rácz (Hungria), 1.35.54
55.º, Lauri Lelumees (Estónia), 1.36.07
56.º, Miklós Srp (Hungria), 1.38.53
57.º, Kemal Gelecek (Turquia), 1.40.41
58.º, Edgars Gjačs (Letónia), 1.42.11
59.º, Joakim Salen (Noruega), 1.43.53
60.º, Ozgur Ozan Pamuk (Turquia), 1.45.01
61.º, Iuri Tatarciuc (Moldova), 1.45.12
62.º, Ersín Tacir (Turquia), 1.46.17

Por equipas

1.ª, Rússia, 20 pontos
2.ª, Ucrânia, 30
3.ª, Polónia, 44
4.ª, Bielorrússia, 52
5.ª, Espanha, 68
6.ª, Itália, 71
7.ª, Eslováqquia, 82
8.ª, Alemanha, 83
9.ª, Portugal, 86
10.ª, Irlanda, 91
11.ª, França, 108
12.ª, República Checa, 136
13.ª, Hungria, 148
14.ª, Turquia, 179

O Marchador








  

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...