14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Elena Lashmanova e João Vieira vencem em Rio Maior

A três dias de completar 21 anos, a atleta russa Elena Lashmanova foi a vencedora dos 20 km femininos do 22.º Grande Prémio Internacional de Rio Maior em Marcha Atlética, torneio em que João Vieira (Sporting CP) se impôs nos 20 km masculinos. A campeã olímpica terminou com 1.28.19 h, à frente da guatemalteca Mirna Ortíz (1.28.31) e de Ana Cabecinha (CO Pechão, 1.29.21), enquanto o sportinguista registou 1.21.08 h, antes de Sérgio Vieira (SL Benfica, 1.21.53) e do mexicano Diego Flores (1.21.56). Os três portugueses e ainda Inês Henriques (CN Rio Maior, 4.ª, 1.29.56) superaram os mínimos A para os mundiais de Moscovo do próximo Verão.

Elena Lashmanova teve sempre a prova controlada, limitando-se a estar atenta na frente da competição e esperando os momentos adequados para desferir os ataques decisivos. Integrando o grupo da dianteira, a russa teve na primeira metade da prova a companhia das principais adversárias. Após a passagem aos dez quilómetros, Lashmanova e Ortíz ficaram sozinhas no comando da prova, situação que se manteve ao longo de uma légua. Aos 16 quilómetros, a russa já passava isolada, mantendo a posição até à meta, que cortou com 12 segundos de avanço sobre a centroamericana, que com 1.28.31 h, bateu o recorde da Guatemala e das Américas Central e do Norte. Apesar do conforto da vitória, Lashmanova ficou a dois minutos e meio da marca que obteve a 23 de Fevereiro em Sóchi, 1.25.49 h, a melhor alcançada em 2013 no sector feminino.

Quanto às portuguesas, Ana Cabecinha conseguiria destacar-se de Inês Henriques após os 12.º quilómetro, ganhando uma vantagem que lhe permitiu segurar o terceiro posto, com a melhor marca nacional do ano, tendo Inês Henriques conseguido mais uma vez baixar da hora e meia. Piorando um lugar em relação a 2012, quando foram 2.ª e 3.ª, Ana e Inês melhoraram, respectivamente, 1.47 m e 1.36 m em relação ao ano passado. De acordo com os critérios da F.P.A., Inês Henriques garantiu a segunda vaga para os mundiais de Moscovo, devendo a terceira ser conhecida após a Taça da Europa de Dudince.

Referência ainda para os recordes pessoais de Daniela Cardoso (Leiria MA, 1.41.37) e Vitória Oliveira (SL Benfica, 1.46.19), sendo que a primeira superou os mínimos para os europeus de Sub-23 (1.45.00).

Cedo atrasadas do grupo da frente, a mexicana Monica Equihua (1.31.09) e a espanhola Beatriz Pascual (1.31.48), vencedora em 2012, foram quinta e sexta, respectivamente. A atleta do México melhorou substancialmente o recorde pessoal, antes cifrado em 1.32.28 h.

No sector masculino, os irmãos Vieira, atletas da terra ainda que a representar clubes de Lisboa, acabaram por ocupar os dois primeiros lugares. No caso de Sérgio, é necessário recuar cinco anos para encontrar uma marca do nível da alcançada nesta prova (1.21.53), tendo em 2008 obtido na Taça do Mundo de Cheboksary 1.21.25 h.

Depois de uma fase inicial com algumas «escaramuças» na frente, João Vieira assumiu a liderança da prova com Erick Barrondo (Guatemala) cerca dos oito quilómetros, cumprindo metade da prova em 40.31 m. Cerca dos 15 quilómetros, o guatemalteco seria desclassificado (destino partilhado por dois dos três compatriotas em prova), ficando João Vieira isolado no primeiro lugar, que manteria até final a ritmo um pouco mais moderado do que nas primeiras três léguas.

Nos três quilómetros finais, Sérgio Vieira conseguiu «livrar-se» de Diego Flores, cuja companhia tivera ao longo de grande parte da prova (tal como do sueco Andreas Gustafsson, que acabaria desclassificado), e terminar com menos três segundos que o mexicano.

Após os lugares do pódio ficou cavado um «buraco» superior a dois minutos, com o «sobrevivente» guatemalteco Jaime Quiyuch a ser quarto, com 1.23.58 h, à frente do equatoriano Andrés Chocho (1.24.33) e do melhor espanhol, Francisco Arcilla (1.24.46). Na sétima posição, Pedro Isidro registou 1.25.26 h, a quatro segundos do recorde pessoal, estabelecido em 2008, também na Taça do Mundo de Cheboksary. Mas nas marcas intermédias superou esses recordes, com 42.15 m aos 10 km (antes, 42.27) e 1.03.46 h aos 15 km (antes, 1.04.09).

Nota ainda para António Pereira (ACR Estrela de Baguim) e Miguel Carvalho (CN Rio Maior). O atleta nortenho, depois do segundo espanhol (Luis Alberto Amezcua, 1.25.49), terminou na nona posição, com 1.27.02 h, a dois segundos da marca de referência para a Taça da Europa de Marcha, apesar do «forcing» notado no último quilómetro, muito mais rápido do que quase todas as voltas precedentes. Já o ribatejano de 18 anos, ao concluir na 13.ª posição, ficou a apenas 10 segundos de baixar da hora e meia, expectativa que comprometeu nos dois quilómetros finais e após uma primeira metade cumprida em 44.23 m.

Bons recordes nos juniores

No escalão de juniores, cumpriu-se o previsto despique entre Mara Ribeiro (CN Rio Maior), Filipa Ferreira (CO Pechão) e Amanda Cano (Espanha) nos 10 km femininos. O trio manteve-se unido até aos seis quilómetros, depois de a meia prova ter sido comp'letada em 24.35 m. Após isso, Filipa e Amanda começaram a ceder, ainda que nunca acumulando grande atraso em relação a Mara, que conseguia ir mantendo o ritmo bastante regular na frente. Ainda assim, todas tiveram de aplicar-se com um quilómetro final mais forte, terminando as duas primeiras como novos máximos pessoais.

Mara Ribeiro seria a vencedora, com 49.00 m, retirando 49 segundos ao anterior máximo. Progressão ainda maior foi o de Filipa Ferreira, segunda, com 49.08 m, menos 57 segundos que o recorde pessoal anterior. Amanda Cano terminou no terceiro lugar, com 49.16 m.

As duas portuguesas confirmaram marcas de referência para a Taça da Europa de Dudince e mínimos para os europeus de juniores de Rieti. Recordes pessoais também para a ainda juvenil Edna Barros (CO Pechão, 5.ª, 52.50) e Mariana Mota (CA Ferreira do Zêzere, 6.ª, 53.01).

Nos rapazes, todos os atletas chegados terão batido os respectivos recordes pessoais, com destaque para os espanhóis classificados nos dois primeiros lugares, ambos na casa dos 43 minutos: Pablo Oliva (43.15) e Fabian Bernabé (43.43). Concluindo no terceiro lugar, o serrano Rui Coelho (CA Seia) foi o melhor português, com 45.14 m, melhorando o máximo pessoal por oito segundos e posicionando-se para garantir lugar na Taça da Europa, onde, tudo indica, terá a sua primeira internacionalização.

Nota ainda para os juvenis Hélder Santos (GDP Chão Duro, 46.20) e Miguel Rodrigues (CN Rio Maior, 47.24), quarto e quinto nesta prova de juniores, superando os mínimos para os mundiais do seu escalão (48.25), a realizar em Donetsk (Ucrânia), de 10 a 14 de Julho.
 
Resultados:
 
20 km femininos
1.ª, Elena Lashmanova, 1992 (Rússia), 1.28.19
2.ª, Mirna Ortíz, 1987 (Guatemala), 1.28.31
3.ª, Ana Cabecinha, 1984 (CO Pechão), 1.29.21
4.ª, Inês Henriques, 1980 (CN Rio Maior), 1.29.56
5.ª, Monica Equihua, 1982 (México), 1.31.09
6.ª, Beatriz Pascual, 1982 (Espanha), 1.31.49
7.ª, Ainhoa Pinedo, 1983 (Espanha), 1.32.32
8.ª, Kristina Saltanovic, 1975 (Lituânia), 1.33.47
9.ª, Vera Santos, 1981 (Sporting CP), 1.34.36
10.ª, Jamy Franco, 1991 (Guatemala), 1.35.53
11.ª, Paula V. Pérez, 1989 (Equador), 1.39.15
12.ª, Daniela Cardoso, 1991 (Leiria MA), 1.41.37
13.ª, Maria Lários, 1992 (Espanha), 1.44.05
14.ª, Vitória Oliveira, 1992 (SL Benfica), 1.46.19
15.ª, Sandra Silva, 1975 (Gira Sol - RC), 1.48.38
16.ª, Mirian Costas, 1993 (Espanha), 2.00.11
Desclassificada: Mayra Herrera, (Guatemala).
Desistentes: Erica R. de Sena (Brasil), Eva Igesias (Espanha), Samanta Mulloni (Espanha) e Nádia Cancela (SL Benfica).
 
20 km masculinos
1.º, João Vieira, 1976 (Sporting CP), 1.21.08
2.º, Sérgio Vieira, 1976 (SL Benfica), 1.21.53
3.º, Diego Flores, 1987 (México), 1.21.56
4.º, Jaime Quiyuch, 1988 (Guatemala), 1.23.58
5.º, Andrés Chocho, 1983 (Equador), 1.24.33
6.º, Francisco Arcilla, 1984 (Espanha), 1.24.46
7.º, Pedro Isidro, 1985 (SL Benfica), 1.25.26
8.º, Luís A. Amezcua, 1992 (Espanha), 1.25.49
9.º, António Pereira, 1975 (ACR Estrela de Baguim), 1.27.02
10.º, Daniel Pintado, 1995 (Equador), 1.27.11
11.º, Juan A. Porras, 1972 (Espanha), 1.29.05
12.º, Haavard Haukenes, 1990 (Noruega), 1.29.13
13.º, Miguel Carvalho, 1994 (CN Rio Maior), 1.30.10
14.º, Dionísio Ventura, 1979 (FAMA Ferreira do Alentejo), 1.31.35
15.º, Joaquim Saelen, 1993 (Noruega), 1.32.18
16.º, Mário Sillero, 1990 (Espanha), 1.33.13
17.º, Rodrigo Domínguez, 1977 (Espanha), 1.39.12
18.º, Manuel J. Angueira, 1972 (Espanha), 1.42.51
19.º, André Pagaime, 1993 (GDP Chão Duro), 1.51.47
20.º, Pedro A. Cortizas, 1967 (Espanha), 2.00.03
21.º, Rogério Filipe, 1959 (CP Alcanena), 2.00.13
Desclassificados: Erick Barrondo, 1991 (Guatemala), Aníbal Paau, 1987 (Guatemala), Luís A. Sánchez, 1993 (Guatemala), John Adzraku, 1974 (Gana), Andreas Gustafsson, 1981 (Suécia), e Giovani Torres, 1900 (México).
Desistentes: Armando Pereira, 1993 (Espanha), Ivan Pajuelo, 1993 (Espanha), Bruno Pedro, 1993 (GA Casais Vento), Cristiano António, 1988 (AC Vermoil), Pedro Martins, 1968 (CA Seia), Pedro Santos, 1992 (SL Benfica), Ricardo Fernandes, 1992 (J Vidigalense), e Samuel Pereira, 1993 (CA Seia).
 
10 km juniores femininos
1.ª, Mara Ribeiro, 1995 (CN Rio Maior), 49.00
2.ª, Filipa Ferreira, 1994 (CO Pechão), 49.08
3.ª, Amanda Cano, 1994 (Espanha), 49.16
4.ª, Lídia Sánchez-Puebla, 1996 (Espanha), 51.24
5.ª, Edna Barros, 1996 (CO Pechão), 52.50
6.ª, Mariana Mota, 1995 (CA Ferreira do Zêzere), 53.01
7.ª, Carmen Fuentes, 1997 (Espanha), 53.19
 
10 km juniores masculinos
1.º, Pablo Oliva, 1996 (Espanha), 43.15
2.º, Fabian Bernabé, 1995 (Espanha), 43.43
3.º, Rui Coelho, 1994 (CA Seia), 45.14
4.º, Hélder Santos, 1996 (GDP Chão Duro), 46.20
5.º, Miguel Rodrigues, 1996 (CN Rio Maior), 47.24
Desistente: João Martins, 1995 (CA Ferreira do Zêzere).
 

O Marchador
 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 18 de novembro de 2019 – 13:56:02

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...