14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Pechão e Oliveira do Douro conquistam Taça de Portugal

 

O Clube Oriental de Pechão, no setor feminino, e o Clube de Futebol de Oliveira do Douro, no setor masculino, conquistaram, no sábado, na pista de Vagos, a segunda edição da Taça de Portugal de Marcha Atlética, uma organização da Federação Portuguesa de Atletismo, e que contou com a presença de 56 atletas.
 
O triunfo coletivo, em ambos os sexos, foi muito discutido, sendo que no setor feminino, a equipa algarvia, que revalidou o título (com várias das suas melhores atletas a competir em Dudince nesse mesmo sábado) triunfou com apenas um ponto mais que a equipa do CDR Ribeirinho (segunda classificada), e mais dois pontos que o CN Rio Maior. No setor masculino, a equipa de Oliveira do Douro, pela primeira vez vitoriosa, obteve os mesmos pontos que a agremiação do CA Seia (segunda classificada) que já no ano passado fora também segunda. A equipa açoriana da Juventude Ilha Verde ocupou o terceiro lugar do pódio.
 
Apesar dos resultados oficiais apurarem vários clubes pontuados coletivamente, apenas 4 clubes nos masculinos (em vez dos 11 listados) e 10 nos femininos (em vez dos 17) cumprem com o ponto 4.4 do regulamento que diz «São classificados coletivamente, em cada sexo, os clubes que apresentem pelo menos dois atletas classificados (na mesma prova ou em provas diferentes)».
 
No plano individual e em femininos, o destaque vai para Inês Henriques (CN Rio Maior), que venceu a prova dos 10.000 metros marcha, com o tempo de 43.52,80 seguindo-se, na classificação geral, Mara Ribeiro (SL Benfica), atleta sub-23, com 47.19,09, e Vitória Oliveira (SL Benfica), com 47.49,27.
 
Na competição masculina, Miguel Rodrigues (CN Rio Maior), triunfou com o tempo de 43.38,86, seguido de Rui Coelho (CA Seia), com 44.48,35, e de João Martins (CA Ferreira do Zêzere), com 44.53,31, todos do escalão sub-23.
 
Nas provas para os mais jovens, uma referência especial para Inês Reis (PC Covilhã) que triunfou nos 5.000 metros, com um novo recorde pessoal de 24.47,77, confirmando os mínimos para o Campeonato da Europa de Juvenis (sub-18), que terá lugar na Geórgia.
 
Nota menos positiva para a organização do evento que não chegou a divulgar as inscrições e tardiamente colocou os resultados (apenas surgiram, na segunda-feira, no site da AA Aveiro), perdendo-se uma boa oportunidade de promoção para a marcha atlética de um evento com tradições na especialidade. Na pista, a prova feminina teve de ser atrasada, pelo menos, meia hora, por se ter verificado a errada colocação das atletas na partida, facto alertado pela internacional Inês Henriques, requerendo uma nova medição.
 
Os juízes especialistas de marcha que atuaram nas competições foram José Ganso (juiz-chefe), Argentina Cordeiro, Albertino Saramago, José Guerra, Sérgio Pereira e Bruno Ferreira.
 
Uma última nota para referir que continua a ser pouco dignificante que para o acesso a um evento federativo e de âmbito nacional se coloquem mínimos de participação como, por exemplo, 39.00,00 para as juvenis, querendo isto dizer que é aceitável para a FPA um atleta marchar a quase 8 minutos por km (7.48 m)!
 
O Marchador

Periodicidade Diária

segunda-feira, 21 de outubro de 2019 – 17:27:02

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...