14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

“Natal em Lisboa ou o descalabro do Grande Prémio”

A júnior benfiquista Mariana Mota e o sportinguista Nuno Santos foram os autores das melhores marcas das provas de marcha do Grande Prémio de Natal da Associação de Atletismo de Lisboa, realizadas este domingo, no cento da capital. As provas que cumpriram deveriam ter tido a distância de 3 km, mas um incompreensível erro de marcação do circuito levou a distância para perto dos quatro quilómetros, graças a mais de duzentos metros acrescentados em cada volta, por indevido posicionamento dos pinos orientadores.
 
 
Mariana Mota registou 19.27 m, tendo Alexandra Lamas (CA Galinheiras), a primeira veterana, registado o segundo tempo, com 20.01 m. A também veterana Orlete Mendes (CA Galinheiras) averbou 22.33 m, a terceira marca feminina da jornada.
 
 
Já Nuno Santos, com 18.28 m, foi tendo maior oposição do irmão Pedro Santos (SL Benfica), a segui-lo de perto mas acabando por não conseguir aproximar-se no final. Nuno registaria na meta uma vantagem de 25 segundos, após um final atribulado, com os dois primeiros a terem de fazer alguma ginástica para conseguirem passar por baixo de um pórtico posicionado à entrada da recta da meta e que se esvaziou. Valeu a ocorrência de quem estava próximo para começar por reerguer a estrutura à altura dos atletas, permitindo a sua passagem até voltar a ser ligado o motor de insuflamento. Carlos Paiva (CA Galinheiras) averbou a terceira melhor marca, com 19.42 m, sendo o primeiro entre os veteranos.
 
 
Do ponto de vista competitivo, as provas não tiveram grande história, dado terem alinhado 38 atletas para 14 classificações (sete escalões masculinos e sete femininos). Apenas nos infantis masculinos houve mais equilíbrio, com Leandro Francisco (CA Galinheiras, 13.20) a impor-se nos 2 km (ou 2,5 km, vá-se lá saber) por escassos seis segundos ao colega Guilherme Rodrigues (individual, 13.26).
 
 
A história do programa de marcha deste 56.º Grande Prémio de Natal acaba por ficar assinalado por outras histórias, como a decisão dos atletas participantes nas provas de 3 km (juvenis a veteranos) de aguardar durante um minuto após o tiro de partida, saindo com atraso de 60 segundos em protesto contra a discriminação da marcha no conjunto do Grande Prémio de Natal (sem prémios iguais aos da corrida e com um injustificado encurtamento das distâncias regulamentadas para as provas). Um protesto que se estendeu à utilização de camisolas negras por vários participantes e pela «greve de zelo» assumida por quatro veteranas que entenderam fazer a prova a ritmo de treino e cortar a meta de braços dados.
 
 
Mas se estes motivos de protesto tinham origem em decisões organizativas anteriormente tomadas, também a condução da própria jornada originou outros motivos de reclamação de atletas e clubes. Para além do já referido erro de marcação do percurso, houve ainda a incorrecta condução dos jovens atletas da primeira prova (2 km para benjamins a iniciados) por uma via exterior ao circuito (erro corrigido na segunda volta); houve a manifesta falta de juízes de chegada (que levou a que antes de terminarem as provas de marcha começassem a chegar os participantes nas primeiras provas de corrida, benjamins a iniciados, que acabaram por ter de ficar em fila indiana com mais de vinte metros à espera de poder cortar a meta); houve a evidente falta de estafetas de apoio aos juízes de marcha, que levou ao atraso do trabalho do juiz-chefe e a que as notas de desclassificação fossem lançadas nas listas de resultados já depois de entregues as medalhas nas cerimónias protocolares; houve, enfim, o rocambolesco de uma primeira série de entregas de medalhas que, por indevidamente destinadas, acabaram por ser de novo pedidas aos atletas pela organização, para depois serem entregues aos devidos vencedores.
 
 
Num cenário tão negativo, deve, no entanto, ser assinalado o esforço de todos os juízes convocados e dos funcionários da Associação de Atletismo de Lisboa (convocados ou não), que, tendo de desempenhar funções nestas condições, ainda conseguiram fazer omeletas sem ovos e garantir com a dignidade possível a realização de mais esta edição de uma das provas de atletismo de mais longa e prestigiada tradição em Lisboa.
 
 
Classificações
2 km benjamins femininos
1.ª, Miriam Fernandes (CA Galinheiras), 17.46
2.ª, Miriana Fernandes (CA Galinheiras), 19.00
3.ª, Diana Pereira (ACR Mealhada), 19.07
4.ª, Mariana Fernandes (CA Galinheiras), 19.56
5.ª, Marilene Fernandes (ACR Mealhada), 20.56
 
2 km benjamins masculinos
1.º, Leandro Francisco (CA Galinheiras), 13.20
2.º, Guilherme Rodrigues (Individual), 13.26
 
2 km infantis femininos
1.ª, Catarina Santos (ACR Mealhada), 13.22
2.ª, Edna Bernardino (GD São Domingos), 15.58
3.ª, Inês Pinto (SC Reboleira), 16.43
4.ª, Hellen Gonçalves (ACR Mealhada), 18.23
Desclassificada: Jaquelinepelenda
 
2 km infantis masculinos
1.º, Dalton Leal (CA Galinheiras), 14.08
 
2 km iniciados femininos
1.ª, Andreia Reis (GD São Domingos), 15.27
2.ª, Daniela Bernardino (GD São Domingos), 17.21
3.ª, Inês Carvalho (ACR Mealhada), 18.22
 
2 km iniciados masculinos
1.º, Rodrigo Rodrigues (SL Benfica), 11.47
2.º, Ricardo Bernardino (MGBoos), 13.08
3.º, Ducher Gomes (ACR Mealhada), 15.24
 
3 km juvenis femininos
1.ª, Carolina Oliveira (JD Almansor), 22.58
 
3 km juvenis masculinos
1.º, Rui Rodrigues (ACR Mealhada), 20.26
 
3 km juniores femininos
1.ª, Mariana Mota (SL Benfica), 19.27
2.ª, Andreia Botelho (ACR Mealhada), 31.25
 
3 km juniores masculinos
1.º, Paulo Afonso (SL Benfica), 20.06
 
3 km seniores femininos
1.ª, Advânia da Silva (SL Benfica), 25.30
 
3 km seniores masculinos
1.º, Nuno Santos (Sporting CP), 18.28
2.º, Pedro Santos (SL Benfica), 18.53
 
3 km veteranos femininos
1.ª, Alexandra Lamas (CA Galinheiras), 20.01
2.ª, Maria Orlete Mendes (CA Galinheiras), 22.33
3.ª, Teresa Sousa (GD São Domingos), 31.27
4,ª, Eugénia Fernandes (CA Galinheiras), 31.27
5.ª, Maria José Dias (GD São Domingos), 31.27
6.ª, Sandra Silva (CA Galinheiras), 31.27
 
3 km veteranos masculinos
1.º, Carlos Paiva (CA Galinheiras), 19.42
2.º, Paulo Cunha (ACR Mealhada), 20.00
3.º, Paulo Ramos (CA Galinheiras), 21.42
4.º, José Pinto (CA Galinheiras), 22.16
5.º, Joaquim Leitão (GD São Domingos), 22.16
Desclassificado: Paulo Cardoso (Individual-Popular)
 
 
O Marchador

Periodicidade Diária

terça-feira, 12 de novembro de 2019 – 04:10:44

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...