13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

III Trail da Boa Ventura

 

 

O tempo de chuva que se fez sentir nos dias anteriores e mesmo na hora da partida da 3.ª edição do Trail da Boa Ventura, o primeiro trail do ano, não auspiciava tarefa fácil para os 404 participantes que aceitaram o desafio de percorrer os sítios verdes mais emblemáticos da freguesia de Boa Ventura.

 

Mas, a verdade é que, após o tiro de partida, houve tréguas e o bom tempo retornava, possibilitando uma prova mais agradável tanto para os atletas como para a organização, a cargo da AARAM – Associação de Atletismo da Região Autónoma da

Madeira, em parceria com a junta de freguesia local.

 

Este ano, o figurino da prova principal apresentava-se mais desafiante e com algumas inovações, destacando-se a longa subida para a Boca da Lapinha e descida técnica para a Achada da Madeira. Na prova mais curta, a novidade foi a ida à Achada do Pereiro.

 

Em termos competitivos, e apesar de o piso apresentar-se escorregadio e lamacento ao longo dos mais de 25 km de extensão e 1620 metros de desnível positivo, o grupo da frente, liderado pela dupla da ADRAP – Ricardo Gouveia e Flávio Remesso – em conjunto com Marco Silva (ADG), não se amedrontou e desde cedo abriu as hostilidades e imprimiu um ritmo “vivo”, tentando descartar qualquer intenção que viesse de trás, principalmente dos consagrados Tiago Aires, Francisco Freitas (ACDJS) e Leonardo Diogo (CAMadeira). E assim foi quase até à linha de meta…

 

A vitória decidiu-se nos últimos metros, com Ricardo Gouveia (ADRAP) a impor-se por escassos 3 segundos ao seu colega de equipa, Flávio Remesso, após 2h37m27s de corrida, enquanto Tiago Aires renascia e já na parte final ainda teve fôlego para ultrapassar Marco Silva (ADG), terminando, assim, em terceiro.

 

Nas senhoras, a grande vencedora, Lúcia Franco (ADG), ainda teve luta na parte inicial da prova por parte de Carla Brandt, mas depois embalou para uma vitória categórica registando 3h30m27s. A sua colega de equipa, Fabiana Gonçalves, fruto de uma excelente gestão de esforço, ainda viria a conquistar a 2.ª posição, relegando para a 3.ª posição a Carla Brandt.

 

Dos 216 atletas que iniciaram o percurso da prova principal, 13 desistiram.

 

Coletivamente, venceu a ADG, nos femininos, e a ADRAP, nos masculinos.

 

Em relação à prova mais curta, de 11,4 km e 774 metros de desnível positivo, nos homens, Miguel Ferreira (CDI-M) viria a vencer com autoridade, com 1h08m07s, colocando a dupla da ACDJS, Juvenal Faria e Décio Abreu nos lugares logo imediatos. Nas senhoras, vitória tranquila de Cátia Fiqueli (CAFH), com 1h26m21s, compartilhando o pódio com Camila João (ACDJS) e Telma Alves (ADRAP), por esta ordem.

 

O vencedor coletivo, tanto masculino como feminino, teve uma sigla comum: ACDJS.

 

Nesta prova, a adesão foi de 188 atletas, não se registando nenhuma desistência.

 

Para finalizar o programa, foram premiados os melhores atletas de ambas as provas, na presença de diversas entidades.

 

Em termos globais, estiveram empenhados cerca de 2 centenas de voluntários e colaboradores, estimando-se cerca de 1 milhar de pessoas presentes no evento, por entre familiares, acompanhantes e espetadores. 

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 20 de novembro de 2018 – 16:39:34

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...