13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Citroën Racing no Rali do México - Etapa 1: O C3 WRC no comando com Ogier / Ingrassia

 

 

Sébastien Ogier e Julien Ingrassia assumiram, com o seu C3 WRC, a liderança do Rali do México no final da 1ª Etapa, após registarem os melhores tempos em 4 especiais, num dia disputado sob elevadas temperaturas e a elevada altitude, a cerca de 3.000 metros acima do nível do mar.

 

 

Ocupando o 5º posto no final da noite passada, a uma reduzida distância dos seus adversários que, atualmente, ocupam o 4º lugar, Esapekka Lappi e Janne Ferm conseguiram ultrapassar a sua falta de experiência na prova, adaptando-se bem às condições.

 

Agendada para o final da tarde de quinta-feira passada nas ruas da cidade mineira de Guanajuato, Património Mundial da UNESCO, a SuperEspecial de abertura do rali foi interrompida, quando uma das rampas construídas para um dos saltos foi considerada insegura, após ter-se afastado da sua posição inicial. Assim sendo, foi nas restantes especiais da 1ª Etapa, realizadas ontem (sexta-feira), que a batalha começou verdadeiramente, tendo como ponto alto, já esperado, as duas passagens pelo famoso troço de El Chocolate (31,57km), conhecido por ser particularmente técnico (velocidade média de apenas 80 km/h).

 

 

Foi precisamente nesta classificativa, na sua segunda passagem e quando as temperaturas atingiram o seu máximo, que Sébastien Ogier e Julien Ingrassia desferiram o seu ataque, assumindo a liderança do rali, depois de garantirem o melhor tempo, o segundo nesta Etapa. A equipa do C3 WRC nº 1 confirmaria, depois, a sua inegável competitividade, apesar das condições extremas nesta prova fora do comum, alcançando imediatamente uma terceira vitória em troços na segunda passagem por Ortega, no ponto mais elevado do rali, a 2.756 metros acima do nível do mar. Apesar de se atrasarem um pouco devido a um furo na ES7, atingiram o final da 1ª Etapa na liderança à geral, com 14,8 segundos de vantagem sobre os segundos classificados.

 

 

Estando à partida deste rali apenas pela segunda vez nas suas ascendentes carreiras no WRC, Esapekka Lappi e Janne Ferm adotaram uma toada cautelosa na primeira ronda pelos troços do dia. Uma vez confirmadas as notas, aumentaram o andamento nas segundas passagens corridas durante a tarde, registando o 4º melhor tempo em El Chocolate (31,57km), a 6,2s dos seus colegas de equipa. Um pião na ES6 não os impediu de continuar a sua progressão, alcançando desta vez o 2ª melhor tempo no troço seguinte, a apenas dois décimos dos mais rápidos. Viriam a terminar a Etapa numa promissora 5ª posição, a apenas 2 segundos do 4º lugar, prestação que implica que na Etapa de hoje (sábado) sejam os 5ºs a entrar para os troços, o que lhes permitirá continuar a alimentar as expetativas face a um bom resultado final.

 

Nesta que será a Etapa mais longa do rali, os pilotos têm pela frente 138,37 quilómetros de troços cronometrados, de um total de 9 Especiais, incluindo uma dupla passagem por Otates (32,27km), a classificativa mais longa do rali, com caraterísticas técnicas que são um autêntico desafio para pilotos e máquinas.

 

O QUE ELES DISSERAM…

 

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

 

Sendo os terceiros na estrada, o Sébastien e o Julien registaram um notável desempenho hoje (ontem), deixando para trás equipas que tinham condições de aderência significativamente melhores do que as deles. Penso que isso confirma que também têm boas sensações a bordo do WRC C3 em pisos terra. Quanto ao Esapekka e ao Janne, com muito menos experiência deste rali, penso que podem estar satisfeitos com a sua performance. Embora bem cientes de que a parte mais difícil do rali ainda está por vir, com a longa Etapa de sábado e os grandes riscos que acarreta, especialmente com pedras muito soltas, o alvo é, definitivamente manter o ímpeto, com ambas as equipas.

 

 

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

 

Foi, claramente, um dia muito bom para nós, apesar das condições muito difíceis. O nível de aderência foi baixo, especialmente durante a manhã, mas gostei de ter uma linha condutora à minha frente. Era importante terminar numa boa posição esta Etapa, para que pudéssemos estar bem posicionados na ordem de partida para a Etapa mais longa, de sábado. Vamos precisar de aproveitar ao máximo a nossa posição e também ter algum cuidado, pois haverá algumas secções realmente complicadas, com estradas estreitas e possivelmente bastante degradadas."

 

 

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

 

"Estou, pouco a pouco, a aprender a conduzir o C3 WRC nestas estradas de baixa aderência. Ainda sinto alguma falta de experiência, mas os tempos estão gradualmente a melhorar. Espero que a estrada vá ficando limpa ao longo do resto do rali, já que os meus adversários diretos têm uma melhor posição na estrada do que nós, mas vamos continuar a lutar para garantir o melhor resultado possível."

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 25 de junho de 2019 – 12:30:36

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

Reportagens fotográficas em preparação

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...