14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Citroen com uma boa pontuação na Sardenha

 

 

Embora o resultado final do Citroën Total World Rally Team tenha ficado comprometido logo no primeiro dia da prova, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia não deixaram de demonstrar que o seu elevado nível de competitividade estava intato, com um segundo melhor tempo na Power Stage que lhes rendeu quatro pontos bonificados. Por seu lado, Esapekka Lappi e Janne Ferm concluíram o rali em sétimos à geral, fazendo uma excelente gestão das duas últimas Etapas deste difícil Rali da Sardenha.

 

 

Após o seu erro no primeiro dia (ES 5), ao tentar minimizar as desvantagens de serem os primeiros na estrada e terem de “varrer” o caminho num traçado muito técnico e sensível, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, forçados a regressar à prova em Rally 2, não ambicionavam outra coisa nesta última, e curta, Etapa (41,90 km) senão tentar conquistar alguns pontos na Power Stage de Sassari - Argentiera. Mais uma vez particularmente combativos, os franceses sêxtuplos campeões do mundo arrecadaram quatro pontos e estão agora posicionados no segundo lugar da classificação provisória do Campeonato do Mundo, com apenas quatro pontos de diferença para o primeiro.

 

Embora abaixo das expetativas do Citroën Total World Rally Team, este resultado acaba por ser benéfico no sentido em que vão ser outros concorrentes e “varrer” as estradas no recomeço das hostilidades (Rali da Finlândia, 1 a 4 de agosto), após uma curta pausa de verão em que o “Exército Vermelho” vai reforçar toda a sua “artilharia” com vista à segunda parte da temporada.

 

 

Nos ralis em terra, a primeira Etapa revela-se determinante porque dita a ordem de partida da Etapa seguinte, algo que Esapekka Lappi e Janne Ferm, infelizmente, constataram a seu próprio custo. Os finlandeses ocupavam o sexto posto à Geral e estavam gradualmente a recuperar o seu ritmo, quando caíram quase 40 segundos na classificação (ES4) devido a um dos pneus do seu carro ter saído da jante. De seguida, empenharam-se a fundo na condução do C3 WRC para voltar a subir na classificação (vencendo a ES5 e obtendo o segundo tempo na ES9, apenas a 0,1 segundos do vencedor), mas depois de sofrerem uma avaria num sensor (ES6), não foram além do oitavo posto à geral no final da primeira Etapa. No sábado, apesar de um lugar na ordem de partida que estava longe de ser o ideal, os jovens escandinavos conseguiram um desempenho consistente e isento de erros ao longo de todo o segundo dia, reforçando a sua confiança no C3 WRC em terra, e acabaram por ascendera à sétima posição quando um dos seus rivais foi vítima de um furo. No final da Etapa, mantinham o sétimo lugar à Geral. Tendo gerido exemplarmente este rali, uma vez que não tinham condições para demonstrar todo o seu nível competitivo, Lappi e Ferm acumularam, sem dúvida, mais experiência e uma motivação extra para o próximo evento, que se realiza na sua terra natal, a Finlândia, onde vão reaparecer na melhor forma possível.

 

O QUE ELES DISSERAM…

 

 

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

"No desporto motorizado, por vezes, temos um fim de semana em que as coisas não correm a nosso favor, e este foi claramente um desses fins de semana. Vamos deixar isto para trás e manter o nosso foco no futuro. Ao sermos

os primeiros na estrada, o nosso objetivo mais realista era terminarmos o rali em quinto lugar, ou perto disso, portanto os meus erros custaram­-nos alguns pontos. Mas a luta no campeonato continua em aberto e muito disputada, embora eu não seja o tipo de pessoa que retira qualquer prazer da infelicidade dos outros, especialmente quando se trata do Ott. Agora vou aproveitar as férias e recarregar as minhas baterias. Estaremos na Finlândia prontos a dar o nosso melhor."

 

 

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

"Obviamente que não era bem este o resultado que esperávamos. Os problemas que tivemos na primeira Etapa foram determinantes para o resto do nosso fim de semana. Não pudemos andar no nosso ritmo devido à nossa posição na ordem de partida. Era praticamente impossível recuperar terreno nestas estradas, onde a aderência aumenta drasticamente depois de passarem mais carros. Também não fomos felizes na escolha de pneus para a manhã de sábado, e é claro que isso não ajudou. Mas, pelo menos, chegámos ao fim. Agora vamos voltar ao trabalho para estarmos na melhor forma possível para a nossa ronda caseira na Finlândia."

 

DUAS PERGUNTAS A PIERRE BUDAR, DIRETOR DA CITROËN RACING

 

Que análise faz da prova deste fim de semana na Sardenha?

Obviamente que este não é o resultado com que contávamos, embora soubéssemos que, neste rali, ao serem os primeiros nestas estradas, que limpam muito depressa depois dos primeiros carros, o Sébastien e o Julien tinham o seu trabalho altamente condicionado. É claro que não os podemos culpar pelos seus erros, porque foram erros altamente invulgares. Além disso, tiveram um excelente desempenho na Power Stage, mostrando, mais uma vez, o seu incrível espírito de luta. Na primeira metade do dia 1, o Esapekka e o Janne tiveram uma jornada algo dececionante e, infelizmente, isso teve um efeito multiplicador no resto do seu fim de semana, forçando-os a desenhar a linha de corrida para os outros concorrentes. Na Sardenha, é uma desvantagem quase impossível de superar. No entanto, eles conseguiram lidar de forma inteligente com a frustração que a situação envolvia, acumulando mais quilómetros

e experiência ao volante do C3 WRC, e conseguiram chegar ao fim. Eles estão agora já a pensar no seu regresso à competição na Finlândia, onde sabemos que têm todo o potencial para fazer um bom rali.

 

Com o campeonato tão acerrimamente disputado, parece que a pausa de verão vai ser mais trabalho e menos diversão...

É verdade, a combatividade do Sébastien e do Julien, combinada com o desfecho dramático deste rali, significa que o campeonato permanece em aberto. No entanto, isto não altera a forma como abordamos a nossa campanha no WRC. Vamos continuar a colocar todas as nossas forças em campo. Na próxima semana vamos estar em testes e uma coisa é certa: vamos redobrar os nossos esforços para tentar dar aos nossos pilotos as melhores armas possíveis para a segunda metade da temporada.

 

O PONTO ALTO DO FIM DE SEMANA

 

Descrito por muitos observadores como sendo mais própria de um rali todo-o-terreno, dada a dureza do piso, a Power Stage de Sassari - Argentiera (6,89 km), testemunhou mais um majestoso desempenho por parte de Sébastien Ogier e Julien Ingrassi, apesar de serem a primeira formação do WRC a disputar a Especial.

 

Sébastien Ogier tinha previsto que a Power Stage poderia ser muito difícil, dada a rapidez com que estas abrasivas estradas de terra vão ficando limpas, proporcionando mais aderência às formações que partem depois. Neste tipo de estradas arenosas, onde os sulcos podem aparecer rapidamente, a capacidade para assumir riscos pode fazer toda a diferença. Sébastien e Julien tiveram uma performancede enorme empenho, mostrando uma elevadíssima concentração claramente visível nas imagens captadas pela câmara de bordo. A sua condução, normalmente muito limpa e composta, foi extraordinariamente agressiva, mas, no final, esta sua abordagem acabou por compensar.

 

Apenas Andreas Mikkelsen, que arrancou cinco lugares abaixo na ordem de partida, conseguiu ser mais rápido, mas somente com pouco mais de dois segundos de vantagem. Estes quatro pontos arduamente conquistados podem ainda vir a ser decisivos no final da temporada...

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL (provisória)

 

1.      Sordo / Del Barrio (Hyundai i20 WRC) 3h32’27’’2

2.      Suninen / Lehtinen (Ford Fiesta WRC) +13’’7

3.      Mikkelsen / Jaeger (Hyundai i20 WRC) +32’’6

4.      Evans / Martin (Ford Fiesta WRC) +33’’5

5.      Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) +1’30’’1

6.      Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +2’06’’7

7.      Lappi / Ferm (Citroën C3 WRC) + 2’59’’6

8.      Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +4’40’’1

   42. Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) +1h22’58’’5

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1.      Ott Tänak – 150 pontos

2.      Sébastien Ogier – 146 pontos

3.      Thierry Neuville – 143 pontos

4.      Elfyn Evans – 78 pontos

5.      Teemu Suninen – 62 pontos

6.      Kris Meeke – 60 pontos

7.      Andreas Mikkelsen – 56 pontos

8.      Dani Sordo – 52 pontos

9.      Esapekka Lappi – 40 pontos

10.  Jari-Matti Latvala – 40 pontos

*sob reserva da classificação publicada pela FIA

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1.      Hyundai WRT – 242 pontos

2.      Toyota Gazoo Racing – 198 pontos

3.      Citroën Total WRT – 170 pontos

4.     M-Sport Ford WRT – 152 pontos

 *sob reserva da classificação publicada pela FIA

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 22 de outubro de 2019 – 05:50:59

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...