14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Algarve Classic Festival 2019 - Corrida 1 Group 1 Portugal

 

 

Ricardo Pereira vence a primeira corrida do Group 1 Portugal no Algarve Classic Festival num dia com temperatura amena, sem chuva e com o sol a espreitar por entre as nuvens. O Safety Car entrou duas vezes e baralhou algumas contas dos pilotos.
 
Este sábado, no Autódromo Internacional do Algarve, o sol acordou ligeiramente envergonhado, mas sem chuva para a primeira corrida do Group1 Portugal este fim-de-semana. O Group1 Portugal partilhou a grelha com os britânicos do U2TC e dos HTCC, sendo os primeiros os representantes do Grupo 1 de terras de sua majestade.

A corrida de 40 minutos é pouco habitual para os Group1, ou a paragem obrigatória nas boxes para troca, ou não, de piloto (ficava à consideração de cada) e nem a partida lançada costuma ser utilizada no Group 1, mas desta feita foi como se iniciou a corrida.

No arranque com mais de 40 carros e na confusão da primeira volta, João Diogo Lopes em Ford Escort RS 2000, que saía da segunda posição entre os portugueses, consegue passar Ricardo Pereira em carro idêntico. É nesta posição que passam quando entra o Safety Car na entrada para a segunda volta, quando um Mini ficou parado na pista. Uma volta atrás do Safety Car bastou para que Mayer Gaspar se tenha atrasado, com problemas técnicos no seu Golf GTi e o mesmo se sucede com o Ford Escort RS 2000 de Paulo Vieira, este último que saía do segundo lugar entre os portugueses. Ambos entraram nas boxes e perderem terreno para os seus concorrentes diretos, embora tenham regressado à pista ainda sob influência do Safety Car. Se Paulo Vieira entregou o segundo lugar dos portugueses, Mayer Gaspar perdia a liderança da categoria H81-1600.

Com esta demora do Safety Car em pista, na categoria Production Cup, Luís Santa-Bárbara passou para a liderança com Francisco Freitas em segundo, seguido por Tomás Pinto Abreu e Pedro Reis/Paulo Costa logo atrás.
 
No reatar da corrida, Ricardo Pereira volta a ganhar a liderança da prova a João Diogo Lopes com o seu bem preparado Ford Escort RS 2000, mas uma nova situação de perigo em pista obriga a mais uma situação de bandeiras amarelas. Não leva mais do que uma volta, só que a janela de tempo para a paragem obrigatória nas boxes abre, um período que abre aos 20 minutos de corrida e inicia-se a azáfama de correria para as boxes. André Castro Pinheiro no seu potente Jaguar XJS V12 retarda a paragem e assume a liderança, com os irmãos Fresco no seu espetacular Ford Capri atrás e o cuidado Porsche 924 Turbo da dupla Nunes/Dal Maso em terceiro.

Na categoria H81-1600, onde estão os sempre aguerridos VW Golf GTi, a dupla Pinto/Liberal liderava, seguida dos irmãos Matos, em carro idêntico, já que a família Gaspar se tinha atrasado logo no início com o pedal do acelerador solto. “Tive que tirar até o capacete, consegui encaixar o cabo e vim até às boxes, mas perdi muito tempo“, explicava Fernando Mayer Gaspar no final da corrida.


A dupla Nunes/Dal Maso, no seu Porsche 924 Turbo podem orgulhar-se de ainda terem liderado a comitiva portuguesa, mas porque ainda não tinham efetuado a sua paragem obrigatória.


Na Production Cup, a luta dos Datsun 1200 teve um melhor estratega, Francisco Freitas, que usou o seu bom andamento e uma paragem eficaz nas boxes para ganhar vantagem aos seus demais diretos perseguidores. O jovem Tomás Pinto Abreu terminou em segundo lugar com Pedro Reis/Paulo Costa logo atrás a ganharem um merecido pódio.

Nos H81-2000, a renhida luta terminou com Ricardo Pereira em Ford Escort RS 2000 no primeiro lugar e a ser o melhor entre os portugueses. Na segunda posição, ficou João Diogo Lopes, em carro idêntico ao primeiro e em terceiro ficou André Castro Pinheiro, no seu majestoso Jaguar XJS V12, sendo também o primeiro da categoria H81-Max. O terceiro da H81-2000 foi Paulo Vieira, com um Ford Escort RS 2000.


Na H81-Max, depois do líder André Castro Pinheiro, ficou a dupla Nunes/Dal Maso em Porsche 924 Turbo no segundo lugar e o terceiro posto foi ocupado pelos irmãos Fresco no seu impressionante Ford Capri.


A categoria H81-1600 mantiveram-se as posições depois do desassossego inicial da corrida, com a parelha Rafael Cerveira Pinto/ Luis Pedro Liberal em VW Golf GTi a serem os merecidos vencerem, sendo seguidos pelos irmãos Matos e em terceiro a família Gaspar/Mayer Gaspar, todos em VW Golf GTi.
 
Francisco Cardoso no seu peculiar Peugeot 104 ZS fez uma excelente prova e terminou em nono da geral e venceu a categoria 1052.

No Troféu Mini, Guilherme Dal Maso impôs um excelente andamento e levou de vencida o Troféu desde o início, com Nelson Rêgo a ser o segundo e o estreante Guilherme Afonso em terceiro lugar, posição que ganhou à dupla Cavaleiro e Silva/Sales na última volta.
 
O Group1 regressa amanhã ao Autódromo Internacional do Algarve às 09h30.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 14 de novembro de 2019 – 03:34:03

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...