Campeonato FIA de Fórmula E 2019/2020: António Félix da Costa conquista o seu primeiro pódio com a DS Techeetah

 

 

Disputado sob um calor escaldante, o Santiago E-Prix deste fim de semana testemunhou uma brilhante performance do piloto português da DS TECHEETAH, António Félix Da Costa, que garantiu o seu primeiro pódio e o segundo lugar para a equipa.

 

Partindo da 10ª posição e progredindo no pelotão com uma assinalável mestria de condução, Félix da Costa liderou a corrida até à última volta, até ter de abrandar para arrefecer a temperatura do carro de forma a conseguir terminar a prova.

 

 

O seu companheiro de equipa, Jean-Éric Vergne, largou da 11ª posição da grelha e, mais uma vez, não teve uma jornada fácil depois de ter tido sido obrigado a abandonar devido a danos na asa dianteira do seu carro, quanto ocupava a terceira posição e lutava pela vitória.

 

Mark Preston, Diretor da Equipa DS TECHEETAH:

 

Estivemos perto de um resultado pleno, o que teria sido uma prenda fantástica para a DS no seu 50º E-Prix, mas estamos muito satisfeitos com o segundo lugar. Se há algo que aprendemos ao longo destes anos, é que mais vale jogar pelo seguro e garantir os pontos de um segundo lugar, do que arriscar tudo para a vitória. O António começou da melhor maneira na equipa, e foi muito bom constatar o nosso andamento neste E-Prix. Ver os nossos dois pilotos a lutar pelo pódio e pela vitória, até à desistência do Jean-Éric, é uma fonte de motiva na competição.

 

Xavier Mestelan Pinon, Diretor da DS Performance:

 

O 50º E-Prix da DS Automobiles na Fórmula E foi extremamente entusiasmante para nós, e os nossos pilotos deixaram bem claro que estamos aqui para ganhar. Mesmo com o inesperado abandono do Jean-Éric, o 2º lugar garantido pelo António, depois de uma magnífica progressão em prova, e a grande rapidez demonstrada pelos nossos carros, são motivos de satisfação e orgulho. No entanto, poderíamos ter feito melhor e, nesse sentido, é essencial continuarmos a trabalhar para alcançar o nosso maior objetivo: manter os nossos dois títulos!

 

 

António Félix da Costa, 2º:

 

É muito bom obter um primeiro pódio e lutar pela vitória com a minha nova equipa, logo ao cabo de três corridas. Ainda temos algum trabalho a fazer porque, nesta jornada, a nossa primeira vitória esteve totalmente ao alcance. Somos uma equipa nova e temos algumas coisas para melhorar.

Em termos da gestão de energia, cometemos um erro e pensei que estávamos bem para ir até ao fim da corrida. Foi por isso que fiz a ultrapassagem para a liderança da corrida, mas, logo de seguida, tive de abrandar subitamente para acautelar a temperatura do sistema. No final, é bem melhor terminar em segundo e pontuar do que não conseguir terminar a corrida.”

 

 

Jean-Éric Vergne:

 

Sinto-me frustrado por não ter ganho a corrida, pois estava em posição para o fazer. Nas três primeiras voltas, é sempre um pouco confuso, com os carros muito juntos, e eu acabei por danificar a asa dianteira do meu carro. Mais perto do final, quando estava em 3º, a asa acabou mesmo por ceder e tive de abandonar. Estávamos a andar bem e com bastante energia, por isso estive mesmo muito perto de vencer.

No entanto, estou muito orgulhoso da minha equipa porque fomos sempre muito rápidos, e isso é o fator mais positivo que trazemos desta jornada. Quatro pontos em apenas três corridas são a prova de que tenho comigo uma equipa fantástica, e a minha motivação é muito elevada. O espírito competitivo deste fim de semana é o mesmo que vamos ter ao longo de toda a temporada: sempre ao ataque.

 

 

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...