13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Equipa Portugal - Portugal limita perdas no contrarrelógio por equipas

 

 

A Equipa Portugal cumpriu as expectativas na quarta etapa da Volta a França do Futuro, um contrarrelógio por equipas de 20,2 quilómetros, em redor de Orléans.

 

O bloco português cumpriu a prova em 23m14s, cedendo apenas 1m03s para a Dinamarca, que conseguiu o melhor registo no exercício coletivo. O tempo conseguido pelos ciclistas portugueses valeu à Equipa Portugal o 17.º lugar na etapa.

 

A Equipa Portugal ganhou tempo a seleções como a colombiana e a espanhola e, perante os outros coletivos com sérios candidatos à discussão das primeiras posições da geral, o bloco nacional limitou as perdas a cerca de meio minuto.

 

“Fizemos uma boa prova. Sabíamos que numa etapa deste género não poderíamos pensar em vencer. A ideia era limitar as perdas. Penso que ceder um minuto ou menos para seleções com roladores possantes, como Dinamarca, Noruega ou Bélgica é positivo. Mais ainda porque ficámos perto de outras seleções que têm sérios candidatos à camisola amarela final. A equipa teve um bom desempenho e as diferenças hoje estabelecidas são perfeitamente ultrapassáveis numa etapa de montanha”, avalia o selecionador nacional, José Poeira.

 

O contrrrelógio coletivo mudou a face à classificação geral. A camisola amarela passou para o corpo do norueguês Hakon Lunder Aalrust, que tem uma vantagem de 11 segundos sobre o anterior comandante, o francês Alan Riou. O terceiro é o dinamarquês Andreas Nielsen, a 1m54s.

 

Os portugueses baixaram provisoriamente na geral, esperando pelas próximas etapas para corrigir a classificação. Rui Oliveira é 63.º, a 2m57s. Tiago Antunes, 72.º, e João Almeida, 73.º, estão a 3m02s. André Ramalho é 81.º, a 3m13s, Ivo Oliveira é 99.º, a 3m47s, e Marcelo Salvador fecha a representação nacional, no 105.º posto, a 4m10s.

 

Rui Oliveira é o terceiro classificado na geral por pontos. A Equipa Portugal ocupa o 16.º lugar na classificação coletiva.

 

Os velocistas deverão regressar ao protagonismo na quinta etapa, 145,8 quilómetros unindo Beaugency a Levroux, marcada para esta terça-feira. Será uma das duas jornadas de transição entre a fase inicial da corrida, na região bretã, e as últimas quatro etapas, que serão determinantes, em plenos Alpes.

 

 

Periodicidade Diária

quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 17:14:34

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...