13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Baja TT Idanha-a-Nova - Bühler, Martins e Franco na frente

 

  • Bühler lidera no regresso ao CNTT, em Motos
  • Apesar de queda Martins segura comando nos Quads
  • Franco surpreende e está na frente em SSV

 

A Baja TT Idanha-a-Nova, organizada pela Escuderia Castelo Branco, marcou o regresso ao ativo de pilotos e máquinas depois da pausa veranil. A exigente prova beirã arrancou esta sexta-feira e reservou 358,52 km ao cronómetro

para os concorrentes de motos, quads e SSV.

 


 
Nas duas rodas Sebastian Bühler foi o homem deste primeiro dia. O piloto colocou a sua Yamaha WR 450 F no primeiro lugar da classificação geral ao vencer o Prólogo, na frente do líder do campeonato, António Maio, em Yamaha WR, e de Mário Patrão, em KTM 500 EXC.
 
Decidido a ganhar a prova que atravessa os difíceis percursos da Beira Baixa, Bühler aumentou de forma impressionante o ritmo nos 115,77 km da secção da tarde, SS1, e ganhou de uma assentada 2m03s a Maio e 2m58s a Patrão. Contas feitas, Bühler terminou este primeira dia da Baja TT de Idanha-a-Nova com 2m13s de vantagem sobre o pluricampeão nacional, António Maio, e coloca-se assim numa excelente posição para atacar a vitória na prova amanhã, sábado. Mário Patrão é nesta altura terceiro, mas já a 3m17s do líder.
 
No Prólogo senti-me com falta de ritmo e achei que não estava a fazer um bom resultado, mas depois vi que foi bom. Já na corrida senti-me bem, rolei sem forçar e não cometi erros. Também gostei das pistas, como habitualmente em Idanha-a-Nova, estavam bem arranjadas e marcadas. Agora estou pronto para atacar amanhã”, afirmou Sebastian Bühler.

 

 

Nos quads, o atual campeão nacional, Arnaldo Martins, ditou o ritmo do Prólogo na sua Suzuki LTR 450, seguido de Wilson Galo e Filipe Silva, ambos também em Suzuki. A separar primeiro e terceiro apenas 14.57s, o que deixava tudo em aberto para o SS1.
 
Na parte da tarde outro protagonista surgiu, Fernando Cardoso, que aos comandos da sua Yamaha YFZ 450 assinou o melhor tempo nos 115,77 km do SS1. Uma prestação que o permitiu ascender do sexto lugar, obtido no Prólogo,

à segunda posição da geral. Arnaldo Martins não foi além do terceiro lugar no SS1, mas a vantagem conquistada no Prólogo permitiu-lhe terminar o dia na frente. “Tive uma queda. Pilotos das duas rodas não me deixaram passar. Foi ao quilómetro 70/80 e com isso perdi bastante tempo”, explicou o piloto.
 
Joni Fonseca teve também uma prestação em grande plano, já que ao ser segundo no SS1, subiu de sétimo para o terceiro lugar da geral. Para amanhã está tudo em aberto, com Martins na frente e Cardoso e Fonseca a 17.55s e 25.31s, respetivamente.

 

 

A luta entre os SSV esteve ao rubro neste primeiro dia competitivo. João Dias, em Can-Am Maverick X3 XRS, impôs-se nos 8km do Prólogo, mas apenas por 0,43s face a Nuno Fontes, também em Can-Am. Em carro idêntico, João Monteiro ficou na terceira posição, a 8,77s. Com menos de 10s a separarem os seis primeiros classificados, tudo estava completamente em aberto para a parte da tarde. Foi neste contexto que Mário Franco assumiu o comando, após ser o mais rápido no SS1. O piloto, em Yamaha YXZ 1000 R, deixou Luís Cidade a 46s e Pedro Santinho Mendes a 1m07s, ambos em Can-Am. Uma prestação que permitiu a Franco passar de quinto para primeiro da geral. Com desempenho semelhante, Luís Cidade passou de sétimo, após o Prólogo, para a segunda posição. O piloto está a apenas 47,38s da liderança. A terceira posição é ocupada por João Dias, a 1m02s.
 
Correu muito bem apesar de termos um carro atmosférico, da classe inferior, mas que ao mesmo tempo em nada é inferior porque é bastante fiável. Senti-me bem, confiante e o carro está muito bom. É a primeira vez

que estou numa posição destas, pelo menos no final de um setor. Isto também prova que sou um piloto que pode discutir lugares com os da frente”, frisou Mário Franco.
                                                                                                                                            
A luta pela vitória na Baja TT Idanha-a-Nova está totalmente em aberto nas várias categorias. Os vencedores da prova organizada pela Escuderia Castelo Branco serão conhecidos amanhã. Pela frente os pilotos terão de enfrentar o derradeiro desafio, um difícil Setor Seletivo de 234,75 km cronometrados, com passagem pelas regiões de Penamacor, Monfortinho, Toulica e Rosmaninhal.

 

 

V o t o s  de  B o a s  F e s t a s

Periodicidade Diária

domingo, 9 de dezembro de 2018 – 21:32:02

Pesquisar

Reportagens fotográficas em preparação

- 61º EDP Grande Prémio de Natal

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...