13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Exemplo de vida: Nicola Dutto

 

O piloto ítalo-espanhol Nicola Dutto, tornou-se o primeiro concorrente paraplégico a participar da categoria de motocicletas do Rally Dakar, e embora as apostas não tenham sido postas a seu favor, o competidor mostrou que os limites são apenas aqueles que cada pessoa se impõe.

 

 

Fonte: Nicola Dutto via Facebook

 

Por ser um campeão de rali na Itália, Espanha e Europa, a carreira de Nicola Dutto estava no seu auge na primeira década dos anos 2000, até que um acidente durante o rally Baja Itália em 2010 fez com que o piloto perdesse mobilidade nas suas pernas. Apesar da trágica notícia, Dutto não permitiu que a falta de mobilidade impedisse-lhe de continuar a desfrutar de sua paixão pelo motociclismo.

 

Nos últimos anos, Nicola Dutto continuou a se exercitar, ao mesmo tempo em que conseguiu adaptar a sua moto para continuar a pilotar e participar de várias competições até voltar a ser vencedor, apesar das suas limitações físicas. Depois de completar o Rally do Marrocos 2018, quando venceu o australiano Toby Price, como mostra a ESPN, o piloto adaptou uma estrutura protetora para manter as pernas fixas na moto, e percebeu que completar o segundo maior rally do mundo abriou-lhe o caminho para a possibilidade de um desafio maior.

 

Devido a isso, Dutto decidiu se inscrever no rally Dakar, um teste tão difícil que começou a ganhar um lugar no mundo das apostas desportivas em Portugal. Sendo uma das competições mais difíceis que existem, o piloto teve que melhorar as suas habilidades de navegação com GPS, e tentar aperfeiçoar uma estratégia que já havia funcionado em ocasiões anteriores, para conseguir um lugar dentro do Dakar 2019.

 

Preparação e trabalho em equipa são a chave para Dutto

 

A busca de um lugar como competidor dentro do Dakar é uma tarefa que exige muito treinamento, físico e mental, além de uma grande experiência anterior no mundo dos rallies de moto, já que não é uma prova para iniciantes. Após o acidente sofrido em 2010, Dutto precisou fazer várias adaptações na sua moto, além de ter uma prática constante de trabalho, até finalizar uma competição. Devido a isso, em 2012 ele conseguiu terminar o Baja Aragón na 24ª posição, o que o inspirou a buscar maiores desafios.

 

Em 2015, Dutto conquistou o 4.º lugar na classificação geral na Copa do Mundo de Baja, além de adotar a estratégia que serviu-lhe para completar o rali de Marrocos, ao correr dentro de uma equipa com três outros pilotos ao redor dele, para que eles pudessem ajudá-lo em caso de complicações durante a corrida. Como mencionado pelo sítio web Globoesporte, aos 48 anos Dutto se tornou o primeiro piloto cadeirante a disputar o Dakar de moto, sendo um exemplo em que as limitações físicas são somente tão grandes quanto se lhes permite.

 

 

Fonte: Pixabay.com

 

Nicola Dutto tornou-se fonte de inspiração para outros pilotos com habilidades especiais, ao abrir o caminho para competições espetaculares como o rally Dakar, e ao atrair a atenção de mais pessoas e meios de comunicação em todo o mundo para este tipo de eventos desportivos.

 

 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 27 de maio de 2019 – 03:53:12

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...