Posição do COP sobre regime de paridade curricular da disciplina de Educação Física

 

O Comité Olímpico de Portugal (COP) vê reconhecido no recente anúncio do Secretário de Estado da Educação, João Costa, de a disciplina de Educação Física voltar a contar para a média no acesso ao ensino superior, a possível concretização de uma importante medida na valorização social do desporto, há muito solicitada pelos agentes do sistema desportivo e educativo.

 

Em conjunto com a reposição do número de horas letivas da disciplina que foram suprimidas em currículos de vários níveis de ensino, estão em causa preocupações recorrentemente vertidas em diversos documentos e posições oficiais do COP e de diferentes organizações profissionais essenciais para dignificar a educação física e o desporto na escola, contribuindo também para a sustentabilidade no desenvolvimento desportivo do país.

 

Trata-se de uma medida cujas formalidades para a sua entrada em vigor importa agilizar, contribuindo para corrigir as assimetrias que neste domínio nos separam da generalidade dos países europeus, centrando a educação física e o desporto como elementos estruturantes do processo educativo e do desenvolvimento de crianças e jovens, em conformidade com a Carta Olímpica e as mais diversas recomendações internacionais emanadas das Nações Unidas, da União Europeia ou do Conselho da Europa.

 

Finalmente é um sinal muito positivo que se dá ao País ao se recolocar a educação física e o desporto em contexto escolar num regime de paridade curricular, condição essencial para proporcionar às crianças e aos jovens experiências positivas naqueles domínios, essenciais à sua formação educativa.

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...