13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Final do Campeonato do Mundo em Gold Coast 2018

 

A última etapa do Campeonato do Mundo de Triatlo realizou-se na Austrália, nos dias 15 e 16 de setembro.


Realizou-se nos dias 15 e 16 de setembro a finalíssima do Campeonato do Mundo de Triatlo das elites 2018, em Gold Coast, na Austrália, que contou com a presença de Melanie Santos, a única triatleta portuguesa em prova e com os triatletas Alexandre Nobre, João Pereira, João Silva e Miguel Arraiolos.

 

Na elite feminina, Melanie fez uma prova consistente, ficando posicionada no segundo grupo do ciclismo, nos vigésimos lugares, mas, com uma boa gestão de esforço, conseguiu conquistar posições na última volta da corrida. A triatleta do Benfica acabou por alcançar uma excelente 6ª posição, com 01:53:25, ultrapassando mesmo algumas medalhadas olímpicas e juntando importantes pontos para a qualificação olímpica para Tóquio 2020, o que, considerando ser a sua primeira participação na final do Campeonato do Mundo, faz deste um resultado memorável.

 

Melanie Santos tinha já conquistado um 5º lugar na WTS de Abu Dhabi este ano, reforçando a sua boa forma com o resultado desta final, que para além de ser ainda mais competitiva, é a WTS que mais pontua para a qualificação para os Jogos Olímpicos, que se irão realizar em Tóquio 2020.

 

«A prova correu muito bem, foi um excelente resultado porque não é só uma WTS, que já por si é de nível elevado, trata-se de uma grande final onde estão as melhores das melhores. Este resultado deixa-me muito orgulhosa» conta-nos Melanie. Quanto à prova propriamente dita, afirma que não fez a melhor natação da época, mas que se revelou suficiente para sair no segundo grupo do ciclismo. «Fui sempre no segundo grupo do ciclismo, que era constituído por cerca de 25 atletas; mantive-me aqui, controlando a posição». Melanie acabou por fazer um segmento de corrida muito tático ‘com duas voltas mais controladas sem sair a top; na última volta, quando muitas das triatletas começaram a quebrar, ataquei e ganhei muitas posições!’

 

O primeiro lugar foi para Ashleigh Gentle da Austrália, Vicky Holland, da Grã-Bretanha, alcançou a segunda posição no pódio, com os tempos de 01:51:59 e 01:52:01, respetivamente. Katie Zaferes ficou classificada em terceiro lugar, com 01:52:33. Com este resultado Vicky Holland ultrapassou a anterior líder do circuito mundial, Katie Zaferes, e sagrou-se Campeã Mundial da modalidade.

 

Elite masculina na Grande Final em Gold Coast 2018

 

No dia 16 de setembro realizou-se a prova da elite masculina com a participação de Alexandre Nobre, João Pereira, João Silva e Miguel Arraiolos, que competiram com mais 65 triatletas oriundos de 30 países dos cinco continentes.

 

João Pereira ficou classificado em 25º com 01:47:24, ficando aquém da sua perspetiva de se posicionar nos primeiros lugares: «Foi uma prova onde não consegui uma natação competente que me comprometeu a prova toda. Daí o resultado não ser o que ambicionava, mas tive boas sensações na corrida o que me deixa com boas perspetivas».

 

Miguel Arraiolos também ficou afastado da prestação que queria, posicionando-se na 47ª posição, com 01:53:53, numa prova que tinha afirmado ser ‘com muito nível e com uma natação nada fácil’. «A minha prova correu mal no geral, não estive ao meu nível no segmento de natação e isso influenciou a prova toda.» O facto de ter saído da água num grupo pequeno, ficou sem possibilidade de recuperação. «Acabei a prova, mas insatisfeito com o decorrer da mesma.»

 

Alexandre Nobre, que chegou com mesmo tempo que Miguel Arraiolos, classificando-se em 48º lugar, deu o seu melhor na sua primeira participação numa finalíssima. «Foi a minha primeira WTS e sabia que não ia ser fácil, pois na finalíssima ninguém falta e o nível estava altíssimo. As condições climatéricas estavam muito duras. Logo desde início uma natação complicada, mas apesar de tudo ainda consegui sair numa posição que me dava algumas hipóteses de disputar o top 35. Uma má primeira transição fez com que perdesse esse mesmo grupo o que acabou por condicionar o desenlace final. Ainda assim acabei num 48º lugar que, apesar de não ser o resultado pelo qual ambicionava, me deixa satisfeito pelo simples facto de ter sido a minha primeira participação em mundiais de elites e por toda a experiência que adquiri!»

 

A prova mais competitiva da época não correu definitivamente bem a João Silva, que passou a meta em 50º com 01:55:16: «Foi um dia mau, a natação não foi terrível, mas no início do ciclismo não fui competente e o resultado da prova ficou hipotecado aí…»

 

O vencedor desta finalíssima foi o francês Vicent Luis com 01:44:33, enquanto o espanhol Mario Mola, que terminou na segunda posição, se sagrou Campeão do Mundo pela terceira vez consecutiva.

 

 

V o t o s  de  B o a s  F e s t a s

Periodicidade Diária

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018 – 00:57:44

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...