13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Azores Islands Triathlon 2018

 

Realizou-se dia 3 novembro o Campeonato Nacional Individual de Triatlo e o CN de Clubes Triatlo de Longa Distância.

 

Com um número de pessoas acima das expetativas para este tipo de prova, foi Vanessa Pereira, individual, que se sagrou Campeã Nacional Individual de Longa Distância (4km de natação, 120km de ciclismo e 30km de corrida) ao vencer o IX Azores Islands Triathlon que se realizou em São Miguel no passado dia 3 de novembro, com o tempo de 07:42:39.  Céu Coelho, do Sporting Clube de Espinho, foi vice-campeã da distância ao terminar a competição em 07:54:34 e Liliana Veríssimo, do Núcleo do Sporting da Golegã, subiu ao 3º lugar do pódio com 07:55:06.

 

Na competição masculina José Estrangeiro, do CNATRIL Triatlo conquistou o título de Campeão Nacional Individual de Longa Distância, seguido de João Ferreira, do Estoril Praia Triatlo, que foi vice-campeão com a marca de 06:32:44. Na terceira posição ficou Sérgio Marques, do CNATRIL Triatlo, com 06:35:53.

 

O Estoril Praia Triatlo venceu competição feminina por clubes, seguido da Associação Académica de São Mamede. Na prova masculina a primeira posição foi para o CNATRIL Triatlo, seguido do Estoril Praia Triatlo e do CPArmada.

 

«Esta distância, diferente dos anos anteriores, foi escolhida com o duplo objetivo de efetuar o Campeonato Ibérico na distância longa da ETU e fazer uma prova Portugal com o Campeonato Nacional», explica Fernando Correia, vice-presidente para o quadro de competições da FTP. O percurso de natação foi realizado na marinha, com águas calmas, o que permitiu um trajeto rápido. O segmento de ciclismo era duro, com um declive significativo, com dificuldades acrescidas pelas condições climatéricas que se apresentaram nesse dia, principalmente na parte final do percurso em que o denso nevoeiro e a chuva dificultaram a prestação dos atletas, num trajeto que era por si só já difícil por incluir algumas estradas rurais estreitas e com trânsito aberto. Quanto à corrida era maioritariamente plana.

 

Campeã Nacional Individual de Triatlo na Distância Longa

 

A vencedora da prova, Vanessa Pereira, conta-nos que desde que a prova foi anunciada há um ano que demonstrou o desejo de a fazer, dado que seria nos Açores, numa altura em que o corpo pede descanso e numa distância que lhe ‘agrada muito’.

 

«A natação foi feita em 3 voltas, num total de 4km, que na minha opinião tornou esta longa hora menos monótona.» O percurso do ciclismo foi, tal como para outros triatletas, a parte mais difícil de superar. «Durante o ciclismo o mau tempo apareceu e foi marcado por chuva e nevoeiro que não me deixaram pedalar, e sim travar com medo de cair.» E Vanessa acrescenta que ‘foi uma pena pois com sol teria outro encanto’. «No percurso de duas voltas do ciclismo, cada uma de 60km, assentou que nem uma luva na gestão do esforço.»

 

Vanessa entrou com uma vantagem tranquila na corrida, o que lhe permitiu desfrutar das quatro voltas daquele segmento, fazendo os 30km a motivar outros atletas. «O melhor deste percurso é que não é monótono, uma vez que estamos sempre a ver atletas».

 

Segundo a opinião da triatleta, esta é uma prova «com muito potencial que precisa de investimento e melhorias, como por exemplo um percurso de ciclismo em estradas principais que tenham melhor pavimento e talvez parcerias com entidades que tornassem a prova mais acessível para os atletas.»

 

O Campeão Nacional Individual de Triatlo de Distância Longa

 

Quanto ao vencedor da prova, José Estrangeiro, terminou com a sensação de objetivo cumprido que era vencer individual e principalmente coletivamente para o clube se mantivesse na luta pelo título. «Senti-me bastante bem na natação, consegui impor logo um bom ritmo desde o início, selecionar um grupo. Saí da água com vantagem de 1’30’’ para o João Ferreira.» Estrangeiro conta-nos que apesar de ter ganho algum tempo na primeira volta do ciclismo, na segunda foi obrigado a gerir o esforço, já que as sensações não foram as melhores. «Acabei por sair do ciclismo apenas com 1’20’’ para João Ferreira (o segundo em prova). Na corrida optei por começar num ritmo controlado, já que eram 30km e sabia que ia ser bastante duro, à espera que o João me alcançasse; ele acabou por ganhar algum tempo nos primeiros três quilómetros , mas depois a partir daí comecei a ganhar tempo, cheguei a ter uma vantagem de três ou quatro minutos e a partir daí foi a gerir até ao fim, apesar de neste segmento também não me ter sentido nas melhores condições.»


O triatleta do CNATRIL Triatlo conta que a chuva e o nevoeiro dificultaram um pouco o trajeto do ciclismo que percorria algumas estradas mais secundárias, o que não facilitou a vida aos atletas. No entanto, José Estrangeiro faz um saldo positivo: «Foi uma boa prova, é uma distância boa de se fazer, que já requer alguma maturidade e experiência, o que constitui um desafio para todos os atletas. Foi uma aposta ganha na minha opinião», conclui.

 

Segue-se a última prova da época e última etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo de Longa Distância que irá realizar-se no dia 18 de novembro no IV Triatlo Longo de Vilamoura.

 

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 23 de maio de 2019 – 21:33:18

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...