13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Estágio Nacional Jovem de Natal

 

Com um programa muito diversificado realizou-se o Estágio Nacional Jovem de Natal nos dias 14, 15 e 16 de dezembro.


Os jovens triatletas ficaram alojados no Centro de Alto Rendimento do Jamor, pelo que foi possível absorver um pouco da realidade que ali se vive e contactar com alguns dos equipamentos e técnicas de apoio ao treino.

 

Nestes dois dias e meio, os jovens puderam igualmente desfrutar do convívio com atletas e treinadores de outros clubes e também com alguns dos triatletas de alto rendimento como João Pereira, Melanie Santos, Miguel Arraiolos e Vera Vilaça. Para além da experiência adquirida ao conhecer novas pessoas, um tema muito referido pelos jovens no final do estágio, as formações versaram sobre temas variados como nutrição, psicologia, testes biométricos, mecânica de bicicletas e treino nas diversas vertentes.

 

O responsável da Área Juvenil e Regiões, Artur Parreira, ficou muito satisfeito com o estágio, planeado e desenvolvido ao pormenor por vários elementos da Federação de Triatlo de Portugal. «Houve algumas alterações de última hora, mas soubemos implementá-las no momento de forma eficaz, sem prejudicar o estágio. No último dia, por exemplo, considerámos que podíamos cancelar o último treino de corrida, dado os atletas terem evidenciado sinais de cansaço».

 

O técnico refere que os três grandes objetivos do estágio foram alcançados, sendo que o primeiro e primordial objetivo era a «convivência mútua com atletas e treinadores de outras origens do país, de patamares de experiência em triatlo diferentes, que se traduziu uma experiência muito enriquecedora e a grande mais-valia deste estágio». «O segundo objetivo foi que os jovens triatletas tomassem contacto com áreas como a psicologia, a nutrição, a mecânica de bicicletas e também com os treinos e algumas das técnicas que irão encontrar daqui a alguns anos, quando estiverem muito perto do alto rendimento e das seleções nacionais.» continua Artur Parreira.

 

A terceira meta deste estágio era adquirir experiências para que atletas e treinadores pudessem partilhá-las pelos seus clubes na região onde habitualmente treinam, enriquecendo os profissionais da área e colegas de treino. «Só iremos compreender o alcance de alguns destes objetivos a médio-prazo quando forem aplicadas as experiências no terreno e no dia a dia; neste momento têm apenas um fim de semana muito enriquecedor em que todos gostámos muito de participar», conclui Artur Parreira.

 

O estágio iniciou na sexta, dia 14 de dezembro, às 17h, com um treino de natação com os atletas de alto rendimento, seguido de uma apresentação do Presidente da FTP, Vasco Rodrigues, do Diretor Técnico Nacional, António Fortuna, e do Responsável da Área Juvenil e Regiões, Artur Parreira. Ainda nesse dia houve uma formação em nutrição, com a nutricionista Mónica Sousa, onde os atletas adquiriram noções sobre a importância da alimentação para os treinos e provas. No segundo dia de estágio foi desenvolvido um treino de ciclismo em Monsanto, ao que se seguiu uma formação, ministrada pelo treinador do Clube de Triatlo do Fundão e profissional da área, António Catarino, apoiado pelos treinadores do S. L. Benfica e GD Santo António de Évora sobre afinação e reparação de bicicletas, assim como o uso de acessórios de ciclismo. Depois do almoço teve lugar uma formação de Psicologia e a seguir realizou-se uma formação sobre testes biométricos, onde os formandos se agruparam para visitar o Gabinete de Apoio ao Alto Rendimento e a sala de altitude. A natação encerrou o dia de atividades, em que a colocação de boias na piscina simulou um treino de águas abertas.


O último dia de estágio iniciou com 15km de ciclismo, depois do pequeno almoço no Centro de Estágio, a que se juntou a técnica de destreza – montar e desmontar-, assim como um treino de transições.


A sessão de encerramento realizou-se às 14h, onde os atletas partilharam a sua a opinião sobre a experiência do fim de semana, tendo o estágio terminado por volta das 15h30.

 

A maioria dos atletas afirmou ter «gostado do estágio, de treinar com os atletas do CAR ou das outras formações.» Mas aquilo que mais foi referenciado por todos foi o facto de poderem conhecer pessoas e desenvolver novas amizades dentro do triatlo.

 

 

Algumas das frases proferidas pelos atletas foram: ‘Estágio fixe e divertido’ ‘Ganhar experiência’ ‘Gostei da mecânica e da psicologia’ ‘Gostei muito das sessões, ensinaram-me coisas que não sabia’. ‘Espero repetir’. ‘O mais importante foi conhecer pessoas novas. ’Gostei do estágio, da comida e dos colchões’. Ganhei experiência.’ ‘Foi uma experiência muito enriquecedora’, ‘Gostei de conhecer atletas de todo o país’. ‘A parte mais importante foi o convívio entre todos’. ‘Em sete anos de triatlo, foi a melhor experiência da minha vida.’ Todas as componentes do estágio estavam bem organizadas’. ‘Ganhei motivação para continuar a treinar’. O objetivo foi alcançado, ter experiências novas e ganhar novas amizades, a realçar a nutrição e psicologia. ‘Gostei da sessão de mecânica de bike’. ‘Gostei muito deste estágio, uma boa iniciativa da FTP. ‘Conhecer pessoas porque não falava com elas nas provas’.’ Estágio extenso, mas aproveitaram os tempos de convívio’. ‘Levo daqui uma experiência muito boa’.

 

Os treinadores também tiveram uma palavra dizer, na questão da organização do estágio, por exemplo. Este fim de semana foi também referido como uma motivação extra para poder ser melhor atleta e alcançar melhores resultados. Os próprios treinadores referiram a aprendizagem que levam – ao ensinar e aprender neste estágio-, na partilha de experiências e na aquisição de ferramentas. No final referiu-se o nosso país como potência mundial do triatlo e como este estágio abre a possibilidade de aprendizagem contínua entre todos, tanto com os atletas que estão a iniciar, como com outros mais avançados, com os treinadores, com os técnicos e com os formadores.

 

António Fortuna, Diretor Técnico Nacional, afirmou «que houve uma partilha muito importante neste estágio, já que este se apresenta em moldes diferentes dos treinos». O DTN refere fatores importantes como a maior proximidade com os atletas e com os treinadores, o que pode revelar-se benéfico para ambas as partes: os treinadores levam ferramentas e conhecimentos para aplicarem no seu dia a dia de treino e a FTP aprofunda a compreensão sobre as necessidades sentidas pelos treinadores. Este estágio serve também para promover a ligação entre os clubes que estão geograficamente mais próximos e, por outro lado, dar a merecida importância ao circuito regional, utilizando-o como forma de apuramento para este estágio no final do ano. «É importante continuarmos a ter momentos destes que complementem o treino, principalmente até aos escalões juvenis. A perspetiva é desenvolver anualmente um estágio semelhante, ou até mesmo melhorando o modelo. Os cadetes já têm as primeiras competições Youth, por isso a possibilidade de integrar um estágio deste género pode motivar os escalões dos juvenis.»

 

Este estágio não se restringe aos aspetos específico de treino, como aprender e aperfeiçoar a tática e afinar competências técnicas; um dos grandes objetivos – já anteriormente referidos por Artur Parreira – é que se criem laços fortes dentro da modalidade, de modo a ganhar motivação extra para que os atletas permaneçam no triatlo. Outra grande mais valia, sendo este ponto semelhante com o que acontece nos estágios de alto rendimento, advém dos valores que se adquirem quando se partilha o mesmo espaço e as regras com outros atletas, desde os horários para acordar e recolher, o convívio no treino em conjunto, saber ‘ganhar’ ou ‘perder’, expor as suas opiniões e lidar com tantas pessoas diferentes.

 

«Foi também um momento importante para nós fazermos uns breves controlos de treino na natação e na corrida, para começar a traçar um perfil longitudinal das camadas mais jovens de modo perceber a evolução daqui a uns anos», explica António Fortuna. Este estágio permite conhecer alguns dos perfis dos atletas, perceber se as novas gerações estão com índice melhor ou pior do que as anteriores, o que se revela importante para a modalidade».

Vasco Rodrigues, presidente da FTP, fez os agradecimentos finais, salientado a disponibilidade dos treinadores na concretização deste estágio. «Um fim de semana muito intensivo em que a disponibilidade dos treinadores e de algumas famílias foi essencial». Como foi a primeira vez se realizou um estágio desta dimensão, com uma grande formação tão diversificada, o presidente afirmou que considera o figurino perfeito e que não será evento único, já que se encontra em perspetiva um outro estágio com um formato semelhante em Abrantes já no próximo verão. «Para além disso, haverá um encontro nacional de escolas direcionado para todos os atletas a nível nacional que queiram marcar presença.» A ideia será também, já em 2019, alterar um pouco o quadro competitivo nacional, com provas semelhantes aos anos anteriores, mas integradas num evento de dois dias. E o presidente lança um apelo: «Desafiem os vossos clubes, os vossos pais e os vossos treinadores para participarem neste segundo dia não competitivo, mas formativo, onde irão ter a oportunidade de adquirir novas experiências, participar em formações ou atividades diferentes fora do triatlo. E, muito importante, conviver!»

 

Vasco Rodrigues referiu-se também à vertente mais competitiva do Triatlo, nomeadamente nas camadas jovens que poderá servir de motivação, como termos estado presentes com uma das melhores seleções no Campeonato da Europa de Youth ou pela conquista do título de Campeões da Europa de Juniores de Estafetas Mistas, ou ainda a solicitação por parte da Federação de Triatlo Espanhola em estagiar em Portugal, pela reconhecida qualidade dos nossos atletas juniores. Uma outra novidade foi o convite formalizado por parte da Super League para competir em 2019 com uma seleção youth numa etapa em Malta. «Afirmamo-nos como dos melhores do mundo nas camadas jovens e isso é também fruto do trabalho desenvolvido pelos treinadores dos clubes e que a FTP quer apoiar, nomeadamente com a partilha de experiências em momentos como este, acreditando que juntos vamos mais longe!»

 

O presidente da FTP encerrou este Estágio Nacional Jovem de Natal salientando que o triatlo é uma modalidade onde pode existir esperança real em se ser atleta olímpico ou integrar a seleção nacional, o que não acontece na generalidade das modalidades. «Claro que nem todos irão ser atletas olímpicos, campeões do mundo ou pertencer a uma seleção nacional, mas sabem que a hipótese existe. Agora, nesta fase, o mais importante de tudo é que se divirtam para quando chegar a altura certa conseguirem ser aquilo que tiverem que ser, campeões da modalidade, treinadores, ou continuarem a usufruir das vantagens de se praticar triatlo. Agradeço a presença e a dedicação de todos!» concluiu o presidente da FTP.

 

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 23 de maio de 2019 – 15:15:09

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...