13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Ação de Formação de Ciclismo em Triatlo com Dan Lorang

 

Um dos mais conceituados treinadores da modalidade esteve em Portugal para ministrar uma formação em Ciclismo no Triatlo. Fomos conhecer melhor o treinador de celebridades como Jan Frodeno ou a equipa de ciclismo de Peter Sagan, três vezes campeão do mundo.

Como treinador não era tão conhecido como hoje no mundo desportivo, mas foi sempre movido por princípios de honestidade na sua profissão: e não é por atualmente treinar o Campeão Olímpico e vencedor do IRONMAN do Hawai, Jan Frodeno, ou ser coordenador técnico da equipa do Pro Tour, Bora Hansgrohe, a equipa de ciclismo de Peter Sagan, que alterou a sua forma de trabalhar. Para o coach, o mais importante são os objetivos dos atletas e todos sem exceção são merecedores do mesmo grau de empenho e atenção.

 

A FTP convidou Dan Lorang para estar em Lisboa em janeiro de 2019 para uma ação de formação dirigida a treinadores de triatlo interessados em melhorar e aperfeiçoar as suas competências em treino de ciclismo no triatlo, o segmento da modalidade que pode fazer a diferença numa prova.

 

Dan nunca tinha estado em Lisboa, e estava particularmente curioso com a formação, porque ainda para mais seria o seu primeiro contacto com a cultura desportiva portuguesa. «O meu objetivo principal era que as pessoas levassem desta formação alguma coisa diferente para aplicarem nas suas vidas profissionais.» Dan tinha preparado um programa flexível de dois dias que se fosse adaptando às questões que fossem surgindo.  O workshop correu muito bem segundo o treinador: «A sala estava cheia, as pessoas muito interessadas desde o primeiro dia e percebia-se que os treinadores queriam aprender porque colocavam questões para saber mais.»

A impressão de Dan era que havia um interesse real que originou discussão de ideias, criando-se um ambiente de uma saudável partilha de aprendizagem. Desta forma, espera ter contribuído para o desenvolvimento das competências dos treinadores, não apenas com o programa do workshop propriamente dito, mas igualmente com as diferentes e enriquecedoras experiências partilhadas por todos.

 

O Ciclismo no Triatlo

 

O workshop tinha um tema principal e específico que era o ‘Ciclismo no Triatlo’, mas passou por vários temas como o diagnóstico da performance, as várias hipóteses para orientar treinos diferentes, ou ainda, o sistema em que o treino se encontra inserido, abordando-se também a nutrição e fisioterapia. Colocando um pouco de lado a parte técnica, falou-se também sobre a relação treinador / atleta: «Se analisarmos o comportamento dos atletas chegamos à conclusão que a motivação é um dos pontos que têm em comum: os atletas treinam porque querem alcançar sucesso, não colocam problemas por seguir um plano nutricional, deitar-se cedo ou treinar com cargas elevadas. Tudo isto faz parte dos seus objetivos, pelo que os atletas profissionais conseguem facilmente atingir este patamar.» afirma Dan Lorang. Segundo a opinião do treinador, os atletas só necessitam de ser motivados quando algo não corre bem, como por exemplo um problema familiar, uma lesão ou um mau resultado inesperado. «Nestes casos o treinador tem que estar presente para motivar o atleta!» O treinador faz uma ressalva em relação aos atletas mais jovens que necessitam de uma orientação que deve ser realizada preferencialmente em presença, pois a necessidade de acompanhamento é diferente. «Os atletas mais novos precisam de mais atenção e de uma presença constante, já que a sua motivação tem habitualmente outras condicionantes, sendo mais volátil do que a dos adultos».


Dan orienta muitos dos seus atletas à distância, usando o telefone, e-mail, plataformas online para programar o treino ou Skype quando é necessário, utilizando a sua intuição para uma situação diferente que possa surgur. «Ligo uma vez por semana, os atletas contam-me como correram os treinos, as suas impressões e ajustamos o plano de treinos para a semana ou semanas seguintes».


O treinador segue vários atletas um pouco por todo o mundo, seis da equipa de ciclismo e oito do triatlo de longa distância, treinando 14 no total. E não está diariamente com os atletas, convive apenas com eles em estágios ou em algumas provas. A maioria treina onde vive, sendo por isso importante conhecê-los e perceber os sinais que lhes vão enviando nos contactos semanais estabelecidos. «Um atleta pode dizer que está bem de várias maneiras, mas a função dos treinadores é reconhecer quando efetivamente as coisas podem não estar a correr assim tão bem.» Por isso, quando existe desmotivação é necessário saber orientar para outras direções e motivar com uma abordagem diferente, indo desta forma ao encontro das necessidades do atleta na obtenção de uma performance mais elevada. «O modo como comunico com os meus atletas mudou nos últimos cinco anos, eu adapto-me consoante a melhor maneira de orientar os seus treinos. Já conheço há bastante tempo os atletas que estão a treinar atualmente comigo, o que facilita a comunicação, com exceção da Sarah True, que treina comigo há dois anos e com quem só estive presencialmente por breves momentos em alguns triatlos.»


As grandes provas em que os atletas pretendem participar funcionam como objetivos: «No ciclismo é mais complicado porque há muitas competições, no triatlo torna-se mais simples porque as provas são mais limitadas.». Depois de estabelecidos os objetivos é necessário alinhar o planeamento do treino para concretizar as metas propostas. «E depois da prova é necessário avaliar o processo e os resultados alcançados; é que existem bons atletas em treinos que não conseguem boas performances em prova. É necessário reajustar o planeamento e começar tudo de novo.»

 

Quem são os principais atletas de Dan Lorang?

 

O trabalho principal do treinador é a equipa de ciclismo do Pro Tour e alguns triatletas de distância longa. O primeiro contacto com Frodeno surgiu por acaso na piscina. «Ele abordou-me no sentido de eu o treinar, mas como não estava na melhor forma, eu disse-lhe que era melhor recuperar primeiro e depois podíamos falar nisso. Acho que gostou da minha atitude porque fui sincero com ele. Falei-lhe como faço sempre com qualquer atleta!» disse Lorang.

 

Dan considera que a relação treinador / atleta deve ser profissional, embora haja algumas pessoas com quem se ‘estabelece uma relação mais próxima’ em que existe um contacto em algumas datas festivas, mas prevalecendo sempre a relação profissional. Tenho muito respeito pelo trabalho dos atletas, pelas muitas horas de treino semanais e por todo o staff que os acompanha. «Estou sempre disponível, inclusive fora de horas, até porque sei que eles só ligam quando necessitam. A ideia que tenho do treinador é alguém que cuida do atleta em vários sentidos, sabe se ele ou ela está bem para as provas e orienta-o/a antes de depois das competições. Neste momento, Dan Lorang não consegue ‘aceitar’ mais atletas, dado que já treina um número considerável, o que requer bastante dedicação, mas tem a certeza que para funcionar o atleta tem que sentir que o treino resulta desta forma. Tal como acontece noutras profissões, ser treinador não é um processo garantido, é um trabalho contínuo que se mantenha o interesse do atleta e de quem o treina! «Às vezes converso sobre a possibilidade de treinar mais algum atleta, mas rapidamente chegamos à conclusão que não vai funcionar porque é necessário fornecer skills que eu não posso disponibilizar online». Dan afirma que compreende perfeitamente que haja atletas que não se sintam confortáveis com uma orientação à distância ou mesmo que deixem de querer ser treinados desta forma porque precisam de um apoio personalizado. «É uma decisão do atleta, é a sua carreira, e eu estarei a treiná-lo apenas se sentir que é benéfico para ele. E pergunto todos os anos aos meus atletas se querem continuar comigo, pus essa questão no caso de Jan Frodeno no Campeonato do Mundo do Hawai. Coloco apenas uma vez por ano a questão, mas a pergunta é sempre feita!»

Pela Federação de Triatlo de Portugal esperamos conseguir agendar outra visita do treinador Dan Lorang a quem agradecemos a simpatia e empenho demonstrados.

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 21 de maio de 2019 – 00:31:28

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

Reportagens fotográficas em preparação

- Lisboa Belém Open

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...