14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Nutrição e lesão: necessidades do treino

 

Uma ingestão nutricional adequada não só ajuda a evitar lesões, mas também auxilia na sua recuperação.


A ocorrência de lesão é um acontecimento comum nos praticantes de desporto, quer sejam atletas de nível elite ou praticantes recreativos. A qualquer lesão está associada uma certa gravidade e consequentemente um período de recuperação em que o atleta pode não conseguir treinar ou competir. Nestas circunstâncias, qualquer ajuda que possa acelerar o processo de recuperação é bem-vinda.

 

Para além dos tratamentos médicos essenciais à melhoria do atleta, a Nutrição também apresenta um papel benéfico na aceleração do processo de recuperação e retorno ao treino. Especialmente numa fase de recuperação, em que é necessária a uma reconstrução tecidular e diminuição da inflamação provocada pelo stress na zona de lesão ou fratura, é imprescindível manter uma correta ingestão calórica com o objetivo de evitar o défice calórico nutricional. Devem ser supridas as necessidades nutricionais pois numa situação de défice ocorrem situações desvantajosas. Exemplos disso são a perturbação do processo de regeneração da zona lesada (por existir pouca energia disponível para esse processo energeticamente tão caro), o aumento da inflamação local e ocorrer uma maior e mais rápida degradação da massa muscular, tanto devido à ingestão desadequada, como pela diminuição da atividade.


Tal como uma ingestão energética em défice é contraproducente no processo de recuperação, um excesso calórico muito acentuado também irá promover uma acelerada perda de forma física e ganho de peso, podendo ainda agravar a inflamação, e assim atrasar consideravelmente o processo de retorno-ao-treino.

 

No geral, os cuidados nutricionais a ter em consideração de forma a potencializar a terapêutica regenerativa são:

 

  • Evitar o défice calórico;

  •  

  • Manter um estado hidratado;

  •  

  • Aumentar o aporte proteico (ingerir mais de 2g/kg peso/dia);

  •  

  • Ingerir 20 a 40g de proteína a cada 3-4 horas do dia;

  •  

  • Aumentar o consumo de leucina (Leu) nas doses indicadas (em excesso será prejudicial).

  •  

É essencial aumentar o aporte de proteína e leucina pois irá impedir uma perda acelerada de massa muscular, promovendo a manutenção da massa muscular do atleta, irá promover a reconstrução tecidular e reduzir a inflamação. A capacidade saciante da proteína poderá ajudar a evitar grandes picos de apetite em certas fases do dia, ajudando na manutenção do peso.

 

Para além de alimentos, em situações mais graves, ou em situações em que o atleta já apresente um défice energético prévio à lesão (que é uma das mais comuns causas de lesões e fraturas), suplementos como Creatina monohidrato (proteína de absorção lenta) e Omega-3 (anti-inflamatório nas doses indicadas) representam complementos interessantes ao processo de melhoria do atleta.

 

Bons treinos em segurança!

 

Por Joana Romão, Nutricionista

 

Veja aqui outros temas que podem ser do seu interesse: Dieta regular e Aumentar a Imunidade do Atleta

 

 

Periodicidade Diária

sexta-feira, 14 de agosto de 2020 – 13:50:43

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...