12 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Volvo Ocean Race - Pode o Scallywag estar certo duas vezes?

 

Na 4ª etapa a caminho do seu porto de origem em Hong Kong, o SHK / Scallywag fez uma escolha radical, saindo dos Doldrums, cortou caminho e seguiu um rumo por dentro até à linha de chegada. Como resultado, eles navegaram menos milhas e passaram toda a frota a caminho de uma vitória espetacular.

 

Agora avance rapidamente para os primeiros momentos da 6ª etapa, onde o Scallywag encontra-se novamente numa opção mais por dentro, cortando a curva a direito para o sul e a linha de chegada na Nova Zelândia.

 

Há pouco mais de dois dias, não parecia uma boa opção. O Scallywag, com o AkzoNobel, estavam 120 milhas atrás dos líderes.

 

Mas a partir de 13:00 UTC de segunda-feira, o skipper David Witt e a sua tripulação estavam a liderar, com as seis equipas da frota separadas por apenas cinco milhas na distância até ao final.

 

A forma como o Scallywag e o AkzoNobel recuperaram mais de 100 milhas, não passou despercebida ao grupo que seguia na frente.

 

"Eles receberam tiraram uma carta da sorte, irritante", disse Dee Caffari, a skipper do Turn the Tide on Plastic, falando sobre o Scallywag. "Eles cometeram um erro, na verdade, mas eles ficarão nesta frente fria por mais tempo. Eles vão felizes a fazer 20 nós, enquanto nós temos que lidar com esta transição.

 

“A transição parece boa. Mas eles a longo prazo vão ter um ângulo pior. Nós pensamos que pagará estar mais a leste e esperamos que seja bom para nós ".

 

A transição para a nova brisa significa que o grupo dos quatro posicionados mais a leste (mas também ao norte) está a navegar com ventos fracos e instáveis, tentando fazer ganhos para leste.

 

MAPFRE, Turn the Tide on Plastic, Dongfeng Race Team e Team Brunel estão todos à vista um do outro, separados por menos de quatro milhas.

 

Mas do outro lado da transição, na nova brisa, as condições serão boas para fazer milhas para sul em direção aos Doldrums.

 

"Parece uma transição bastante rápida, está a cerca de três ou quatro dias. Estamos ansiosos por entrar nisso ", disse Peter Burling, do Team Brunel.

 

"O vento irá lentamente subir à medida que entramos nos ventos alísios, e chegaremos ao vento cerca dos 65 graus. Estamos muito felizes com isto, pois parece ser bastante rápido nestas condições ".

 

Mas, por enquanto, é o Scallywag e o AkzoNobel que estão a devorar milhas, tentando ficar com avanço suficiente para liderar nos ventos alísios e nos Doldrums.

 

 


 

segunda-feira, 21 de maio de 2018 – 05:05:43

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...