Estrelas da Vela reunidas em Lagos para o Campeonato Mundial de GC32

 

Heróis Olímpicos, vencedores da America’s Cup, Campeões da Volvo Ocean Race e alguns dos principais campeões mundiais estão esta semana em Lagos para amanhã se iniciar o Campeonato Mundial de GC32. A frota, para este que é o segundo evento da época 2019 do GC32 Racing Tour, e que acontece com o apoio da Câmara Municipal de Lagos, Marina de Lagos e Sopromar, é constituída por 10 equipas em representação de 7 países, incluindo China, EUA e Oman.

 

Uma contratação recente para o Team Tilt, de Sébastien Schneiter, é Glenn Ashby, o homem do momento, e skipper do Emirates Team New Zealand, defensor da America’s Cup. Ashby ajudou o Team Tilt a vencer o campeonato mundial do ano passado e conseguiu libertar-se das suas tarefas da America’s Cup para os ajudar a defender o título. Contudo, Ashby admite: “A última vez que naveguei foi no mundial de Classe A em Queensland, em Novembro. É engraçado como o envolvimento com a America’s Cup acaba por reduzir o tempo a bordo! Estas mãos de escritório estão a portar-se bem desde que voltei a puxar cabos!”

 

Ashby compreende a importância de campeonato mundial. Pessoalmente, venceu 10 vezes e é campeão em título do mundial do catamaran Classe A. Quanto às hipóteses que têm este ano, é realista. Esta é a primeira vez que o Team Tilt navegou o seu GC32 desde o mundial do ano passado e tiveram de voltar a concentrar-se no básico. “Para ser sincero, passámos vários dias a reaprender como virar de bordo e cambar.

 

Sobre Lagos, Ashby está impressionado: “Do que vimos, é absolutamente ideal – mar espectacularmente liso em 70% do tempo e bom vento, solarengo e quente. É basicamente perfeito para navegar com barcos em foils.

 

Ashby não é o único velejador actualmente envolvido com a America’s Cup. Sir Ben Ainslie, que é um dos “challengers” com o INEOS Team UK e que está em Lagos com a sua equipa INEOS Rebels UK. Para além de ser o velejador com maior sucesso olímpico de sempre, com a sua lista de 4 medalhas de ouro e uma de prata, Ainslie venceu ainda a America’s Cup em São Francisco com o Oracle Team USA, acompanhado pelo trimmer Joe Newton. Contudo, ainda mais impressionante é o número total de medalhas Olímpicas a bordo do GC32 Britânico – somam-se às medalhas de Ainslie as de Gilles Scott, que levou o ouro na classe Finn nos JO 2016, onde Iain Jensen levou a prata em 49er após ter atingido o ouro em 2012. O 5º elemento da tripulação é Luke Parkinson, que ganhou a Volvo Ocean Race com o Abu Dhabi Ocean Racing.

 

É muito bom estar de regresso a Lagos – é um local fantástico”, diz Ainslie, que aqui navegou pela primeira vez no ano passado, em GC32. “No ano passado tivemos algumas regatas fantásticas e desta vez temos mais equipas e temos mais treino no barco. É bom ter o Team Tilt a defender o título. Eles estarão muito fortes com o Glenn Ashby que vem do Team New Zealand, e vai certamente haver alguma rivalidade da America’s Cup! Esperamos uma competição de grande nível.” 

 

Igualmente bem-sucedido mas em esferas diferentes da vela é o francês Franck Cammas, skipper do Norauto. Entre os seus feitos está a vitória na Volvo Ocean Race, a mais importante regata offshore de França, Route du Rhum, detentor de um dos recordes antigos do Troféu Jules Verne, de navegação mais rápida à volta do mundo, assim como ser campeão múltiplo na classe de trimarans ORMA 60. Foi também vencedor da GC32 Lagos Cup, no ano passado.

 

É um bom local para competir”, diz Cammas sobre Lagos. “Normalmente tem mar liso. No não passado fizemos 2 dias de regatas com vento forte offshore que também foi muito bom porque o mar estava liso, e o vento com alguns saltos, sem que o percurso fosse viciado para um dos lados. No ano passado tivemos um bom resultado, mas este ano a frota está diferente. Esperamos melhorar em relação a Villasimius (o primeiro evento da 2019 GC32 Racing Tour). Aí tivemos bons e maus resultados, portanto temos de ser mais consistentes. Não estamos longe mas não tão estáveis como as equipas da frente.”

 

Cammas foi o skipper do desafio francês na última edição da America’s Cup na Bermuda, e muitos dos seus tripulantes estão agora a bordo do Zoulou, de Erik Maris, enquanto que outro antigo skipper da America’s Cup, o francês Seb Col, está esta época a bordo do Argo, de Jason Carroll, como táctico. Durante esta semana, tanto Maris como Carroll disputarão o troféu proprietário-timoneiro do Campeonato Mundial de GC32.

 

Umas das mais bem-sucedidas equipas de vela de todos os tempos é o Alinghi de Ernesto Bertarelli, vencedor da America’s Cup por duas vezes, e que também venceu a última edição da Extreme Sailing Series.

 

Esta semana, o talentoso Arnaud Psarofaghis toma o lugar de Bertarelli. “Não há pressão, mas temos de vencer e queremos ter competição de alto nível”, diz Psarofaghis. “Na água, vai ser o mesmo, e todos vão esforçar-se ao máximo, mas no final poderão ficar mais desapontados se não vencerem.” O Alinghi tem novos tripulantes desde Villasimius, com Nicolas Charbonnier a passar para a vela grande e táctica, Bryan Mettraux no trimming, Yves Detrey na proa e Timothé Lapauw de regresso após uma lesão. 

 

Sobre o local, Psarofaghis mostra-se impressionado. “É a minha primeira vez em Lagos e temos tido condições boas até agora. Com o mesmo vento de terra vai ser óptimo.

 

Uma terceira equipa da Suiça é uma novidade para esta época – O Black Star Sailing Team de Christian Zürrer, que entregou o leme ao quatro vezes velejador olímpico de Star Flavio Marazzi. Dois tripulantes principais do Red Bull Sailing Team são também Olímpicos significativos – o skipper Roman Hagara e Hans-Peter Steinacher foram campeões olímpicos na classe Tornado em ambos os JO de Sydney 2000 e Atenas 2004.

 

As equipas Oman Air e CHINAone NINGBO têm ambas timoneiros que são antigos vencedores do Campeonato Mundial de Match Racing. Adam Minoprio, do Oman Air, alcançou o título em 2009 antes de seguir para a Volvo Ocean Race. A sua equipa Oman Air vem a Lagos após vencer o primeiro evento do GC32 Racing Tour em Villasimius.

 

CHINAone NINGBO está numa curva de aprendizagem mais íngreme, com o campeão mundial de 2016 Phil Robertson, e a sua tripulação recém-chegados da participação do barco Chinês na prova do SailGP de Nova Iorque, no passado fim-de-semana.

 

Estamos com um pouco de atraso mas vamos esforçar-nos e tentar alcançar os da frente”, admite Robertson, que acrescenta sobre Lagos: “É bom. Quando o vento sobe, ouvi dizer que é fantástico. Deverão ser regatas giras. A frota parece ser difícil e há muitos barcos bons – todos os velejadores de topo estão concentrados neste evento.” Para este campeonato, os chineses incluem dois “aliados habituais” de Robertson, Will Tiller e James Wierzbowski.

 

A competição começa hoje às 13:00 horas e termina no Domingo. Para além das regatas normais, haverá também o Cascade Sopromar Speed Challenge. A equipa que atingir a velocidade média mais elevada ganhará o prémio de 5 quartos duplos por 3 noites no Cascade Wellness & Lifestyle Resort, de 5 estrelas, em Lagos. 

 

 

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...