14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Castêlo da Maia GC X SL Benfica na Final da Taça de Portugal

 

O Castêlo da Maia GC e o SL Benfica defrontam-se amanhã (18h30 / Sport TV) na Final da Taça de Portugal de seniores masculinos, organizada pela Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) com o apoio do Município de Sines, a disputar no Multiusos de Sines.


Hoje, os dois finalistas enfrentaram diferentes oposições.

 

O Castêlo da Maia GC venceu por 3-0 (25-20, 30-28 e 25-21) o Leixões Sc e apurou-se para a final de amanhã da Taça de Portugal, a decorrer no Multiusos de Sines.

Início prometedor, com as equipas a disputarem o jogo taco a taco, nunca se conseguindo afastar mais do que um ponto. O Castêlo da Maia GC chegou em vantagem ao primeiro tempo técnico (8-7), com um bloco do capitão Gilson França.
Os maiatos lograram dilatar a vantagem através de dois pontos consecutivos (bloco e ataque) do central Helder Spencer (13-10) e conseguiram mesmo robustecer a diferança à chegada à segunda paragem obrigatória, fruto de um ponto no ataque rubricado por Francisco Rocha, mais conhecido como Fabião (16-11).


À entrada para a recta final do set, um mergulho de Rui Moreira foi recompensado com o 20-14, uma distância pontual considerável, que os leixonenses tentaram anular (22-19, num penalty de Filipe Pinto), mas sem conseguirem evitar o 25-20 final, num amorti de Fabião, o melhor pontuador do jogo, a par de Filipe Pinto, no primeiro parcial.

O segundo set foi bem diferente, já que a equipa orientada por João Coelho comandou o marcador desde o início (3-0, 12-8) e, malgrado a reacção dos matosinhenses, aos 12-9, com um serviço directo de Coriolano Santos, e aos 15-13, com um bloco de Filipe Sousa a Fabião, conseguiu chegar em vantagem ao segundo tempo técnico (16-13).
Apoiado pelos seus adeptos, o Leixões SC reagiu e reduziu a diferença, por intermédio de Filipe Pinto (17-15), mas dois ataques falhados voltaram a distanciar os maiatos (20-16)...


O volte-face aconteceu quando dois erros no ataque maiato deram novo fôlego aos leixonenses (21-20) que redobraram de confiança quando Tomás Silva igualou (22-22). E foi este mesmo jogador que rubricou o 25-24. Num ponto muito contestado pelos leixonenses, os maiatos chegaram aos 27-26, mas falharam um ataque. De novo em vantagem após um ataque de Gilson França, o Castêlo conseguiu o triunfo suado aos 30-28.

O triunfo no segundo parcial deu motivação extra a uma equipa já de si bem determinada.


O terceiro set confirmou o triunfo dos maiatos num jogo bem disputado pelas duas equipas e que chegou a empolgar o público. 


Mas a vitória da equipa de João Coelho foi mais suada do que parece, já que a formação orientada por Bruno Carvalho anulou uma desvantagem de 13-18, chegando a um apertado 17-18 e 20-21.


Contudo, o pressing dos maiatos foi recompensado com um triunfo por 25-21 e uma presença na final de amanhã.

Os maiatos Renan Freire, com 18 pontos, e Fabião, com 15, foram os melhores pontuadores do jogo.

Gilson França foi o MVP de um jogo disputado com muito fair-play. 

No final, o Zona 4 maiato Rui Moreira salientou:
"Parabéns ao Leixões, pois mostrou que tem uma grande equipa e bateu-se sempre pela vitória. Parabéns ao nosso público e à nossa equipa, pois estamos aqui por mérito próprio e pelo trabalho que realizámos ao longo da época. Tem sido uma excelente Final Four, muito bem organizada, e espero que uma competição concentrada como esta se repita pois é boa para os clubes e para os adeptos"

O distribuidor José Neves reconheceu:
"Estar na final é excelente e só por si já justificava o trabalho desenvolvido ao longo da época, mas queremos mais, o que, nesta competição, significa vencer, pois queremos aproveitar esta oportunidade para dar um prémio à equipa".

O oposto Filipe Pinto considerou:
"O segundo set acabou por fazer a diferença e ser decisivo, pois podíamos ter conseguido o 1-1, mas falou-nos um bocadinho de sorte. É verdade que o jogo nos podia ter corrido melhor, no entanto, temos de estar satisfeitos porque cumprimos o objectivo principal da época que era atingir as meias-finais da Taça de Portugal".

 

A segunda meia-final, disputada por SL Benfica e AA Espinho saldou-se pelo mesmo resultado (3-0), mas foi bem diferente do anterior, tal a superioridade evidenciada pela equipa lisboeta no marcador: 3-0 (25-15, 25-11 e 25-15). 

 

No primeiro set, os encarnados começaram por embater na vontade e determinação das hostes espinhenses (8-8), mas depois lograram criar uma vantagem e transformá-la num fosso pontual (22-14) de difícil transposição: 25-15.

 

O segundo não foi diferente. Fazendo valer o seu bloco duplo e triplo, a equipa de José Jardim chegou com facilidade a novo triunfo: 25-11.

 

Tal como o primeiro, o terceiro set também se iniciou sob o signo do equilíbrio (3-2, 6-4, 8-5), mas logo encarrilou na toada dos anteriores (14-10, 16-11) até ao 25-14 final.

 

Tiago Violas, distribuidor do SL Benfica, reconheceu:
"Esperávamos um jogo mais difícil e o começo parecia querer dar-nos razão, pois as duas equipas entraram bem e houve algum equilíbrio inicial. Depois, a superioridade do SL Benfica impôs-se e acabámos por fazer um bom jogo frente a uma equipa que se bateu sempre mas não possui os mesmos argumentos.
Amanhã, há sempre pressão numa final. Não vai ser fácil, pois o Castêlo da Maia GC está a fazer um excelente campeonato e já perdemos na Maia, mas a nossa equipa está muito confiante na vitória".

Manuel Silva, Zona 4 da AA Espinho, salientou:
"Não aconteceu nenhuma surpresa, pois sabemos bem do valor do Benfica, que tem uma equipa muito superior em todos os aspectos.
Estamos a aprender para ficarmos mais fortes. Os nossos objectivos foram atingidos: o 8.º lugar no campeonato e a presença na Final Four. Foi muito bom para nós em termos de aprendizagem e recompensou o trabalho realizado até agora".
 

 

Periodicidade Diária

sexta-feira, 15 de novembro de 2019 – 08:05:35

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...