14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

2ª Corrida do Sporting

"São grandes"

A 2ª edição da Corrida do Sporting esteve em alta, como se previa. 4181 foi o número de atletas chegados à linha da meta depois de 10 Km percorridos.

Se acrescentarmos a este número a quantidade de crianças que participaram animadamente na Corrida Jubas, divididas por idades, a 2ª edição da Corrida do Sporting deve ter posto a correr perto de 5000 pares de pernas.

E por cada inscrição, incluindo as crianças, recebeu a organização qualquer coisa entre 10 e 15 euros.

Entrega de dorsais apenas nos dias antecedentes à prova, oferta de t-shirt, fita-porta-chaves e uma revista.

O dia da prova

Horários cumpridos, quer nas Corrida "Jubinhas" quer na prova principal. Partidas dadas pelos simpáticos e admiráveis atletas Francis Obikwelu e Naíde Gomes.

Na Corrida principal, alinhamento e partida dos atletas por blocos de tempos, ficando os mais lentos como eu na cauda do pelotão, com apenas "meia dúzia" de  atletas atrás, para além de um grupo de participantes em cadeiras de rodas acompanhados.

.A prova apresentou-se bem organizada. Após a partida, depressa os milhares de corredores fluem pelas avenidas da capital, sem trânsito, bem sinalizado, com 2 abastecimentos de água, controle por chip, quilómetros marcados, algum apoio popular, destacando-se uma sensacional claque leonina e suas imponentes bandeiras ondulantes no ar.

A Corrida desce quase até à Rotunda do Marquês e retorna.

 

Estamos sempre acompanhados. Atletas, membros da organização, agentes de autoridade, e eu entre amigos quase sempre.

Depressa a entrada no Estádio José Alvalade. O momento esperado, ansiado e prometido. Expectativa defraudada no entanto. A Meta é logo ali sim, e podemos desligar o cronómetro. Mas não temos fotógrafos a registar o momento. Foram corridos dali para fora logo depois de ter chegado a 3ª classificada feminina. E sim, havia por ali fotógrafos, particulares e também profissionais, mas de que a organização disponibilize fotos da chegada dos verdadeiros atletas de pelotão à Meta, não consta nesta história. 

 

E mal o cronómetro é parado, param também abruptamente as pernas e todos os músculos e todos os órgãos, num arfar ofegante da boca de cada atleta e num funil estreito e cheio de atletas obrigados a caminhar contra as costas dos que seguem à sua frente igualmente lentos, pois o escoamento não se fazia como devia. Sem espaço para caminhar, sem espaço para alongar, sem espaço para respirar, sem espaço para retirar o chip e sem água. Este é o Estádio José Alvalade a que fomos obrigados a dar uma volta a passo de caracol sem água. Este é o afamado Estádio José Alvalade e a chegada da 2ª edição da Corrida do Sporting. Pelo lento caminho é-nos dada a medalha. Bonita e de bom gosto, como a da edição anterior. No entanto mantêm-se o erro do ano passado: as medalhas são dadas aleatoriamente, um ponto aqui, ali e acolá. Com a maior das facilidades um atleta sai de lá sem medalha, porque vai no meio, porque não se apercebe, etc., como de forma similar, pode receber 2 ou mais medalhas, se for esse seu intento, com as previsíveis consequências (faltarem medalhas).

 

Por fim, já na saída do estádio, é-nos dado um saco com água, bebida isotónica e uma maçã. Mas já tínhamos parado há demasiado tempo.

 

As classificações foram disponibilizadas rapidamente, assim como um diploma para cada atleta.

 

Estava tudo muito bem, mas pelos EUR 15,00 que paguei merecia muito mais na chegada desta 2ª Corrida do Sporting. Chegada esta que sem qualquer dúvida, é ponto negativo assinalável nesta grande Corrida que tem tudo para ser de facto um sucesso, mas sucesso não é só ser grande, é fundamentalmente focar-se nos atletas e privilegiar o seu bem estar. Desprezar e dispensar os fotógrafos após a chegada da 3ª atleta feminina, impedindo-os de fotografar dentro do Estádio o pelotão, fotógrafos esses que apesar de amadores são eles que na maior parte das provas levam ao atleta de pelotão a sua foto de participação, a sua chegada à meta, o seu momento de glória, foi no mínimo falta de pedigree.

 

Ana Pereira

http://mariasemfrionemcasa.blogspot.com/ 

Periodicidade Diária

domingo, 9 de agosto de 2020 – 20:33:28

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...