13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

58.º Grande Prémio Natal EDP promete reviver tempos áureos

 

Foi apresentado no dia 26 (5.ª feira), no Hotel Dom Pedro, em Lisboa, a edição 58 do Grande Prémio de Natal, uma das provas com mais emblemáticas do pedestrianismo nacional, e promovida pela Associação de Atletismo de Lisboa. Este ano com o forte patrocínio da EDP e organização do Maratona Clube de Portugal, a competição promete no dia 13 de Dezembro, reviver os tempos áureos com as lutas Benfica-Sporting pelos lugares de honra, nomeadamente no sector masculino. Também o canal 4 da televisão generalista, a TVI, se junta associa à organização, e promete, para além de transmitir em directo, encher os Restauradores de público para aplaudir, não só os melhores, mas os cerca de 5.000, número de participantes admitidos pelo regulamento.

 

Sala cheia de jornalistas e convidados na conferência de imprensa

 

«A edição deste ano será em tudo diferente. Diferente porque terá o patrocínio da EDP. Diferente, porque terá a organização do Maratona Clube de Portugal, e tratando-se de uma prova tão carismática, será doado um Euro por cada inscrição, a favor da Reefood, ajudando assim esta Instituição que apoia pessoas carenciadas» adiantou Ana Sofia Vinhas, representante da EDP na reunião com os média, e convidados. Todavia, a antiga jornalista, foi mais longe, e confessou que «a EDP quer ir mais longe. A prova realiza-se já em plena época natalícia e convidámos os nossos colaboradores a juntarem-se a este espírito de solidariedade, confeccionando 500 refeições, para a Reefood. Da nossa parte prometemos não ficar indiferentes a esta corrida tão carismática, e vamos trazer de Viena uma Orquestra. E não é uma Orquestra qualquer. É uma Orquestra que faz música através de vegetais. E mais não digo…» rematou Ana Sofia Vinhas.

 

«Um enorme desafio e uma enorme responsabilidade»

 

Carlos Móia na apresentação da corrida

 

Carlos Móia, presidente do Maratona Clube de Portugal enunciou as razões porque levaram a sua equipa a organizarem a corrida, substituindo a Associação de Atletismo de Lisboa que nos dois últimos anos já havia cedido a organização a empresas do Grupo Sonae. «A primeira vez que esta prova se realizou, foi no ano de 1949. O ano em que eu nasci, vejam bem. A cidade era diferente, podia enumerar aqui uma quantidade de coisas que não existiam. Nesse ano, a partida deu-se na Calçada de Carriche em direcção ao Campo Grande, com a Meta nos Restauradores. As coisas foram mudando e o Grande Prémio de Natal deu muitas voltas. Chegou a ser proibida pela Câmara Municipal de Lisboa por várias vezes, mas regressou sempre até aos dias de hoje. Por isso, numa corrida com tanta história, e para nós um enorme desafio e uma enorme responsabilidade» sublinhou Carlos Móia.

 

Prometida luta renhida entre o Benfica e o Sporting

 

Paulo Guerra, Sara Moreira, Carlos Móia, Ercília Machado e João Pereira (triatlo) na foto de familia

 

O emblema de Alvalade foi o grande dominador por equipas do Grande Prémio do Natal. Soma 24 triunfos, contra 10 do Benfica. Individualmente, Carlos Lopes, é o atleta que conta com maior número de vitórias: seis, num quadro de honra recheado dos grandes nomes da corrida pedestre nacional, como Manuel Faria, Manuel Oliveira, Fernando Mamede, Aniceto Simões, Rafael Marques, Alberto Maravilha, Luís Jesus, e mais recentemente, Rui Silva, e Luís Feiteira, todos do Sporting. Do lado do clube da Luz, Armando Silva, em 1951, foi o primeiro a vencer, seguindo-se, Anacleto Pinto (1965, 67, e 68), João Campos, António Leitão, Fernando Couto, e José Ramos. Já no sector feminino, que só entrou em 1977, Teresa Gomes (Ases das Avenidas) foi a primeira a ganhar, sendo depois a corrida dominada pelas grandes fundistas: Rita Borralho, Lucilia Soares, Teresa Nunes, Fátima Carvalho, e mais recentemente, Marisa Barros, em 1990, todas do Benfica. Do lado leonino, Carla Sacramento venceu em 1991 e 92, Marina Bastos (93), e Ana Dias, em 1994. Lassalete Mineiro, e Inês Monteiro, da Juventude Operária de Monte Abraão (JOMA) venceram duas vezes cada, juntando-se-lhes, Sandra Pinto,m dando ao clube da cidade de Queluz, 5 vitórias na prova. Ombreando na luta entre os rivais lisboetas.

 

Para o dia 13 de Dezembro, na lista dos candidatos não faltam nomes sonantes, como Rui Pedro Silva, Rui Pinto, Ricardo Ribas, Hélio Gomes, Dulce Félix, Vanessa Fernandes, e Salomé Rocha, todos do Benfica, enquanto do lado do Sporting, Sara Moreira, Jéssica Augusto, Ercília Machado, e Leonor Carneiro, Hermano Ferreira, Licínio Pimentel, Rui Teixeira, Pedro Ribeiro, entre outros, prometem elevar a luta pelos lugares de honra na corrida.

 

As inscrições, essas, e limitadas a 5.000 concorrentes estão praticamente esgotadas. Ainda assim, vale a pena passar por uma agência do BANIF e saber se ainda existe uma qualquer vaga para a grande festa lisboeta, nomeadamente da EDP, e do Maratona Clube de Portugal, e dos parceiros associados da corrida.

 

 

Texto e fotos: Ventura Saraiva

 

 

 


 

segunda-feira, 15 de outubro de 2018 – 12:26:14

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...