15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Miguel Barbosa. Português, 42 anos, oito vezes campeão nacional de todo-o-terreno

 

 

Piloto de competição profissional Miguel Barbosa é uma referência nos desportos motorizados em Portugal. Com a conquista do oitavo título na sua modalidade de eleição eleva para dez as vezes que já se sagrou Campeão Nacional, sendo que por duas vezes o tinha conseguido nas disciplinas de Velocidade.

 

Depois de um período de quatro anos dedicado à muito exigente disciplina de ralis onde o piloto de Lisboa evidenciou um desempenho notável, Miguel Barbosa, regressou este ano de forma triunfal ao todo-o-terreno. No horizonte vislumbram-se agora novos desafios, quiçá além-fronteiras.

 

 

A herança de família

 

Miguel Barbosa cresceu num seio familiar em que a componente desportiva se destacou. O pai, Carlos Barbosa, apaixonado pelo desporto automóvel participou em diversas competições e Miguel Barbosa sempre o acompanhou. O pai foi o grande impulsionador do piloto. Além disso, também na família a herança de Ernesto Neves, tio de Miguel Barbosa (irmão da sua mãe) e um dos maiores campeões de sempre, se sente no pulsar do piloto que acabou por lhes seguir as pisadas quando ainda adolescente começou nos karts. Esta paixão progressiva fez com que o jovem despertasse para o automobilismo e depois dos Karts veio a Fórmula Ford. Em 1999 Miguel Barbosa estreia-se no todo-o-terreno. Três anos e já profissional sagra-se vice-campeão nacional e europeu. A partir dai nunca mais parou.

 

 

De regresso aos títulos

 

Depois de quatro anos nos ralis onde ombreou com os melhores pilotos nacionais, o regresso ao TT fez-se com uma vitória na Baja ACP. A esta seguiram-se dias de confinamento e incerteza, mas cumprindo todas as orientações e normas determinadas pela DGS foi possível dar continuidade ao Campeonato e Miguel terminou o ano com mais um título.  

 

Tendo estado ausente na prova de abertura – a máquina que escolhera para o regresso tinha competido no Dakar e ainda estava a ser preparada - Miguel Barbosa e o seu navegador Pedro Velosa necessitaram de apenas três corridas para ascender à liderança e depois ao título. Três jornadas onde subiu sempre ao pódio.

 

 

Uma máquina fantástica

 

A aposta para esta temporada assente num projeto novo e ambicioso foi a supercompetitiva Toyota Hilux, da equipa Overdrive, máquina vencedora do Rali Dakar 2019 que apresenta um chassi tubular, carroçaria em carbono, suspensão independente, tem duas suspensões por roda. Apresenta uma caixa de velocidades de manuseamento sequencial de seis velocidades.

 

 

A sintonia entre piloto e navegador

 

Miguel Barbosa voltou, este ano, a ter ao seu lado Pedro Velosa, o navegador que o acompanhou no título conquistado em 2012. O ambiente de competição, a máquina, as condições climatéricas, todo o trabalho de equipa de preparação para as provas e o desempenho do piloto são fatores preponderantes em ambiente de competição. Para além destes, assume também enorme relevância o trabalho realizado pelo navegador e a boa sintonia entre este e o piloto.

 

 

Treinar, treinar, treinar …

 

Com 42 anos de idade Miguel Barbosa aposta forte na preparação física e, juntamente com o seu personal trainer consegue em ambiente de ginásio e fora deste executar um plano abrangente que lhe permite dar resposta às exigências das competições. O cenário frequentemente escolhido é o Estádio Nacional.

 

No que à pilotagem diz respeito, Portugal é dos países na Europa que apresenta terrenos de excelência para a prática do TT, mas para uma preparação para o Dakar, de exigência mais elevada é necessário procurar espaços além-fronteiras. Marrocos, bem perto de Portugal, é o cenário ideal, onde é possível testar e treinar em excelentes condições. Dispõe de areia e montanha bem como uma forte componente de navegação, requisitos essenciais para preparar as grandes competições internacionais.

 

Aventura no Dakar

 

Miguel Barbosa estreou-se no Dakar em 2006 conquistando o prémio de melhor piloto estreante. Voltou a África em 2007 e experimentou o Dakar na América do Sul em 2010. Uma dezena de anos depois e com a prova rainha do todo-o-terreno na Arábia Saudita, um novo desafio poderá vir a ter lugar além fronteiras….

 

 

Patrocinadores são fundamentais

 

Os patrocinadores sabem que os portugueses são apaixonados pelo desporto automóvel. O desporto automóvel cria empatia e emoção, tem um fator exponencial muito grande, o que acaba por fazer dele uma ferramenta de marketing muito interessante para os patrocinadores poderem divulgar as suas marcas. Eles sentem essa realidade e projetam-se nela. Mas o desporto automóvel é caro e não é fácil muitas vezes conseguir os indispensáveis apoios. Com patrocinadores fortemente envolvidos no desporto motorizado como é o caso da BP, Vodafone e Castrol, Miguel Barbosa empenha-se de forma muito ativa nas mais variadas dinâmicas que lhe permitam potenciar os apoios recebidos.

 

 

Segurança ao volante

 

A prática do desporto automóvel exige muita concentração, experiência e treino. Não deixa de ser um desporto perigoso, onde o respeito pela modalidade é também necessário e deve ser uma constante. De qualquer modo, o nível de segurança ao volante é elevado. Fatos anti-fogo, capacete em carbono e dispositivos de elevada segurança para o pescoço e coluna. A prática da modalidade exige ainda alguma regularidade na substituição dos equipamentos de modo, a manter o elevado nível de segurança em competição.

 

 

Periodicidade Diária

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021 – 05:11:10

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...