13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Batismo do Navio “Mein Schiff 2” em Lisboa

 

No passado dia 9 de Fevereiro decorreu em Lisboa a cerimónia de batismo do mais recente navio de cruzeiros da companhia alemã TUI Cruises, o “Mein Schiff 2”. Em tradução direta “Mein Schiff” significa “O meu navio”.

 

Estivemos a bordo durante os preparativos da cerimónia onde fizemos uma entrevista e tivemos uma visita guiada com a própria diretora de comunicação da companhia.

 

Ao receber-nos Godja Sönnichsen encaminhou-nos para o Lounge onde tivemos uma agradável receção, uma conversa de quinze minutos, acompanhada por uma bebida.

 

AMMA: Qual o motivo da cerimónia de batismo do navio em Lisboa?

 

GS: Esta é a primeira vez que temos a cerimónia de batismo de um navio em Lisboa e também fora da Alemanha. O porquê de escolher Lisboa tem a ver com o facto de termos recebido o navio dois meses antes do previsto, e receber o navio em Fevereiro na Alemanha com gelo e frio não era nada do que queríamos. Então decidimos navegar mais abaixo para uma zona mais soalheira e o mais breve possível, e Lisboa estava na nossa rota. O navio partiu da Alemanha no fim de Janeiro e estamos aqui em Lisboa agora para a cerimónia de batismo. Tal como os portugueses sabem bem, Lisboa também é a cidade de partida de grandes navegadores que exploraram o mundo. Nós fazemos um pouco do mesmo,

partimos com passageiros que querem conhecer também um pouco do mundo. Dai pensarmos que seria uma boa ideia o fazermos em Lisboa, e também por terem uma cidade bonita e especial para os nossos passageiros. 

 

AMMA: Já existe um “Mein Schiff 2”, vão manter ambos com o mesmo nome?

 

GS: Essa é uma boa questão… a TUI Cruises teve início há 10 anos, contudo não tinha navios. Como podemos ter uma empresa de cruzeiros sem navios?… então adquirimos dois navios à Royal Caribbean, modernizámo-los e batizámos como “Mein Schiff 1” e “Mein Schiff 2”. De seguida começamos a construir novos navios até ao “Mein Schiff 6”. Quando planeamos descontinuar o “Mein Schiff 1”, pensamos porque não começarmos a contagem de novo. Foi desativado o “Mein Schiff 1” antigo e batizado o novo “Mein Schiff 1”. O mesmo foi pensado para o “Mein Schiff 2”, mas o navio era tão conhecido e popular para os nossos passageiros que decidimos mantê-lo assim e necessitámos de escolher um novo nome para o antigo navio que foi “Mein Schiff Hearz” [em português “O Meu Navio do Coração”] .

 

AMMA: Este navio está preparado para receber passageiros com necessidades especiais? Com oxigénio, cadeiras de rodas…

 

GS: Sim está. Nós temos acima de 10 cabines para pessoas de cadeira de rodas, temos a bordo uma clínica com médicos qualificados, que falam alemão e estamos preparados para os cuidados necessários para os nossos passageiros em caso de emergência. Não é um Hospital, mas uma Clínica Moderna em que os médicos fazem a avaliação e o tratamento. Em caso de necessidade de evacuação urgente, faz-se por helicóptero ou outro meio.

 

AMMA: Qual é a média de idades dos vossos passageiros?

 

GS: Em primeiro lugar, o conceito dos nossos navios é para um mercado cuja língua base seja o alemão, ou que falem alemão, como os austríacos, holandeses, etc. não só para o conforto de falar a língua fluentemente mas também para ir de encontro aos hábitos alimentares (ementas e horários das refeições) por exemplo na Alemanha o jantar é por norma mais cedo do que em Portugal ou Espanha. Quanto às idades, estamos abertos para receber passageiros de qualquer idade, contudo a média de idades é 53 anos. Também depende da altura do ano e da rota do navio. Nas férias escolares temos muitas famílias com crianças, e por exemplo no Inverno vamos para itinerários com mais Sol e um estado do tempo mais agradável, como as Caraíbas ou o sudeste Asiático. Quanto maior for o voo, mais novos são os passageiros. Por exemplo, se o itinerário for para a Noruega é mais atrativo para passageiros com mais idade, que escolhem locais calmos, Natureza. Se for mais de praia, piscina e Sol é para passageiros mais novos.

 

AMMA: É grande a diversidade da tripulação?

 

GS: Sim, temos acima de 40 nacionalidades a bordo, os que têm contacto direto com os passageiros têm que falar alemão já com um determinado nível. De qualquer forma temos professores de alemão a bordo que dão aulas gratuitas à tripulação que desejar. São pessoas de muitas nacionalidades diferentes, mas têm uma boa convivência entre todos.

 

AMMA: Quantos decks tem este navio?

 

GS: O navio tem 15 decks. Tem o comprimento de 315.7m capacidade para 2894 passageiros e  1100 tripulantes, uma média de 1 tripulante para servir 2.5 passageiros, pensamos que é uma boa média. O nosso serviço é premium, desde

que o passageiro se senta numa mesa vem um funcionário atendê-lo e servi-lo. Num dos maiores restaurantes que temos tem serviço de mesas com empregados de mesa sem ter que pagar extras. Esta é uma diferença que temos perante outras companhias de cruzeiros, um conceito que chamamos “Premium all inclusive” [De alto nível, com tudo incluído]. Por exemplo nós sentámo-nos aqui, tomámos a nossa bebida, o nosso cocktail e está incluído no preço, o café que toma,

o vinho que escolhe para acompanhar a sua refeição está tudo incluído no preço. Isso marca a diferença por outras companhias em que pagamos extras em muitos serviços a bordo. Isto torna a viagem dos nossos passageiros mais relaxante sem terem que se preocupar com os consumos. Se viajar com crianças não necessita de controlar os gelados que eles já consumiram.

 

AMMA: Este navio está projetado para vários segmentos na mesma viagem?

 

GS: Não temos esse tipo de sistema a bordo. Nós temos o que torna especial cada navio da frota da Mein Schiff, nenhum em particular é comum a todos, é que cerca de 80% dos camarotes têm varanda. De facto temos suites maiores e os clientes das suites têm uma área exclusiva para eles, mas é uma área muito pequena. Todos os camarotes têm uma máquina de café [tipo Expresso] onde poderá tomar o seu primeiro café do dia sem ter que sair do camarote. Queremos proporcionar aos nossos passageiros muito espaço, seja em privado, seja em áreas comuns. Temos tetos altos, muitas janelas para criar uma boa atmosfera. O design do navio torna-o muito luminoso.

 

 

 

Tendo terminado esta entrevista no Lounge do Deck 4, fomos conhecer o novo Mein Schiff 2, passando pela área dedicada à sugestão de excursões em que o passageiro passa o seu cartão e consulta a oferta de visitas para as próximas paragens. Embora estes quiosques sejam eletrónicos, têm tripulantes especializados para ajudar os passageiros a realizar a melhor escolha.

 

Como se avizinhava noite de festa na receção estava montado um cenário com motivos portugueses e em particular alguns lisboetas. Estes três dias de escala na cidade de Lisboa deu para preparar a festa de batismo do navio e para que os passageiros desfrutem da cidade que está tão bem classificada nos roteiros turísticos a nível mundial.

 

A madrinha do navio é a cantora alemã Carolin Niemczyle (canta no duo Glasperlenspiel com o cantor Daniel Grunenberg). À hora que passamos por este átrio já estava uma fila considerável a pedir autógrafos à artista e madrinha do novo Mein Schieff 2.

 

Estávamos ainda na hora do “Bolo com café”, uma tradição alemã que cerca das 15h00 tomam um café acompanhado por um bolo, em família ou com amigos convidados para um momento de convívio, neste caso os bolos disponíveis eram

de alta pastelaria.

 

O navio dispõe de 12 restaurantes, em que à exceção de um, todos têm serviço de mesas. Um deles, tem buffet livre 24h por dia, mesa posta e os passageiros podem utilizar livremente.

 

Os Leds em cascata luminosa e as escadas também iluminadas pela mesma tecnologia, faz um efeito muito interessante na área de um dos dois grandes restaurantes durante a noite.

 

 

Passamos pelo ginásio em que tem um conjunto de máquinas de alta tecnologia para utilização livre dos passageiros. Caso queiram acompanhamento especializado ou aulas, podem ter como extra. O navio dispõe de sauna, Spa, uma 

piscina de 25 metros (que neste dia estava coberta para as atividades da festa) rodeada de bares, e serviços de comida “fast food” ou Snack, como lhe queiramos chamar. Há uma outra piscina mais pequena atrás, e ainda um jacúzi junto a

ela.

 

Num dos decks também existe um espaço de comida de Snack em forma de autocarro, dando mesmo o ar de “fast food”.

 

Quem gosta de bicicleta e de correr, tem uma pista de jogging com 500m em redor de uma das partes exteriores do navio e assim pode manter a forma ao ar livre.

 

Há um pavilhão coberto multiusos, em que tanto dá para fazer vários tipos de atividades desportivas de interior, como possui um ecrã e em dias de chuva se pode assistir a jogos de futebol e outras modalidades.

 

Algo de muito curioso e de que a TUI Cruises se orgulha é de o navio ter muitas entradas de luz, sempre que possível há um vidro com vista para o exterior de alto a baixo. Reparamos que na parte de trás do navio há uma zona de espreguiçadeiras e curiosas cadeiras duplas em verga protegidas lateralmente (para cortar os ventos laterais) estava cheia de passageiros a desfrutar do Sol da capital portuguesa.

 

Não podem faltar os bares com a típica cerveja alemã e não só. Há a bordo o Photo Studio para quem gosta da fotografia, tem lojas, um pequeno casino com sala de fumo, em que pelo que deu para perceber o passageiro alemão não tem

por hábito o jogo de casino, embora as máquinas fossem todas de última geração.

 

Para quebrar a monotonia, a TUI Cruises decide que os espaços têm decorações diferentes, uns dos outros, e mesmo os corredores têm motivos diferentes, um deles inclusivamente é uma réplica de um pequeno bosque, e no outro lado um jogo de espelhos que reforça o bosque, um conceito muito interessante. Quanto a arte, existe a LUMAS Gallery, de uma agência de fotografia muito conceituada, em que expõe aqui os seus trabalhos decorando o espaço.

 

Sem sair do tópico da arte, há um espaço em que são dados workshops de pintura, com professores especializados. Neste navio os workshops são muito variados, por exemplo num bar por onde passámos estava a decorrer um sobre vinhos. O passageiro tem uma oferta de aprendizagem muito interessante.

 

Há uma discoteca a bordo, um espaço relativamente pequeno, em que retiram os cadeirões e o DJ mostra o seu talento animando a noite a quem quer dançar.

 

Já no teatro, com capacidade para 1000 lugares sentados, há um espetáculo por noite e a cada duas semanas os artistas são substituídos. Aqui temos cantores, atores, bailarinos e acrobatas.

 

Para as crianças há um espaço próprio “A Ilha dos Piratas”, em alemão “Insel der Seeräuber” com monitores qualificados. O espaço está dividido conforme as faixas etárias: dos 3-5, 6-8 e 9 a 11. Há também uma área para brincar com

crianças até aos três anos, mas têm que ter o acompanhamento dos pais, não há baby sitting para estas idades, são os próprios pais (familiares) que usam o espaço para brincar com as suas crianças.

 

Todo o navio está envolvido numa música agradável por onde passamos, o soalho é uma carpete de um material macio que suaviza o andar sobre ele. Vimos ao longo do navio muitos pontos de lavagem e de desinfeção de mãos. Explicaram-nos que é uma medida preventiva. Pois não se pode apanhar a bordo doenças que se propaguem rapidamente. É um risco que em termos de criticidade está praticamente ao mesmo nível de um incêndio.

 

Para finalizar a visita ao Mein Schiff 2, tivemos acesso a uma suite para quatro pessoas (as últimas fotos do álbum) em que tem uma varanda muito grande em curva, com cadeiras exteriores, e uma rede de descanso. No interior tem uma

cama dupla, mini escritório com espelho, sala com sofá, pequenas mesas e um banco, uma televisão de tamanho grande, a famosa máquina de café Expresso e uma casa de banho completa, tornando esta suite um lugar de sonho ou

realidade para viajar.

 

Todo o design desta estrutura de suites esteve a cargo da designer Patricia Urquiola de origem espanhola, embora atualmente resida em Itália, em Milão.

 

Para este novo Mein Shiff 2, o desejo de “Bons ventos e mar chão” ou seja Boa Sorte na sua missão.

 

Texto: Vera Brás

Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 21 de maio de 2019 – 00:26:35

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

Reportagens fotográficas em preparação

- Lisboa Belém Open

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...