18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Europeus Sub23 e Nacionais Sub20 na agenda

Mais uma jornada com bons resultados para Portugal nos Campeonatos Europeus de Sub-23, que decorrem em Espoo, na Finlândia, até ao próximo domingo. Filipe Silva qualifica-se para a final do triplo-salto e Juliana Guerreiro segue para as meias-finais nos 400 metros barreiras.
 
A qualificação do triplo-salto correu bem a Filipe Barreto Silva. Logo no primeiro salto, o atleta português, radicado em França, alcançou os 15,43 metros, e foi vendo a concorrência ter dificuldades em melhorar ao longo do concurso. Descansado, saltou 15,31 m ao segundo ensaio, o seu pior, e já com a qualificação numa das mãos saltou 15,51 metros, a seis centímetros do seu recorde pessoal, em terceiro lugar no grupo B.
 
Na zona mista, sintético nas palavras, o atleta confessou ser “este o objetivo. É a minha estreia, mas senti-me bem com os saltos que fiz e agora é dar tudo na final”.
 
A final do triplo-salto está marcada para amanhã às 19h05 (17h05 em Portugal).
 
Antes, nos 400 metros barreiras, Juliana Guerreiro correu na terceira das eliminatórias da prova. Gerindo muito bem a corrida, mais cautelosa no início, a portuguesa surgiu fulgurante nos metros finais para terminar em segundo lugar, com a marca de 58,22 segundos, apurando-se diretamente para as meias-finais, que se realizam amanhã, a partir das 11h50 (9h50 em Portugal).
 
“O meu objetivo era, seguramente, chegar às meias-finais. Tinha também em mente bater o meu recorde pessoal, mas ainda vou ter oportunidade”, referiu a atleta após a sua corrida. Terminando mais forte, Juliana deu a sensação de poder ainda fazer melhor. “Sim, acho que consigo fazer melhor, mas vai depender muito da recuperação, que envolve muito o apoio médico da federação, muito gelo e uma boa soneca”, afirmou a atleta que gosta de correr nestas competições, com atletas até com melhor currículo. “Aqui ninguém pode ter receio. Estamos aqui por mérito e temos de dar tudo. No meu caso é um orgulho enorme representar Portugal numa competição deste nível”.
 
A mesma sorte não conheceu Sofia Lavreshina. Na última das eliminatórias, a portuguesa foi sexta classificada com a marca de 59,75 segundos, marca que não deu sequer para a repescagem.
 
“Penso que cheguei aqui no meu pico de forma, mas as coisas não correram bem. Sei que há dois anos fiz a minha melhor época de sempre e parece que estou estagnada desde então. No ano passado, depois da época nos Estados Unidos [onde estuda e treina] cheguei já a perder forma. Este ano, apesar da época intensa, como tive uma inflamação num pé, cuja recuperação levou um mês e meio, cheguei um bocadinho melhor e sinto que estou no meu pico de forma, mas a segunda curva não me correu nada bem”, anotou a atleta.
 
Nesta manhã houve uma final direta, a dos 5000 metros, com a presença de dois portugueses. O melhor foi Rogério Amaral, 12º classificado, com a marca de 13m55s77”, um dos seus melhores registos.
 
“Na verdade, senti um pouco o calor e o ritmo elevado do primeiro quilómetro. O vencedor [Charles Hicks] já o conheço dos Estados Unidos, ele corre sempre a puxar, tentando desgastar os adversários. Por isso geri a minha corrida, estando mais forte nos últimos três quilómetros, mas na última volta já não tinha “pernas” para fazer melhor”, disse o atleta, contente com a sua prestação.
 
Menos bem esteve Ruben Amaral. Em Espoo, o português esteve irreconhecível, como já tinha acontecido em Chorzow, terminando em 19º, com a marca de 14.36,83.
 
Finalmente, embora tenha sido a primeira prova do dia, Diogo Barrigana, terminou em 6º lugar na terceira das eliminatórias dos 400 metros barreiras, com a marca de 52,98 segundos. Um derrube na penúltima barreira cortou-lhe o ritmo e já não conseguiu chegar a uma marca que lhe permitisse a repescagem.
 
Melhor sorte não teve Francisco Marques. Correndo na quinta eliminatória dos 110 metros barreiras, o português não começou muito bem e terminou em sexto lugar, com a marca de 14,55 segundos, longe da repescagem para as meias-finais.
 
Hoje à tarde, temos portugueses nas finais dos 400 metros, Omar Elkhatib (19h20, menos duas horas em Portugal), no martelo, Mariana Pestana (19h45, 17h45 em Portugal), e no comprimento, Pedro Pires e André Pimenta (19h50, menos duas horas em Portugal)
 
João Pedro Buaró começa a qualificação do salto com vara às 18h20 (menos duas horas em Portugal).
 
Fotos: Sportmedia / FPA
 

Periodicidade Diária

domingo, 3 de março de 2024 – 22:43:06

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...