16 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Favoritos travam portugueses no “qualifying” do Lisboa Belém Open

 

Quadros principais foram sorteados este sábado

 

Começou e terminou este sábado a participação dos três portugueses que receberam “wild cards” para o “qualifying” do Lisboa Belém Open, o torneio que marca o regresso do ATP Challenger Tour a solo português (pela primeira vez em 2020) e que distribui 44.820 euros em prémios monetários.

 

A qualidade do elenco da quarta edição do maior torneio do concelho de Lisboa já fazia antever muitas dificuldades para a comitiva da casa e dentro do “court” confirmaram-se, com os três a caírem perante cabeças de série.

 

O primeiro a entrar em ação — e pela primeira vez num torneio de nível Challenger — foi Pedro Araújo (1424.º). A jogar em “casa”, o lisboeta, campeão nacional de sub 18, deixou boas impressões, mas não conseguiu resistir ao austríaco Sebastian Ofner (168.º), que confirmou o favoritismo e venceu por 6-2 e 6-2.

 

 

Entrei um bocadinho nervoso, não só por ser o primeiro Challenger, mas também por ser contra um jogador deste nível. Mas é perfeitamente natural e isto aos poucos vai passando, quantos mais jogos conseguir fazer a este nível melhor vou jogar”,admitiu o jogador da Escola de Ténis Jaime Caldeira. “Tentei ao máximo fazer o meu jogo, mas foi muito difícil. Ele criou-me muitas dificuldades e eu tinha de estar sempre bem no ponto se o queria ganhar. Sinto que podia ter feito mais alguns jogos, especialmente no segundo set o resultado não espelha bem o que se passou dentro do campo, mas é assim. Estes jogadores têm mais experiência e nos pontos importantes ele conseguiu ser melhor do que eu.

 

Apesar de não ter conseguido vencer, Pedro Araújo saiu do CIF satisfeito com a experiência e motivado para chegar aos grandes palcos do circuito mundial masculino: “Espero que tenha sido o primeiro [Challenger] de muitos. Espero que no futuro consiga ganhar jogos e até torneios desta categoria para depois dar o salto para os torneios ATP. Isto é só o início e tenho um longo caminho a percorrer.”

 

Depois, João Monteiro (879.º ATP) foi a jogo no Estádio CIF e conquistou o primeiro “set” para as cores portuguesas nesta edição do Lisboa Belém Open, mas deixou a vitória escapar: perdeu por 6-7(5), 6-4 e 6-1 para o brasileiro Guilherme Clezar (263.º classificado mundial), que já jogou seis finais no ATP Challenger Tour (venceu duas).

 

 

Foi um dos primeiros ‘sets’ mais longos que já joguei e isso refletiu-se no desenrolar do segundo e do terceiro. Ao 5-4 do segundo ‘set’ vi-me apertado com um 0-40 no serviço e ainda consegui fazer o 40-40, mas tive um lapso de concentração e a este nível o ‘set’ vai. Depois entrei bem no terceiro, logo com um ‘break point’, mas ele conseguiu ir buscar esse ponto e esse jogo de serviço e fugiu no marcador”,lamentou o portuense de 26 anos, que não competia a este nível desde novembro de 2019, na Maia.

 

 

A fechar a participação portuguesa na jornada inaugural do Lisboa Belém Open, Tiago Cação (543.º) também tentou surpreender um favorito no regresso à terra batida do CIF, mas a tarefa revelou-se impossível e o jogador do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis perdeu por 6-3 e 6-2 para Borna Gojo (270.º) ao fim de 1h19, um resultado que não espelha totalmente o equilíbrio que se verificou sobretudo na segunda partida, em que o penichense conseguiu fazer frente à consistência do fundo do campo do adversário e subir algumas vezes à rede para lhe criar mais dificuldades.

 

Com as três derrotas portuguesas na primeira jornada, o “qualifying” do Lisboa Belém Open será decidido entre Sebastian Ofner-Tristan Lamasine, Kacper Zuk-Borna Gojo, Adrian Menendez-Maceiras -Dimitar Kuzmanov e Guilherme Clezar-Orlando Luz.

 

Ainda este sábado realizaram-se os sorteios dos quadros principais, com o grande destaque a ir para o duelo entre amigos de Pedro Sousa (segundo cabeça de série) com Gastão Elias logo a abrir a “grelha” de singulares. João Domingues (oitavo pré-designado) defronta Benjamin Bonzi, Frederico Silva aguarda pelo desfecho da fase de qualificação, Gonçalo Oliveira desafia Blaz Rola (sétimo cabeça de série) e Nuno Borges, que este domingo joga a final do ITF de 15 mil dólares de Setúbal, tem pela frente o ex-top 30 Damir Dzumhur, que está na final do Challenger de Barcelona.

 

Texto: Gaspar Ribeiro Lança

Fotos: Beatriz Ruivo

 

 

Periodicidade Diária

domingo, 19 de setembro de 2021 – 14:14:04

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...