17 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Nuno Borges e Gonçalo Oliveira juntam-se a João Domingues na segunda ronda do Braga Open

Duas vitórias portuguesas numa “super terça-feira” Ex-top 20 Benoit Paire também avançou.
 
Nuno Borges e Gonçalo Oliveira estrearam-se com vitórias no quadro principal de singulares do Braga Open e juntaram-se ao compatriota João Domingues na segunda eliminatória do torneio do ATP Challenger Tour que a Federação Portuguesa de Ténis organiza, com o apoio da Câmara Municipal de Braga, entre os dias 18 e 25 de setembro.
 
Depois de uma primeira passagem com emoções distintas pelo Clube de Ténis de Braga (em 2021 foi derrotado na primeira ronda de singulares, mas conquistou o título de pares com Francisco Cabral), Nuno Borges regressou já com o estatuto de primeiro cabeça de série e, desta vez, celebrou individualmente. Número 94 do ranking ATP — é a segunda semana entre os 100 melhores classificados —, o maiato de 25 anos superou o italiano Gian Marco Moroni (329.º) por 6-3 e 6-4.
 
Recém-chegado de Viana do Castelo, onde contribuiu para o triunfo de Portugal sobre o Brasil (2-1) rumo às Davis Cup by Rakuten Qualifiers, o número dois nacional esteve sempre na frente do marcador. No entanto, teve de resistir a algumas investidas do italiano, que tentou aproveitar ao máximo o pouco tempo de adaptação de Borges às condições de jogo, mas não conseguiu mais do que equilibrar o segundo parcial.
“De certa forma até estou surpreendido pela forma como me senti em campo. Achei que ia ter maiores problemas de adaptação visto que vim da Taça Davis, disputada numa superfície totalmente diferente e com dois dias emocionalmente muito desgastantes, mas sinto que fiz um bom trabalho. Senti-me bem física e mentalmente, joguei de uma maneira competente do início ao fim e estive lá com o meu nível. Há alguns detalhes a melhorar, mas estou muito satisfeito com a minha entrada no torneio”, analisou Nuno Borges em conferência de imprensa.
 
Sobre a quebra de rendimento que o levou a perder o break de avanço e três jogos consecutivos, o tenista da Maia considerou que “fui menos decisivo e relaxei um pouco depois de fazer o 4-1 num momento anterior à mudança de bolas, em que a bola já estava maior e eu não estava a conseguir fazer tanto com ela. O ascendente mudou um pouco para o lado dele, mas senti que a longo prazo eu estava lá e ele ia ter de lutar durante mais tempo para conseguir ganhar-me o set ou até o encontro.”
 
Na segunda ronda do Braga Open, Nuno Borges vai enfrentar um jogador que, tal como ele, esteve em Viana do Castelo: Matheus Pucinelli de Almeida, número 216 mundial que foi convocado pelo capitão Jaime Oncins, mas acabou por não ser chamado a jogo na referida eliminatória.
 
No frente a frente entre ambos há apenas um encontro a registar: há sensivelmente um ano, em setembro de 2021, no qual Nuno Borges salvou quatro match points para derrotar Matheus Pucinelli por 2-6, 6-2 e 7-5 no Challenger de Kiev.
 
O triunfo de Nuno Borges foi o segundo de um jogador português nesta jornada. Horas antes, Gonçalo Oliveira (número 396 do ranking e convidado da organização) já tinha superado o qualifier francês Ugo Blanchet (316.º) em duas partidas, por 6-1 e 7-6(3).
 
Esta foi a primeira vitória do portuense no ATP Challenger Tour desde o Oeiras Open 3, há três meses, e permitiu-lhe marcar encontro com Jelle Sels (196.º), neerlandês que surpreendeu o terceiro cabeça de série, Franco Agamenone (148.º).
Pelo meio, outros quatro portugueses foram a jogo na jornada desta terça-feira, mas todos sem sucesso.
 
Ao início da tarde, Gastão Elias (205.º) ficou muito perto de consumar a reviravolta frente ao segundo cabeça de série, Carlos Taberner (121.º), mas perdeu por 6-3, 4-6 e 6-4 num encontro que se prolongou por 2h46.
 
Depois, o jovem Duarte Vale (510.º) começou bem, mas não teve armas para resistir a Benoit Paire (atual 168.º), que venceu por 3-6, 6-3 e 6-2.
 
Já na parte final da jornada, Frederico Silva (251.º) acusou a falta de tempo na terra batida e perdeu por 6-2 e 7-5 com o espanhol Nikolas Sanchez Izquierdo (238.º).
 
A completar o grupo de portugueses em ação no quadro principal de singulares, o lisboeta Pedro Araújo (549.º classificado mundial) venceu o primeiro set, mas viu o qualifier espanhol Pablo Llamas Ruiz (511.º) inverter o rumo dos acontecimentos para triunfar por 3-6, 6-1 e 6-2.
 
Na quarta-feira, o começo da jornada está marcado para as 11 horas com os primeiros encontros da segunda ronda de singulares e o arranque do quadro principal de pares.
 
Fotos: Sara Falcão
 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 29 de setembro de 2022 – 01:07:51

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...