18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Qualifying do Figueira da Foz Ladies Open sem vencedoras portuguesas

 
As quatro portuguesas que foram a jogo no qualifying do Figueira da Foz Ladies Open foram travadas por favoritas e despediram-se na jornada inaugural. Organizado pelo Tennis Club da Figueira da Foz entre os dias 23 e 30 de julho e com os apoios da Federação Portuguesa de Ténis e da Câmara Municipal da Figueira da Foz, o torneio pertence à categoria de 100.000 dólares da Federação Internacional de Ténis.
A primeira representante lusa a entrar em ação foi Matilde Agra. Aos 18 anos e ainda sem ranking mundial, a jovem conimbricense perdeu por 6-1 e 6-1 com Amarni Banks (421.ª), britânica que em 63 minutos confirmou o estatuto de oitava cabeça de série do qualifying.
 
Já na parte da tarde, também Teresa Franco Dias foi a jogo num torneio de 100.000 dólares pela primeira vez na carreira. A tenista de 23 anos tentou bater-se com Isabella Kruger (455.ª), mas a sul-africana de apenas 18 anos foi mais forte e ao cabo de 60 minutos triunfou com os parciais de 6-2 e 6-1.
 
O resultado foi o mesmo da derrota de Milla Sequeira — a mais rodada das tenistas portuguesas que foram a jogo este domingo — contra Georgina Garcia-Perez. Campeã do Figueira da Foz Ladies Open em 2020, a espanhola (atual 400.ª do ranking e ex-124.ª) regressou a um palco de boas memórias com um triunfo autoritário.
A fechar o dia, Sana Garakani esbarrou no favoritismo da suíça Nadine Keller (430.ª), que em 49 minutos venceu por 6-1 e 6-0 contra a luso-iraniana de 20 anos, atualmente a estudar nos Estados Unidos da América.
 
Eliminado o quarteto de tenistas portuguesas presente no qualifying, a representação lusa na variante de singulares do Figueira da Foz Ladies Open ficará a cargo das três jogadoras que foram convidadas para o quadro principal: Francisca Jorge (317.ª), Matilde Jorge (635.ª) e Elizabet Hamaliy (sem classificação mundial).
 
Ainda este sábado, avançaram para a última ronda do qualifying a polaca Urszula Radwanska e a russa Alina Korneeva.
 
Ex-top 30 mundial (foi 29.ª classificada no ranking WTA em outubro de 2012) e atual 415.ª classificada, a irmã mais nova de Agnieszka Radwanska — que foi finalista de Wimbledon — precisou de três partidas, mas conseguiu desenvencilhar-se do encontro mais longo do dia (2h34) ao superar Eva Garkusha por 3-6, 6-4 e 6-4.
 
A tarefa da jovem russa de 16 anos foi mais fácil. Ainda a conciliar o profissionalismo com o percurso de júnior (os títulos no Australian Open e em Roland-Garros catapultaram-na para a liderança do ranking mundial de sub 18), mas já com um título num ITF de 60.000 dólares, a moscovita superou a chinesa Fangran Tian (733.ª) por claros 6-4 e 6-2.
 

Periodicidade Diária

sábado, 13 de abril de 2024 – 09:47:42

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...