15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Capitão Sportinguista volta a erguer a Taça 26 anos depois

 

 

A equipa de seniores masculinos do Sporting Clube de Portugal ergueu hoje o seu 4.º troféu da Taça de Portugal ao vencer, por 3-1 (29-27, 25-22, 16-25 e 28-26) o eterno rival SL Benfica na final, disputada no Pavilhão Municipal de Santo Tirso, sob a arbitragem de Vítor Gonçalves e Pedro Pinto.


Os prémios foram entregues aos vencedores e aos finalistas da Taça de Portugal por Ana Maria Ferreira, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, e Vicente Araújo, Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol.


O jogo foi verdadeiramente digno da final da taça e um excelente aperitivo para os Play-offs da I Divisão de Elite que se avizinham…

 

 

Sporting CP x SL Benfica, 3-1 (29-27, 25-22, 16-25 e 28-26)

 

1.ºSet


Com Éder Kock no serviço, o Sporting começou por liderar o marcador, com um ataque de Renan purificação e um bloco de Renan/Victor Pereira (2-0), diferença que ampliou com um serviço directo de Bruno Alves (4-1).


O SL Benfica reagiu, igualou e passou para a liderança do marcador com um serviço de Raphael Oliveira (6-5).


O jogo prometia. Pelo equilíbrio de valores, mas sobretudo pelo espírito de entrega à luta evidenciado pelas duas equipas e bem patente nas defesas sobre-humanas dos líberos Ivo Casas e João Fidalgo.


O Benfica acertou o seu bloco e mostrou-se mais agressivo nas acções ofensivas e, pouco a pouco, foi-se afastando (14-10).


Gersinho reuniu com os seus pupilos e a conversa deu os seus frutos, com os leões a reduzirem para (13-15).


A tentativa de arriscar cada vez mais, levava as duas formações a cometerem erros, sobretudo no serviço e no ataque. Um erro do SL Benfica deixou permitiu a aproximação do seu adversário (18-17).


À entrada para a recta final, o equilíbrio estava reposto no marcador (20-20)…


No seguimento de dois bons serviços de André Saliba, a equipa de Gerson Amorim tomou a dianteira (22-20) e, valendo-se do seu forte bloco-triplo (24-21), parecia ter o jogo ganho. Contudo, alguns erros e um serviço directo de Raphel Oliveira igualaram a contenda (24-24).


Os encarnados, com um ataque de André Aleixo,  passaram a liderar (27-26), mas, num autêntico golpe de teatro, o Sporting fez a igualdade e viu o seu rival oferecer, com um ataque desperdiçado, um triunfo (29-27) muito suado num set que teve (quase) a duração de alguns… jogos.


Raphael Oliveira; André Aleixo e Theo Lopes, com 6 pontos cada, e Paulo Victor Silva (5) e Renan Purificação (4), foram os artilheiros de serviço neste parcial.

 

2.º Set


O Benfica começou melhor (2-0), mas o Sporting recompôs-se e passou a liderar o marcador (8-5), diferença que seria anulada pouco depois (8-8). Seguiram-se momentos de equilíbrio no marcador (10-10), mas o Benfica evidenciava problemas para suster os fortes serviços, quer de Bruno Alves, Renan Purificação ou Victor Pereira e o prato da balança começou a pender para o lado leonino (14-11, 16-13).


Um serviço e um ataque desperdiçados pelas águias deram ainda maior volume à vantagem dos leões (18-14).


A entrada do capitão encarnado, Hugo Gaspar, subiu os níveis de confiança (19-17), mas o Sporting não acusou o golpe e continuou, em marcha acelerada, até obter novo triunfo por 25-22.

 

3.º Set


Início de set marcado pelo equilíbrio, com alternância na liderança do marcador. No primeiro terço do parcial, era o Benfica que liderava (8-6), mas a lesão de Rapha Oliveira, um dos melhores pontuadores da equipa, veio complicar as coisas.


Contudo, André Lopes foi chamado a substituir o zona 4 brasileiro e acabaria por ser decisivo, enquanto o oposto Theo Lopes passou a ser (ainda) mais utilizado e mostrou-se à altura dos acontecimentos (15-12).


Um bloco de Flávio Soares (Zelão) a Victor Pereira deu ainda mais ânimo à equipa orientada por Marcel Matz (19-14). E um ataque do mesmo central e um serviço de André Lopes catapultaram o Benfica para o triunfo, selado com um ataque de André Aleixo: 25-16.

 

4.º Set


O set começou com um bloco de Robinson Dvoranen a Theo Lopes. Um ataque falhado por Zelão deu vantagem de três pontos ao Sporting (3-0). Uma diferença que se prolongaria no tempo e seria mesmo dilatada (12-8, 15-10).


Comandando sempre o marcador, o Sporting acabaria por ver o seu adversário aproximar-se perigosamente (18-17). Um ataque desperdiçado pelos leões (22-22) fez o Benfica acreditar que era possível dar a volta ao jogo. Os blocos de Zelão e Tiago Violas aumentaram a confiança… mas o Sporting conseguiu igualar aos 24 pontos, deixando tudo em aberto.


Neste braço-de-ferro terrível, nem sempre bem disputado devido aos nervos à flor da pele, os leões acabariam por mostrar-se mais fortes (28-26), selando o triunfo que lhes deu o 4.º troféu na Taça de Portugal, o primeiro desde 1994/1995.

 

Theo Lopes, com 26 pontos, e Paulo Victor Silva, com 18, cotaram-se como os melhores pontuadores do jogo.

 

 

Marcel Matz, Treinador do SL Benfica:


“Foi um jogo muito equilibrado e bem disputado, emocionante para quem estava a assistir. Parabéns ao Sporting pela conquista do troféu, pois soube fazer em campo as opções certas nos momentos decisivos. Nós tivemos uma hipótese de vencer o primeiro set, mas não conseguimos, enquanto eles aproveitaram bem o momento de selar a vitória no quarto set.
Agora temos de melhorar para os play-offs. Esta derrota não tem impacto, porque temos trabalhado bem. Precisamos de consolidar a vantagem de jogarmos em casa por termos ficado em segundo lugar, mas são jogos que serão muito disputados, disso ninguém tenha dúvidas“.

 

Gerson Amorim, Treinador do Sporting CP:


“É uma alegria muito grande poder contribuir para a conquista deste troféu tão importante para o clube. Os jogos com o Benfica são sempre duros e muito disputados. Se houver um 3-0, é porque está alguma coisa mal.
Tivemos um jogo na Supertaça muito duro, mas acabámos por ser afastados pelo Benfica nas meias-finais, pelo que o significado desta vitória é que fica o alerta que é possível vencer e atingirmos os nossos objectivos.
Amanhã já tudo passou, já não há taça, e temos que nos preparar para os jogos do play-off, que são diferentes“.

 

Miguel Maia, Capitão do Sporting CP:


“O nosso propósito é atingirmos todas as finais. Num projecto que tem três anos, já fomos campeões nacionais e vencemos agora a Taça de Portugal. Tive a felicidade de estar na última vitória do clube na Taça (o Sporting esteve afastado do Voleibol muitos anos), em 1994/95, e agora também contribui para erguermos o troféu. 
Pessoalmente, correu-me tudo bem: defrontei o meu filho (AA Espinho) pela primeira vez e agora contribui para uma conquista importante para um clube grande, que merece tudo. 
Sinto-me em condições de poder continuar a ajudar o clube a conquistar os seus objectivos“.

 

Hugo Gaspar, Capitão do SL Benfica:


“Foi um jogo que se decidiu em pequenos detalhes, nos pontos finais e decisivos, que caíram para uma equipa mas que podiam ter caído para a outra.
Tal como nós e o Bastardo, o Sporting investiu muito na equipa. São equipas de grande valor, pelo que um dia vencem eles, outros dias vencemos nós“.

 

 

Os prémios foram entregues aos vencedores e aos finalistas da Taça de Portugal por Ana Maria Ferreira, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, e Vicente Araújo, Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol.

 

Em 2020 não houve vencedor da Taça de Portugal, devido à pandemia de COVID-19, mas em 2019, a equipa de seniores masculinos do SL Benfica ergueu o seu 18.º troféu de vencedor da Taça de Portugal ao vencer, por 3-1 (26-28, 25-16,25-22 e 25-20), a AJ Fonte do Bastardo, na final disputada no Multiusos de Sines.

 

O SL Benfica é a equipa com mais títulos conquistados (18) na prova, o primeiro em 1965/1966 e o último em 2018/2019, tendo erguido o troféu por seis vezes nas últimas onze finais.


O SC Espinho é o segundo clube com maior número de taças (12). Foi o primeiro vencedor da competição, em 1964/1965, e detém o recorde de maior número de taças conquistadas consecutivamente (6), entre a época de 1995/1996 e de 2000/2001.

 

Em 56 edições: SL Benfica (18), SC Espinho (12), C. Maia GC e FC Porto (6), Leixões SC (5), Sporting CP (4) e AJF Bastardo, Vitória SC, Esmoriz GC, ISEF e IS Técnico.

 

Resultados das últimas 14 finais


2021 – Sporting CP x SL Benfica, 3-1
…….
2019 – SL Benfica x AJF Bastardo, 3-1
2018 – SL Benfica x Castêlo da Maia GC, 3-1
2017 – SC Espinho x SL Benfica, 3-0
2016 – SL Benfica x AJF Bastardo, 3-1
2015 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2104 – Castelo da Maia GC x AJF Bastardo, 3-2
2013 – AJF Bastardo x Vitória SC, 3-0
2012 – SL Benfica x AA Espinho, 3-1
2011 – SL Benfica x SC Espinho, 3-0
2010 – Castelo da Maia GC x SL Benfica, 3-1
2009 – Vitória SC x SC Espinho, 3-2
2008 – SC Espinho x Vitória SC, 3-0
2007 – SL Benfica x Castelo da Maia GC, 3-0

 

Fotos: Jorge Cabral

 

 

Periodicidade Diária

domingo, 13 de junho de 2021 – 23:42:09

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...