13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

7ª Corrida Bucelas "Capital do Arinto"

 

Bucelas, 20 de Maio de 2018
 

Conheço Bucelas há anos. Conheço a Corrida Bucelas Capital do Arinto, desde 2015, quando a corri pela 1ª vez. Falhei 2016 (por lesão), voltei em 2017 e este ano, só me lembrava de razões para voltar!

Faz parte do Troféu Corrida das Colectividades do Concelho de Loures, que vai este ano na sua 34ª edição, e é organizada em conjunto pelo Clube de Futebol “Os Bucelenses” e a Junta de Freguesia de Bucelas, com o apoio da Camara Municipal de Loures, Bombeiros Voluntários de Bucelas e comércio local.


É uma prova com inscrição gratuita e perto de casa. Este ano com uma distância mais curta: cerca de 8,800 Km que demorei 51m42s a percorrer, o que me valeu um 3º lugar na classificação por escalões (num total de 6 atletas do meu escalão), posição essa de pódio (3ª), que curiosamente tenho repetido aqui em Bucelas:


na 4ª edição,em 2015, para ver aqui

na 6ª edição, em 2017, para ver aqui

 

Fazendo parte do Troféu, há sempre provas dos escalões mais jovens, que decorrem antes da nossa, e é uma alegria ver a pequenada a correr. Também eu comecei assim, aqui bem perto (Grupo Desportivo de Vialonga), há mais de 40 anos atrás e desde essa altura que a Corrida se entranhou em mim de tal forma que me corre nas veias e simplesmente faz parte de mim.


E por causa das provas dos pequeninos, acaba a prova principal por começar um pouco tarde, o que é mau se o dia já estiver para o quentinho. Mas nada que não se faça!

 

A partida é dada junto à Igreja, à hora marcada e parte rápida, que aquela gente corre muito e disputa o Troféu com unhas e dentes. Uma pequena volta por Bucelas, logo com uma subidnha, para depois irmos em direcção a Vila de Rei, onde temos de enfrentar uma valente subidinha, e consequente descida, de novo retorno a Bucelas, nova subidinha para a Bemposta, e descida e agora é uma recta para a meta, de 2 ou 3 km.


Tive de caminhar uns metros nas 2 subidas. Ai como queria prometer que para o ano a fazia toda a correr...É treinar, treinar! E porque não? Estamos cá para o ano para ver!


Abastecimento de água, pulseira de controlo a meio do percurso, trânsito bem condicionado pelas autoridades competentes e portanto, segurança suficiente. Na meta temos água e não saímos de lá defraudados.


Este ano, tive a companhia de alguns elementos dos amigos Runners da Frente Ribeirinha da Póvoa de Santa Iria, clube que represento, e já ouvi promessas que para o ano é para repetir com invasão! Da minha parte, conto voltar pois claro!


A entrega de prémios no local, é rápida. Há garrafas de Arinto para os primeiros classificados da geral, e medalhas para os 3 primeiros de cada escalão. Coube-me ainda um vale de EUR 5,50 na "Ana Cabeleireira" em Sacavém. Um gesto simpático. 


A organização está pois de parabéns e muito provavelmente vou voltar em 2019.


A minha prova é sempre uma luta, um campo de batalha onde se mistura o suor, a dor e o prazer e a chegada à meta, sempre uma vitória. O sorriso, o pódio e a medalha igual a milhares de outras, valem ouro. O orgulho e alegria genuína podem ser facilmente confundidos com gabarolice e ostentação, mas não passam de pura gratidão. Gratidão por me ser permitido estar ali, correr e viver o momento, sozinha comigo, ou com amigos ou até com companheiros de ocasião que partilham connosco alguns quilómetros da prova, e depois, depois reencontrar sempre o meu pai à minha espera na meta! Subir ao pódio é para ele, definitiva e claramente, para ele! E foi assim em Bucelas! Até para o ano Bucelas!

 
Ana Pereira

 

 


 

terça-feira, 23 de outubro de 2018 – 06:59:38

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...